ROGUE ONE – UMA HISTÓRIA STAR WARS (CRÍTICA)

140_00

Seis anos se passaram desde a Ordem 66 e o fim da Ordem Jedi (Star Wars Episódio III: A Vingança do Sith, 2005). O Império Galáctico precisa de uma arma definitiva capaz de minar qualquer ameaça ao seu domínio. Assim o responsável pelo projeto militar, o diretor Krenic, tenciona trazer de volta seu engenheiro-chefe, Galen Erso que se isolou arrependido de participar de um plano tão diabólico. Esta é a história por trás da construção da Estrela da Morte. Para ser mais exato, é a história de um grupo de soldados rebeldes que precisa reacender a esperança na Galáxia e, sem temer as consequências, deter a construção da “matadora de planetas”.

Para isso a Aliança Rebelde recrutará Jyn Erso, a filha sobrevivente de Galen. Ela, que fora criada pelo extremista Saw Guerrera depois que seu pai foi coagido a cooperar com o Império e sua mãe ser assassinada, é a única que pode unir as pontas soltas da trama. É preciso que Jyn entre em contato com Guerrera, pois ele tem informações cruciais sobre seu pai e o projeto da arma suprema do Império. Informações que podem mudar o destino da Galáxia. Na jornada, a amizade, a fé na Força e a esperança de um futuro melhor terão que ser reconstruídos no coração da Aliança Rebelde para um dia por fim na tirania do Imperador Palpatine, Darth Sidius. Sua confiança será depositada em um grupo de heróis totalmente inesperados tendo Jyn e o capitão Cassian Andor como líderes da missão Rogue One.

140_01

Título original: Rogue One.
Direção: Gareth Edwards.
Roteiro: Chris Weitz, Tony Gilroy, John Knoll e Gary Whitta.
Duração: 2h 13min
Lançamento: 15 de dezembro de 2016.

140_02

Elenco: Felicity Jones (Jyn Erso), Diego Luna (Cassian Andor), Alan Tudyk (K-2SO), Donnie Yen (Chirrut Îmwe), Wen Jiang (Baze Malbus), Ben Mendelsohn (Orson Krennic), Guy Henry (Governor Tarkin), Forest Whitaker (Saw Gerrera), Riz Ahmed (Bodhi Rook) e Mads Mikkelsen (Galen Erso).

140_03

1. A HISTÓRIA DA ESTRELA DA MORTE
Podemos de dizer que o maior feito bélico do Império Galáctico é a arma suprema, a Estrela da Morte. Esta nave gigantesca em forma de lua e armada com um poderoso canhão laser canalizados por cristais Kyber (o mesmo utilizado para construção dos sabres de luz) é capaz de dizimar planetas inteiros. E isso chocou a todos que virão o Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977), quando a princesa Leia Organa vê seu planeta natal Alderan ser desintegrado.

No entanto o Imperador já punha em prática a construção dessa nave devastadora há muito mais tempo do que imaginamos. Antes das Guerras Clônicas, ainda como Chanceler Supremo, notamos que os planos para a Estrela da Morte estavam nas mãos dos Separatistas que se retiraram diante da investida jedi na Batalha de Geonosis (Episódio II: O Ataque dos Clones, 2002). Isso nos dá indícios que os fabricantes droides estavam de alguma forma ligados ao projeto inicial como parte dos planos do Conde Dookan e Palpatine.

140_04

Isso se confirma no Episódio III: A Vingança dos Sith (2005). Primeiramente vemos que em seu gabinete o Chanceler Supremo Palpatine, dono de poderes emergenciais, analisa os planos da Estrela da Morte antes de uma conversa com Anakin Skywalker, futuro Darth Vader. Ao final da trama, quando o Imperador finalmente extinguiu a Ordem Jedi, tomou o controle total do que antes era a República Galáctica e converteu Anakin Skywalker em Darth Vader, o mestre e seu aprendiz admiram a construção do esqueleto da “Matadora de Planetas”.

Nessa cena ainda vemos que estão acompanhados pelo Grande Moff Tarkin, o impiedoso comandante da Estrela da Morte, e que desde as Guerras Clônicas conseguiu subir ao poder e estar cada vez mais perto tanto de Anakin como de Palpatine, como nos mostra a série animada Clone Wars (Episódios 3×15-3×17; 5×17-5×20).

140_05

Treze anos antes da Batalha de Yavin, na qual a Estrela da Morte seria destruída por Luke Skywalker (Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977), o diretor Orson Krennic precisa reconduzir o engenheiro-chefe, Galen Erso, ao trabalho na arma suprema. Erso se exilara com sua esposa e filha Jyn em um planeta afastado, Wobani (um anagrama para Obi Wan), para viver uma vida simples como fazendeiro. Mas o projeto não pode prosseguir sem Galen. Então Krennic, acompanhado dos impiedosos Troopers da Morte, precisa coagir seu antigo subordinado a voltar para construção da Estrela da Morte. O resultado é desastroso: o engenheiro é forçado a retornar, sua esposa Lyra Erso é assassinada diante de seus olhos e sua filha precisa se esconder e esperar pela ajuda de Saw Guerrera, amigo da família e a esperança de sobrevivência da menina. Desta forma a Estrela da Morte caminha para sua conclusão de forma irremediável para a Galáxia.

140_06

2. QUEM É SAW GUERRERA? (Spoilers não comprometedores)
Simplesmente: ele é rebelde até para Aliança Rebelde! Sim, um extremista capaz de fazer atos inomináveis tais quais o Império. Já havia causado diversos problemas a Aliança (que não são mencionados no longa-metragem) e que acabou tendo uma mente perturbada e tendo parte de seu corpo sobrevivendo por meio de implantes robóticos e sistemas de vida. No entanto plenamente atuante e com sua base escondida no planeta Jedha, outrora lar de um dos maiores templos Jedi.

Antes de tomar conta da pequena Jyn Erso e se tornar uma espécie de pai adotivo, ele esteve a frente, ainda muito jovem, de um frente rebelde contra o domínio separatista de seu planeta Alderon. Planejava conquistar a capital Isis e destituir o poder vigente com ajuda de sua irmã e do Conselho Jedi. No entanto, a Ordem não quer se envolver diretamente no conflito civil apenasse limitando a treinar a Aliança Rebelde a agir de forma militar e coordenada.

Depois que se infiltram na cidade, os jedis acabam deixando Ahsoka Tano como conselheira estratégica, informal da nova líder Rebelde Steela Guerrera, irmã de Saw. Mesmo reconduzindo ao governo seu líder legítimo, Saw Guerrera perde muito com a vitória sobre os Separatistas. Apesar de Alderon ter recuperado a paz e voltado ao seio da República, Saw Guerrera perde sua irmã. Esse sacrifício endurece ainda mais o coração do rebelde e talvez seja o motivo de sua ações extremistas como a Aliança Rebelde o caracteriza em Rogue One. Esses fatos, contados na série animada Clone Wars (5×02-5×05), também nos remete a própria origem da Aliança Rebelde e coloca Saw como um de seus fundadores.

Assim Saw Guerrera é encarregado pela força das circunstâncias a criar e educar Jyn Erso, que cresce entre os ataques e planos terrorista de Guerrera. É forjada na iniciativa Rebelde, mas passa a desacreditar nela desde que Saw a abandona temendo que a usassem para feri-lo. Desde então ela passa a viver sem se importar com nada, neutra e cometendo crimes. Presa, acaba sendo solta pela Aliança Rebelde, pois é a única que pode entrar em contato com Saw Guerrera e sobreviver. E o líder extremista é o único que possui uma mensagem secreta de seu pai, Galen, que foi enviado por meio do piloto, Bodhi Rook.

140_07

3. UMA MISSÃO SUICIDA (Alerta de Spoiler / pule para a conclusão)
Coagida a ajudar a Aliança em troca de sua liberdade, Jyn Erso se junta a Cassian Andor, um oficial capaz de qualquer coisa pela cauda Rebelde, e um androide do Império reprogramado K-2SO. Não há afeição ou confiança, mas eles precisam ir a Jedha encontrar Saw Guerrera e assim ter acesso ao piloto Bodhi Rook e a mensagem que ele porta de Galen Erso.

No caminho esbarram em dois antigos guardiões do templo de jedi, Chirrut Îmwe e Baze Malbus, que parecem sentir a Força permear as ações da jovem Erso. Assim após uma batalha são conduzidos a Saw Guerrera que finalmente revela o conteúdo da mensagem: Galen trabalhou por anos a fio na Estrela da Morte, mas deixou um falha capaz de por em colapso toda nave suprema. É preciso encontrar o engenheiro-chefe e se apossar desse segredo. Mas o fim do encontro com Saw é trágico: Tarkin ordena que Krennic teste o poder da arma em Jedha. Assim o primeiro ataque da Estrela da Morte dizima a cidade e com ela Guerrera que aceita de bom grado a sua morte e o fim de tantas lutas.

De posse da informação, mas sem a mensagem holográfica Jyn Erso tenta convencer a cúpula da Aliança Rebelde a ir ao encontro de seu pai em Eadu, locar de refinaria imperial de cristais kyber. Assim Cassian Andor, com a missão secreta de matar Galen depois de obter a informações, junto com K-2SO, Chirrut e Baze são guiados pelo piloto Bodhi. Mas novamente Jyn perderá alguém amado: seu pai morre em seus braços, mas deixa claro onde estão os planos de sabotagem da Estrela da Morte.

Novamente sem provas e somente sua palavra, Jyn Erso não consegue convencer a Aliança Rebelde de que em Scariff estariam os planos de seu pai. Não consegue fazer com que a cúpula apoie uma investida em massa a sede dos arquivos imperiais. Bail Organa, pai adotivo de Leia, bem como Raddus, o mon calamari, parecem acreditar na jovem, mas não aponto de arriscar uma ofensiva.

Assim Cassian, os guardiões do templo, Bodhi e K-2SO juntam-se a Jyn Erso para uma missão suicida: infiltrar-se com a nave roubada em Scariff e roubar os planos que podem destruir a Estrela da Morte. Mas o que pode um grupo de Rebeldes e um pequeno destacamento de soldados contra uma das bases mais bem protegidas do Império Galáctico? Este plano suicida acaba por ser aqueles que Leia esconde em R2D2 no início de uma Nova Esperança, aqueles que indicarão onde Luke Skywalker deverá atingir para por fim a Estrela da Morte na batalha de Yavin.

Mas sabem Cassian Andor e seu grupo que tanto Krennic como Tarkin, já comandante da super arma, encaminham-se para Scariff e contarão com a ajuda de ninguém menos que Darth Vader que se encontrava em Mustafar, seu covil e lugar onde fora derrotado por Obin Wan Kenobi no Episódio III: A vingança dos Sith (2005). Mas talvez, como a própria Jyn afirma:

As rebeliões começam com esperança.

140_08

4. A CRENÇA NA FORÇA
Jyn Erso não acredita em mais nada. Sua mãe antes de morrer lhe afirma para confiar na Força. Neste filme o conceito de Força é amplamente abordado, mesmo que nenhum jedi apareça em cena, somente Darth Vader e seu uso sombrio do Lado Negro. Nesse sentido é uma época decadente para quem acredita nela.

O lugar de um dos mais poderosos templos da Ordem, a planeta Jedha, não passa de uma grande mina de cristais Kyber. Tudo referente a era gloriosa dos jedis está em ruínas e até uma imensa estátua de Cavaleiro e os restos do templo da ordem servem esconderijo para o bando de Saw Guerrera.

Mas o sentimento místico da Força ainda permeia as ações dos guerreiros do bem. Apesar de Jyn Erso só ter como lembrança um cristal kyber como pingente de um colar e as palavras de sua mãe, a Força encontra um jeito de envolvê-la. É assim que ela trava contato com dois antigos guardiões do Templo: Chirrut Îmwe e Baze Malbus. O primeiro é cego e exímio com a luta com os bastões, um crente fervoroso nos desígnios da Força; o segundo, tornou-se um descrente mesmo nutrindo um amizade com Chrirrut, confia mais no seu rifle de blaster do que em algo invisível.

Rogue One restabelece a ideia da força como algo místico e religioso, mostra como os povos comuns passaram a crer como algo que os leva para o bem. Esse sentimento é o que marca os Rebeldes em sua luta contra o Império, cujos maior expoente são os esforços de Luke e Leia Organa. Assim a história de Jyn mostra que a crença na Força não era exclusividade de Jedi e Sith nem simples contagem de mindiclorianas (explicação de George Lucas que acho forçada e digna de pouca ênfase), porém algo análogo a esperança para cada ser vivo da Galáxia. Ou seja, a Força como filosofia jedi morrer com seus cavaleiros, mas permanece viva nos homens comuns como a fé em um futuro melhor.

Por isso não tem como não se emocionar com o mantra repetido por Chirrut Îmwe a cada momento do filme até seu derradeiro suspiro e os último momentos de Baze Malbus, recuperando a fé perdida:

Eu estou com a Força e a Força está comigo.

5. EASTER EGGS

  • 140_09O laser da Estrela da Morte: é a última parte adicionada à arma suprema original para torná-la completa em Rogue One. No entanto segunda Estrela da Morte (Episódio VI: O Retorno do Jedi, 1983), tem seu laser já conectado (e totalmente operacional), mesmo quando a superestrutura da estação ainda estava incompleta.
  • 140_10Rebels, série animada: em uma cena em Yavin IV, um locutor pode ser ouvido chamando um “General Syndulla”. Refere-se a Hera Syndulla a piloto twi’leks da Ghost no desenho animado. A própria nave está presente tanta na base rebelde em Yavin 4 como na batalha final em Scariff. No entanto não existe nenhuma perspectiva do arco Rebels se tornar um filme live-action.
  • 140_11Arquivos 1: Rastreando no hiperespaço – Há menção a uma tecnologia imperial secreta usada pela Primeira Ordem em Star Wars: Os Últimos Jedi (2017). Um tópico chamado “Rastreamento do Hiperespaço” diz respeito a tecnologia que permite à Primeira Ordem perseguir a frota da Resistência, mesmo quando eles viajam pelo hiperespaço.
  • 140_12Arquivos 2O Sabre Negro – Quando Jyn está procurando os planos da Estrela da Morte no cofre, ela lê “Darksaber” ou “Sabre de Luz Negro”. A arma O Darksaber é uma espada de energia criada pelos primeiros Jedi Mandalorianos. Foi visto na série animada Clone Wars nas mãos de Pre Vizsla (4×14, 5×14-5×15) e, mais recentemente, na série O Mandaloriano (1×08). Ainda há referências a arma em Rebels no qual Sabine Wren a maneja e a presença dele no game Star Wars: The Force Unleashed (2008).
  • 140_13O nome Rogue One é o codinome que Bodhi Rook inventa para usar a nave imperial roubada que os rebeldes para missão em Scariff. Rogue Two é o codinome do piloto rebelde que encontra Luke e Han em Hoth no Episódio V: O Império Contra-Ataca (1980).
  • 140_14A Cidadela e o Planeta Scarif, onde os dados imperiais são armazenados, é uma reminiscência do planeta Rakata Prime, que apareceu pela primeira vez no videogame Star Wars: Knights of Old Republic (2003).
  • 140_15As consequêcias para o Episódio IV (1977) – A Batalha de Scarif ajuda a explicar por que a Aliança Rebelde só conseguiu reunir cerca de trinta caças estelares para atacar a Estrela da Morte (Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977). Também explica por que eles deixaram Luke, um piloto sem experiência em X-Wings, se juntar ao ataque. A batalha final com para auxiliar Jyn e seu grupo esgota severamente o corpo de caças Rebeldes e seu líder, o general Merrick, é morto em ação. Luke é recrutado para substituir o Red 5, que também foi morto em Scarif. A batalha também acrescenta peso à advertência de Luke a Han de que os rebeldes “… poderiam usar um bom piloto como você, você está dando as costas a eles”.
  • 140_16O Imperador aumenta seu poder – Ainda em relação Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977), o governador Tarkin anuncia que o Imperador dissolveu o conselho permanentemente e que todos os territórios são diretamente controlados pelos governadores regionais. Embora o motivo dessa decisão nunca tenha sido explicitamente declarado, é provável que o Imperador tenha feito isso em resposta direta à batalha de Scarif, que ocorre no final deste filme. Como este foi o primeiro ataque aberto da Aliança Rebelde ao Império, ele provavelmente a usou como uma desculpa para implementar alguma forma de lei marcial em toda a Galáxia e se livrar do último órgão governamental da República que estava entre ele e o poder absoluto.

6. CURIOSIDADES HISTÓRICAS

  • 140_17Bomba Nuclear – O pai de Jyn, Galen Erso, é inspirado em J. Robert Oppenheimer, o pai da bomba atômica. Pois os dois homens compartilham o mesmo fator de culpa de se tornar um agente da morte por construir uma arma de destruição em massa.
  • 140_18Guerras reais – Para conferir a aparência pretendida das batalhas na superfície, o diretor Gareth Edwards e a equipe de design simplesmente resgataram fotos da Segunda Guerra Mundial e do Vietnã, substituíram os capacetes do exército por capas de rebeldes e adicionaram X-Wings nas fotos. Eles também desenharam storyboards inspirados em fotos das zonas de conflito do Oriente Médio. Foi a inspiração definitiva para o estúdio prosseguir com os detalhes do conflito.
  • 140_19Batalhas no PacíficoOs soldados da Aliança Rebelde na batalha por Scarif são vistos usando capacetes M1, um tipo usado pelas forças armadas dos EUA de 1941 a 1984. Isso mostra que a cena é inspirada em batalhas travadas em ilhas tropicais como Tarawa e Pelelui no Pacífico. No entanto a locação real fora as Ilhas Maldivas no Oceano Índico.
  • 140_20Che Guevara? O personagem de Saw Gerrera parece ser uma homenagem ao combatente da liberdade argentino, Ernesto ‘Che’ Guevara. Ambos os homens foram considerados extremistas em suas batalhas contra as ditaduras, resultando em visões contraditórias de seus legados.

CONCLUSÃO
Este é um filme de guerra. É um filme sobre uma causa maior. É meu preferido quando se refere aos longas criados a partir do momento que a franquia passou as mãos da Disney. Um dos primeiros pontos é a consciência de como o Império Galáctico pode ser mortal em suas ações. Os Stormtroopers, que nos parecem tão patéticos na trilogia original e que são tão facilmente enganados e mortos por Luke e seus amigos, aparecem letais nesse longa-metragem. Realmente uma força a ser temida. Mas também os Rebeldes são extremamente heroicos e com táticas militares invejáveis.

Mesmo não tendo em cena nenhum jedi, a Força está lá e as informações serão passadas a Obi Wan em seu exílio. Este filme é justamente o fundamento para entendermos com mais propriedades as lacunas de Um Nova Esperança (1977), pois se passa alguns dias antes deste filme. Assim detalhes como Leia é presa, como os planos passam a R2D2 e a história de morte e sacrifício por trás dessas sutis ações. Como também explica fatos maiores como Tarkin no comando da Estrela da Morte, o primeiro planeta a ser destruído ser Alderam, lar de Bail e Leia Organa, entre outros fatores.

Considero um filme obrigatório para as novas gerações que querem adentrar na trilogia clássica sem ficar boiando nas referências. Não que um fã de velha data precise dele para amar a vitória de Luke sobre a Estrela da Morte, mas Rogue One nos apresenta uma ótica poética e bonita que serve de fundo para os episódios IV a VI da franquia. E acredite ao ver esse filme, caro leitor, não perderá seu tempo, pois, afinal: você estará com a Força e a Força estará consigo.

Barra Divisória

assinatura_marco

CONTATO (CRÍTICA)

139_00

SINOPSE
Desde a infância Ellie sempre foi muito curiosa sobre o espaço e,  apoiada e incentivada com o carinho sem fim de um pai atencioso, começou a dar seus primeiros passos no radioamadorismo. Cada pequena descoberta era um evento e motivo de comemoração para aquela inteligente menina. E foi numa noite clara que prenunciava uma chuva de meteoros, que Ted, sem conseguir se despedir, deixou a filha seguir sua jornada solitária. A vida não pegou leve com Ellie, que decidiu se concentrar e fazer o seu melhor, estudando o suficiente para fazer do seu futuro o que quisesse. Optou por seguir contrariando tudo o que era esperado pela sociedade, e guiada pelo coração, se empenhou com o que mais amava, a radioastronomia. Ellie se tornou uma mulher perspicaz, focada e muito decidida, e nada e nem ninguém conseguia interferir em suas convicções. Tanto esforço trouxe retorno, quando nas suas intermináveis leituras do céu conseguiu um resultado positivo. Codificada em sinais de rádio, uma mensagem vinda da estrela Vega, na constelação de Lira, chega trazendo algo que mudaria não só as fundações de Ellie, mas também quebraria vários arquétipos para a humanidade.

139_01

COMENTÁRIOS
Esse é um dos filmes que mais atinge o meu íntimo, pois além de trazer um assunto que gosto muito, que é a astronomia e a possibilidade de existência de vida pelo vasto cosmo, a mensagem relativista de Einstein é abordada de forma leve e poética para que qualquer audiência possa compreender. E se tem algo que sempre me agrada muito, é a democratização de linguagem para facilitar o acesso ao conhecimento. O saber é algo efêmero e desimportante quando você não consegue retransmiti-lo, e nesse sentido tenho Carl Sagan como gênio e herói. Contato (Contact, de 1997), é um drama de ficção científica baseado no romance homônimo do próprio Sagan, lançado em 1985, no qual é retratado de forma ficcional uma cientista da SETI que após anos cobrindo o infinito firmamento, encontra uma misteriosa onda sonora proveniente de Vega, a quinta estrela mais brilhante do nosso céu noturno e que se encontra na constelação de Lira.

139_02

Vamos falar um pouco sobre o que é real aqui e de onde surgiu toda esta ideia. SETI é a sigla em inglês para Search for Extraterrestrial Intelligence, que em tradução é Busca por Inteligência Extraterrestre. Esse programa é real e foi iniciado em 1980 por Carl Sagan, Bruce Murray e Louis Friedman, quando fundaram a U.S. Planetary Society. O objetivo era o proposto no próprio filme, fazer um pente fino no nosso céu esperando encontrar sinais de rádio que pudessem estar ligado com mensagens ou atividades extraterrestres. E foi no dia 15 de agosto de 1977 que SETI ganhou fama, quando Jerry Ehman, um dos participantes do projeto testemunhou um forte sinal captado por um radiotelescópio. Ehman circulou a indicação espectral em um papel e exclamou a descoberta com um “Wow!” Rapidamente aquela impressão circulou pela grande mídia, fazendo o discreto programa receber grande notoriedade.

139_03

Ninguém é completamente uma coisa ou outra quando se trata de racional e emocional, simplesmente nosso cérebro não funciona como talvez tentemos nos convencer. Cada pequena convicção e crença que temos estão interligadas e conversam a todo momento. Em Contato temos Ellie, uma jovem que não conheceu a mãe e que tinha apenas no pai o referencial e alicerce de vida. Devido sua inteligência emocional ser bastante sólida, a jovem não se desespera com a partida do pai, e se apega no entendimento racional de que a natureza funciona desta maneira. Simplesmente as pessoas morrem. Isso era o que ela dizia para si e tentava se convencer, mas a realidade é que em seu subconsciente a não aceitação persistia. Seu ímpeto em renegar a existência de um Deus ou força maior, nada mais era que um grito de socorro silencioso em sua alma por compreender aquilo que estava fora do seu alcance de compreensão e intervenção. E é quando ela conhece Palmer, graduado em teologia e homem que procura boa parte de suas respostas na fé.

139_04

As essências de ambos eram completamente opostas, assim como a árvore de conhecimento que traziam de suas formações como indivíduos. Palmer era alguém aberto e pronto para ouvir e conhecer, romantizava ideias não se importando com certezas absolutas, enquanto Ellie era apaixonada e petulante, questionava com ceticismo e sem ser honesta em querer ouvir discursos dos quais já se sentia convicta de compreender onde chegariam. Palmer enxergava isso nela e mesmo assim a admirava, sabendo que alguém inteligente como Ellie não se força a qualquer coisa, você apenas acompanha e aprecia como escala os degraus evolutivos do autoconhecimento, e se alimenta de satisfação por ter tido a oportunidade de estar presente naqueles momentos. O milagre da vida para Palmer era viver, não tinha exatamente a ver com Deus, e quanto a Ellie, ela ainda precisava compreender sua verdadeira motivação de existir. Não confunda, seu trabalho era a pergunta, e seu milagre seria a resposta.

139_05

COMENTÁRIOS COM SPOILERS
O grande trunfo de Contato não está em trazer a pauta do quão grande é o universo e, o quanto somos insignificantes visto a grandeza de sua vastidão.  Claro, também é sobre isso. Sobre o como podemos ser presunçosos em pressupor que um planeta jovem como a Terra abrigaria o homo sapiens com seus 350 mil anos de existência e, essa criatura fosse capaz e a portadora de toda a filosofia e reflexão sobre a existência do tudo, frente a possíveis bilhões de civilizações com outros bilhões de anos em escala existencial na nossa frente. Sim, sinta-se pequeno! É isso que você é! É isso que eu sou! Não olhe para baixo achando estar no topo da pirâmide do conhecimento, mas olhe para cima com humildade e saiba que toda a verdade sobre o tudo que você possa um dia almejar conhecer, possivelmente está muito além e distante de nós.

139_06

Pode parecer cruel e realmente é para alguns, mas certamente não para você que está lendo humildemente este texto de um desconhecido que nada conhece sobre a sua vida para fazer tais afirmações. Mas eu ouso te sugerir ter orgulho de quem você é, mas o faça através dos vislumbres dos olhos de outros, cobiçando sempre o objetivo de aprimorar o seu futuro. Ademais, nossa inteligência tem uma variedade de aplicações, e não são apenas para escaladas sociais, mas também para encantar, ensinar, em principal, dividir. Se você acha que detêm o ouro e está escondendo para se tornar inalcançável, infelizmente você não compreendeu a mensagem. Para mim Contato é isso, o mergulho numa experiência de uma personagem que inconscientemente quer buscar a verdade, que enxergou isso através dos olhos de um homem crédulo demais para sua realidade, por quem se apaixonou ao notar a mesma integridade que eu pai carregava e que alimentava sua alma. As palavras similares, o tom acolhedor, a forma de pensar, todas essas coisas serviam como um gatilho para Ellie, que mesmo relutante em se entregar, não perdeu o mesmo espírito aventureiro que a fez entrar numa máquina de função e intenção desconhecida.

139_07

Quando Ellie, com pernas trêmulas adentra aquele grande maquinário alienígena, ela não tinha nada além da esperança de que tudo estaria bem. Aquele era o seu verdadeiro rito que a transportaria para uma realidade sem retorno, seu verdadeiro salto da fé. Uma coisa são cientistas confiarem em seus semelhantes e na intenção coletiva de buscarem algum feito ousado, outra é ouvir uma voz desconhecida sugerindo um movimento para uma possível morte. Ou quem sabe algo até pior. Aquela era a verdadeira Ellie, destemida e buscando a verdade para uma pergunta que ainda se formularia num paradoxo de consciência e inconsciência que só almejava o conforto de sua mente em eterno confronto de fé e razão. Precisando ser forte e solitária neste instante, Ellie se agarra na sua natureza impetuosa e se aprofunda num túnel quântico que a transporta possivelmente até Lira.

139_08

A excursão não saiu barata, fazendo incluir a oferta do famoso dilema do destino ou acaso, quando Ellie ao se desprender do seu acento de segurança para recuperar a bússola dada por Palmer, sobrevive ao impacto do abrupto repouso de sua cápsula. Quando finalmente ela toca algo que poderia chamar de solo e, como em seus sonhos com California, era assim que aquele lugar se parecia. Não tarda muito e uma silhueta espectral vai tomando forma ao se aproximar dela. Ellie simplesmente foi presenteada com aquilo que estava registrado em seu íntimo, a figura de seu pai. Aquele não era ele, ela sabia disso, mas em seu coração estava tão confortada com a pureza da ilusão de quem sabe que apenas uma entidade bem intencionada poderia acessar, entender e proporcionar, que se expôs por completo e sem medo a todo aquele momento. Tudo aquilo era para Ellie, e por qual razão ela foi a escolhida e não outro? Talvez por apenas ela procurar com a fé de verdadeiramente encontrar e, quando encontrou, continuou acreditando. Ellie encontrou seu destino e sua verdade, que pode ser baseada até mesmo numa ilusão, mas que para ela ainda assim é a verdade. Ellie entendeu a mensagem de forma alta e clara, câmbio.

139_09

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Jodie Foster, Jena Malone, Matthew McConaughey, David Morse, Tom Skerritt, James Woods, John Hurt, William Fichtner, Angela Bassett, Jake Busey, Rob Lowe, Geoffrey Blake, Max Martini e Steven Ford compõem o elenco. Dirigido por Robert Zemeckis, Contato é um drama de ficção científica baseado no romance homônimo de Carl Sagan com Ann Druyan, publicado em 1985. Adaptado por James V. Hart e Michael Goldenberg, e produzido por Steve Starkey e Robert Zemeckis, o longa da Warner Bros. foi produzido nos estúdios da South Side Amusement Company. Seu orçamento de consideráveis 90 milhões de dólares foram revestidos num faturamento de mais de 170 milhões.

CONCLUSÃO
Não sei se você conhece Carl Sagan e qual era sua proposta quando se tratava de abordar a ciência como um todo. Vou só listar um pouco sobre quem era este brilhante homem, que partiu cedo mas deixou um vasto legado e boas lições. Sagan era cientista, físico, biólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor e divulgador científico, que nas horas vagas se empenhava ao máximo para levar da forma mais simples tudo o que conhecia, e para qualquer um que quisesse aprender. Era o tipo de cara que não te ignoraria na rua, pois sabia que você, um mero desconhecido, poderia ser um oceano de novas descobertas para ele. Considero Contato sua magnum opus, e hoje, mesmo com mais de vinte anos de idade, é um filme atual e que tem muito a ensinar sobre a vida, e não apenas ciência, para qualquer um que esteja disposto a aprender.

Para criaturas pequenas como nós, a vastidão só é suportável por meio do amor.
– Carl Sagan

Barra Divisória

assinatura_dan

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇA (CRÍTICA)

132_00

SINOPSE
132_01Joel é um cara pacato, calmo até demais. Está sempre mergulhado nos próprios pensamentos tendo bastante dificuldade de expressar seus sentimentos, e recorre sempre em anotar e desenhar todas as suas experiências diárias. Aquele pequeno caderno era seu único confidente, até que certo dia ele conhece Clementine, uma mulher impulsiva e inquieta, muito diferente da forma que ele agia. Mas isso não foi um impeditivo, a paixão foi avassaladora e um se entregou ao outro sem ponderar qualquer estranheza bastante rápido. Certo dia Clementine em um dos seus impulsos decide contratar um serviço curioso, no qual todas as suas memórias sobre um alguém poderiam ser apagadas. E assim Joel é excluído por completo das lembranças da moça, fazendo com que o introspectivo rapaz se desesperasse. Ele não compreendia a razão dela ter feito aquilo, mas decidiu que já que as coisas eram assim, então também a esqueceria. Durante o processo de limpeza, Joel passa por experiências transcendentais, acabando por se convencer a desistir de perder aquelas coisas que o fizeram tão bem em pelo menos parte da sua vida, no entanto, de que forma ele poderia desistir daquilo que escolheu começar?

132_02

COMENTÁRIOS
Apesar de contar com um elenco de grandes nomes, Brilho Eterno é um filme que se destaca por si só, não dependendo apenas de seu elenco. Ele conta inclusive com a participação de estrelas como Kirsten Dunst, que apesar de uma participação pequena, traz grande relevância para a história. Mas, a sua força está no roteiro de Charlie Kaufman, ganhador do Oscar como Melhor Roteiro Original, que traz de forma muito sensível essas memórias, muitas vezes dolorosas, de uma relação exausta, desgastada pelas diferenças e pela rotina, fazendo com que Joel e Clem sequer consigam dialogar sem se atacarem, mas cenas estas que enriquecem de forma significativa a obra.

132_03

A fotografia de Ellen Kuras acentua os tons frios que entram em choque os cabelos e as roupas coloridas de Clementine, caracterizando ainda mais a sua personalidade excêntrica, além de que, as cores de seu cabelo ajudam o telespectador a viajar de maneira mais precisa, entre fatos ocorridos no passado, presente e futuro. Destaca-se também a inspirada trilha sonora de Jon Brion que só acentuam a melancolia da história, principalmente, na cena inicial onde vemos Joel passando por um momento de angústia em seu carro, marcado por uma trilha sonora que nos envolve em seu drama.

O diretor francês Michel Condry mostra muita segurança, principalmente quando trabalha com materiais tão complexos e, umas das curiosidades do filme, é que Michel estava passando por um término de relação durante as gravações de Brilho Eterno, fazendo com que ele mesmo admitisse publicamente que o que parece muitas vezes clichê nas histórias de amor, tomam maior profundidade e significado quando são vivenciadas por nós.

“(…) Como é imensa a felicidade da virgem sem culpa.
Esquecendo o mundo, e pelo mundo sendo esquecida.
Brilho eterno de uma mente sem lembranças!
Cada prece é aceita, e cada desejo realizado”

O título do filme é a estrofe do poema “Eloisa to Abelard”, de Alexander Pope, que inclusive é mencionado no filme, pela personagem de Kirsten Dunst. A obra de Pope, curiosamente, trata-se também de um trágico final de relacionamento e diz que um amante tem de fazer diversas coisas, como amar, odiar, arrepender-se, e muitas vezes até dissimular, mas nunca esquecer-se. É disso que se trata Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças, uma história de amor, que mesmo com seus mais dolorosos momentos, ainda é melhor do que jamais tê-la vivido.

132_04

COMENTÁRIOS / COM SPOILERS! Para fugir do spoiler pule para O ELENCO E FICHA TÉNICA, depois conclua sua leitura.

“Até agora, a tecnologia foi bem-sucedida em fazer-nos esquecer de tudo… exceto as coisas das quais não queremos lembrar”

, foram as palavras ditas pelo diretor Michel Gondry.

O que esta frase lhe traz à tona quando você pensa em situações (ou pessoas) das quais gostaria de apagar da sua mente? Porque, quando me faço esta pergunta, noto que as coisas das quais mais gostaria de me esquecer, são justamente as, que de alguma forma, mais me afetam. E se me afetam de forma tão profunda, tão significativa, a ponto de me fazer focar nelas tanta energia, será que seria possível, de fato, esquecê-las? Seria possível algum tipo de tecnologia ou terapia capaz de nos fazer superar e esquecer situações e pessoas que estão tão enraizadas em nós?

132_05

Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças, obra do diretor Michel Gondry, é um filme de 2004, mas continua sendo um filme atual e marcante. Sensível, profundo, ele nos leva a trilhar um caminho por onde passamos pelo romantismo doce e tímido de um começo de relação, aos momentos mais sombrios de seu término. Numa viagem interna e exclusivamente sua, Brilho Eterno não lhe promete nenhuma resposta, apenas mais perguntas sobre o quanto são marcantes algumas pessoas que cruzam nossos caminhos e a forma curiosa e misteriosa com que entram e saem de nossas vidas.

132_06

Jim Carrey, ao contrário de quase todos os seus papéis anteriores, traz um Joel introspectivo, tímido e quase sempre inseguro, que busca desesperadamente entender sua parceira Clementine, interpretada por Kate Wislet, que é uma mulher cheia de conflitos internos e dona de uma personalidade explosiva e muito impulsiva. O filme já valeria a pena pela interpretação impecável dos dois, mas ele nos leva numa viagem ainda mais profunda.

132_07

Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) são um casal como tantos outros, que passam por momentos bons e ruins de toda relação, mas que ao se depararem com diferenças tão significativas de personalidade, são tentados a achar que a única solução para eles é o término da relação. Auxiliados por uma empresa especializada em apagar memórias, os dois resolvem que esta é a única medida razoável para que possam seguir suas vidas, sem as lembranças um do outro. O que Joel e Clem não contavam, são que nossas memórias são carregadas de sentimentos e, mesmo as mais distantes, criam ramificações em nosso presente, a partir do momento que são compartilhadas com quem amamos.

132_08

Exemplo: A lembrança de um sorvete tomado numa tarde de verão da sua infância, não estará mais isolada em seu passado, se numa num momento de profunda intimidade e cumplicidade, você descreveu detalhadamente àquela tarde para quem você ama hoje. Nas próximas vezes que você lembrar daquela tarde de verão, ela virá carregada de lembranças doces do seu interlocutor de hoje.

132_09

Sim, cada detalhe da sua vida, cada memória, carrega e carregará para sempre marcas das pessoas pelas quais passaram por ela. A sua comida preferida, a marca de shampoo que usa, as conversas na mesa de jantar, a roupa que você veste, as musicas que você ouve, tudo vem carregado de memórias e influências de pessoas que passaram pela sua vida. Sendo assim, Brilho Eterno, te leva numa aventura muito intensa, na mente de um casal que tenta desesperadamente esquecer-se um do outro, e suas descobertas sobre o quanto marcamos a vida e a mente daqueles que amamos.

132_10

Não são apenas as memórias enraizadas um do outro que nos chamam tanta atenção nesta história, mas nos pegamos pensando até, em até que ponto o amor que sentimos por alguém, está apenas em nossa mente, já que em momentos diversos notamos nos personagens um vazio, uma angústia, um sentimento de falta, mesmo após o procedimento realizado. E não só isso, mas um sentimento de voltar-se a se atrair e se apaixonar pela mesma pessoa mais de uma vez, mesmo que sua mente não traga mais as lembranças desta pessoa. Claro, que esta é uma visão muito mais romântica do que psicológica, mas completamente aceitável para os cinéfilos mais românticos.

132_11

São várias as perguntas que nos fazemos ao final dessa doce e angustiante viagem com Joel e Clem. Inclusive, uma que julgo de grande importância ao se colocar no lugar destes personagens, que seria: O quanto teríamos de aprendizado e amadurecimento, se a cada decepção na vida, pudéssemos simplesmente apagar a experiência vivida e seguir em frente? O que teríamos de bagagem para usarmos em futuras relações para que não sejam cometidos os mesmos erros?

132_12

Uma coisa é certa, Joel e Clem aprenderam algo que, pelo menos na teoria, todos nós sabemos muito bem, que é entender que qualquer forma de relação humana traz desafios, dificuldades, rotina, as vezes até a necessidade de um tempo maior para adaptação, mas que ainda assim, mesmo com todos essas dificuldades e mesmo diante de uma personalidade completamente diferente da sua, é possível usarmos do amor e da razão em medidas iguais, decidindo de forma racional e lúcida enfrentar juntos as diferenças, mas sempre em nome deste amor que transcende à própria mente humana.

132_13

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Jim Carrey, Kate Winslet, Kirsten Dunst, Mark Ruffalo, Tom Wilkinson, Elijah Wood, Jane Adams, David Cross, Deirdre O’Connell e Thomas Jay Ryan compõem o elenco. Dirigido por Michel Gondry, Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, é uma filme de comédia dramática de romance, suspense e ficção cientítica estadunidense lançado em 2004. Adaptado por Charlie Kaufman, o longa se baseia numa história do próprio Kaufman em conjunto com Michel Gondry e Pierre Bismuth. Produzido por Steve Golin e Anthony Bregman, utilizou os estúdios da Anonymous Content e da This is That Production. Com cinematografia de Ellen Kuras, foi editado por Valdís Óskarsdóttir, e sua trilha sonora é composta pelo multi-instrumentista Jon Brion. Distribuído pela Focus Features LLC, a produção teve um orçamento de US$ 20.000.000, e faturou US$ 72.300.000.

132_14

PREMIAÇÕES
Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças foi um dos filmes que mais repercutiu em 2004, sendo grande sucesso de crítica e público. Recebeu em 2005 o Oscar para Melhor Roteiro Original, e Kate Winslet foi indicada como Melhor Atriz. No BAFTA de 2005 recebeu dois prêmios, Melhor Montagem e Melhor Roteiro Original, bem como foi indicado nas categorias Melhor Ator para Jim Carrey, Melhor Atriz para Kate Winslet, Melhor Direção, e Melhor Filme. Na Dinamarca foi indicado ao Prêmio Bodil na categoria Melhor Filme, na França com Prêmio César de Melhor Filme Estrangeiro, e no European Film Awards de 2004 foi também indicado como Melhor Filme Estrangeiro. Indicado em quatro prêmios do Globo de Ouro nas categorias Melhor Filme Musical ou Comédia, Melhor Ator em Filme Musical ou Comédia para Jim Carrey, Melhor Atriz em Filme Musical ou Comédia para Kate Winslet, e Melhor Roteiro. No Screen Actor Guild Kate Winslet foi indicada como Melhor Atriz, enquanto venceu na categoria Melhor Roteiro na Writers Guild of America. Na premiação do Satellite Awards foi indicado em três categorias, Melhor Filme de Comédia ou Musical, Melhor Atriz de Comédia ou Musical para Kate Winslet, e Melhor Efeitos Visuais. Por fim foi indicado no Grande Prêmio BR do Cinema Brasileiro como Melhor Filme Estrangeiro.

CONCLUSÃO
O Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças não acaba na obra, pois mesmo após o seu término, ele continua presente em nossa mente. E apesar de sua classificação ser para 14 anos, não é um filme de público alvo tão abrangente. É um romance para quem gosta desta viagem interna na mente humana e suas relações, sendo então mais indicado a um público disposto a não somente consumir, mas interpretar a obra por completo.

Barra Divisória

assinatura_milena

BACURAU (CRÍTICA 1)

125_00

No ano de 2019, houve diverso lançamentos muito bons no cinema. Um dos melhores, para mim, foi Bacurau com direção de Kleber Mendonça Filho (Aquarius, 2016) e Juliano Dornelles. O enredo se passa no interior do sertão nordestino, mais precisamente em Pernambuco, em um vilarejo que dá o nome à obra. Logo no início contemplamos como essa comunidade lida com a morte de uma moradora muito querida por todos, dona Carmelita, aos 94 anos.

O interessante que essa narrativa se passa em um futuro próximo, contudo a ambientação, à primeira vista, parece retratar um tempo muito antigo. Nesse aspecto me lembrou outro filme maravilhoso que é Narradores de Javé (2004) e, ao adentrarmos na atmosfera de Bacurau, percebemos seus telefones, tablets e telões de LED que dão o tom moderno à um local rústico.

Outro aspecto pitoresco diz respeito ao funcionamento da dinâmica entre os moradores. Se por um lado é Tereza (Barbara Colen) quem traz remédios da cidade grande, é a médica Domingas (Sonia Braga) que os distribui para todos e atende a qualquer pessoa que venha ao seu consultório.

125_01

COMENTÁRIOS COM SPOILERS
Durante uma aula, o professor Plínio e seus alunos, percebem que Bacurau simplesmente “sumiu” do mapa e partir daí que as coisas se complicam. A população descobre que está sendo caçada, contudo não sabe por quem. Os algozes são, na verdade, um grupo de estrangeiros sádicos que resolvem exterminar aquela população e, para isso, contam com a ajuda de dois brasileiros do Sul/Sudeste para obter tal êxito.

Para mim, uma das cenas mais geniais diz respeito à reunião desse grupo em que um dos brasileiros “brancos” se vê como muito mais parecidos com os estrangeiros do que com seu povo. E um dos assassinos rebate que apesar da cor clara, seus traços denunciam sua origem, que “ no máximo são mexicanos brancos”. Isso demonstra bem como vivemos o racismo em nosso país: muitos renegam sua ancestralidade para fingir ser alguém que realmente não é.

125_02

Na segunda parte do filme é que se passa o conflito em si. O sinal de comunicação é bloqueado e então toda a dinâmica de Bacurau é abalada. Há assim algumas mortes entre os cidadãos, mas inflamados por Lunga (Silverio Pereira) resolvem se armar e se defender do inimigo invisível que os espreita.

O filme é uma celebração, uma ode à população brasileira, sobretudo nordestina que luta contra as adversidades tanto estrangeiras quando dos seus compatriotas. É notável que no filme e no restante do país, o clima é de completo caos social, e que aquele pequeno oásis no sertão é uma forma de resistência às injustiças.

A trilha também conta com duas musicas especialmente tocantes: Não Identificado de Gal Costa e Réquiem para Matraga de Geraldo Vandré, ricas por seu valor simbólico em cada momento do filme. O final é violento e ao mesmo tempo sensível. No entanto, ao chegar ao desfecho, todo aquele assistir, que “ ♪ não entendeu, não perde por esperar… ♪ ”, literalmente.

125_03

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Sônia Braga, Udo Kier, Bárbara Colen, Silvero Pereira, Thomás Aquino, Karine Teles, Antonio Saboia, Lia de Itamaracá e Wilson Rabelo compõem o elenco. Coprodução entre França e Brasil, Bacurau, filme de 2019 é escrito tanto escrito como dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, e tem produção de Emilie Lesclaux, Saïd Ben Saïd e Michel Merkt. Conquistou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes de 2019, tornando-se o segundo longa brasileiro da história a ser laureado no certame geral, após O Pagador de Promessas (1962) de Anselmo Duarte. Além de premiado em diversos festivais de cinema, Bacurau foi selecionado para mostras principais de festivais não competitivos prestigiados mundialmente, como o Festival de Nova York (NYFF).

assinatura_julianna

HAN SOLO: UMA HISTÓRIA STAR WARS (CRÍTICA)

121_00

Situado 9 anos depois da ascensão do Império Galáctico (A Vingança dos Sith, 2005) e 10 anos antes da Batalha de Yavin, na qual a Estrela da Morte é destruída (Uma Nova Esperança, 1977), Han Solo: Um história Star Wars (2018) encara a tarefa de traçar as origens do famoso contrabandista e piloto da Millennium Falcon que foi eternizado pelo ator Harrison Ford na trilogia original.

Han, um órfão que cresceu pelas ruas de Corellia, vê-se obrigado a trabalhar para as gangues locais em companhia de seu amor de infância, Qi’ra. De posse do valioso coaxium, combustível espacial que quando refinado torna possível o salto no hiperespaço, o rapaz pretende subornar, enganar a tudo e a todos para fugir do planeta (sob domínio do Império e das máfias) para começar uma vida nova com Qi’ra. No entanto o destino os separa levando a caminhos diferentes: ele ingressa no Império, ela é presa pela máfia de Corellia.

Han Solo almeja voltar e resgatar sua amada, mas a sua jornada exigirá muita coragem e astúcia até reencontrar Qi’ra. Formará amizades eternas, como a de Chewbacca, e a rivalidade com Lando Calrissian, além de encontrar e pilotar pela primeira vez a Millennium Falcon. Han descobrirá que não pode ficar alheio à injustiça na Galáxia e a medida que foge das responsabilidades, mais perto estará de se opor ao Império Galáctico.

121_01

Título original: Solo: A Star Wars Story
Direção: Ron Howard
Roteiro: Jonathan Kasdan e Lawrence Kasdan
Duração: 2h 15min
Lançamento: 24 de maio de 2018

121_02

Elenco: Alden Ehrenreich (Han Solo), Woody Harrelson (Tobias Beckett), Emilia Clarke (Qi’Ra), Donald Glover (Lando Calrissian), Thandie Newton (Val), Phoebe Waller-Ponte (L3-37), Joonas Suotamo (Chewbacca) e Paul Bettany (Dryden Vos).

121_03

SOLO UMA ORIGEM
Qualquer fã fervoroso da franquia ficou apreensivo com um filme sobre Han Solo, o personagem mais célebre de Star Wars que não é nem jedi nem sith. Aliás é o primeiro filme em que os jedis não são sequer mencionados.

A fenomenal atuação de Harrison Ford na trilogia inicial é um daqueles bastiões da sétima arte quase impossíveis de ultrapassar ou manchar. O próprio Ford sabia disso e, mesmo adorando o novo filme, escolheu não participar da premiere com o resto do elenco a fim de deixar o jovem Han Solo, Alden Ehrenreich, brilhar. Então, ao se aventurar por este longa-metragem, encare como duas atuações diferentes, mas que o jovem Solo introduz a genialidade daquele que será essencial para a vitória Rebelde ao lado de Luke e Leia.

Como um filme de origem, o longa propõe elucidar uma série de fatos em torno da dupla Han Solo e Chewbacca que são aludidos a todo momento nos episódios IV a VI da franquia. Se o contrabandista tem muito de seu passado demonstrado nesse filme, mostrando uma infância e adolescência entre meninos de rua de Corellia, fato que o tornou um trapaceiro nato; o wookie (nome da raça do Chewie) já havia aparecido na saga. Durante A Vingança dos sith (2005) estava na frente de batalha contra a invasão clônica de Kashyyyk. Depois que Chewbacca ajuda o Grande Mestre Yoda a fugir, depois da ordem 66, pouca se sabe do grandalhão peludo.

121_04

Após fugir de Corellia, deixando sua amada nas garras de Lady Proxima, mafiosa local, Han Solo (que ganha esse nome de um oficial do Império pelo fato de ser “sozinho” e sem família) entra para academia militar para ser “o melhor piloto que já existiu”. Todavia é expulso por insubordinação e torna-se soldado da infantaria do Império em Mimbam. É no fronte, entre os Stormtroopers que Han conhecerá o bando de Tobias Beckett e na prisão militar, condenado a morrer pela “fera”, que lutará contra Chewbacca. Estão lançados aí os ingredientes básicos para a dupla Han e Chewie: ambos viram contrabandistas de Beckett para se salvar dos Imperiais, e Solo trava amizade com o wookie por ser o único a entender o idioma do grandalhão, pois aprendera enquanto vivia nas ruas de Corellia.

A última peça do quebra-cabeça é justamente a mitologia envolvendo a Millennium Falcon, prêmio de um jogo de cartas. Ao fracassarem em um roubo de coaxium, combustível espacial valiosíssimo, Beckett se vê me apuros pois deve a Dryden Vos, chefão da organização denominada Aurora Escarlate. Ao travar contato com o vilão, reencontra Qi’Ra, agora braço direito do mafioso. Para roubar o produto bruto, precisa ir as minas de Kessel e levar rapidamente a um refinaria no planeta Savareen. Para isso Qi’Ra sugere usar Lando Calrissian, contrabandista veterano e dono da Millennium Falcon, nave que ele já tinha conseguido por meio de trapaça durante uma partida de Sabacc, um jogo de cartas. Entre Han e Lando, rivalidade à primeira vista; com a Falcon, amor.

Por fim, não menos importante, conhecemos a famosa narrativa de Han Solo e Chewie para fuga de Kessel em 12 parsecs (uma rota de distância fixa dentro de uma nebulosa que leva normalmente 20 parsecs), algo que só foi possível por uma turbinada de coaxium com direto a fugir de uma fera espacial (Mandíbula) e um buraco negro. Uma das cenas mais eletrizantes do longa-metragem.

121_05

REFERÊNCIAS CINEMATOGRÁFICAS
A produção de Han Solo: Uma história Star Wars, ao longo da trama, presta homenagem a algumas cenas clássicas do cinema aqui revisitadas pela ficção científica. Claro que uma das mais icônicas é justamente o olhar de despedida de Han e Qi’ra que muito se deve ao filme Casablanca (1942). Isso me chamou a atenção de imediato, mas outras referências estão ali. Leia algumas!

  1. 121_06Perseguição de “carros”Não é uma grade novidade em filmes estadunidenses, mas aqui é feita por speeders (planadores), algo visto também no Episódio II – O ataque dos clones (2002). Contudo a rápida perseguição a Han por Moloch, capanga de Lay Proxima, teve como inspirações as enormes docas industriais de Long Beach (Califórnia) e a icônica corrida de carros em Grease (1978), grande clássico de John Travolta.
  2. 121_07Guerra de trincheiraAs cenas em que Han experimenta o combate Imperial em Mimvan foram inspiradas pela guerra de trincheiras na Primeira Guerra Mundial e muito comum em filmes que retratam esse período como, por exemplo, a releitura do longa-metragem da Mulher Maravilha (2017) ou o clássico Pelo Rei e Pela Pátria (1964).
  3. 121_08Serviço Secreto em Ação (1967) – Ao desmontar um rifle, transformar na blaster clássica e jogar para Han Solo, Tobias Beckett faz referência ao filme de Frank Sinatra. Nele, o ator clássico desmonta um rifle baseado em uma Mauser C96 (designer que influenciou a confecção do blaster de Han). Aliás, ainda em relação ao armamento,  a pistola de Qi’ra é inspirada ligeiramente em uma obscura pistola da Segunda Guerra Mundial, a Mannlicher M1905.
  4. 121_09Butch Cassidy (1969)O filme de George Roy Hill serviu de inspiração para o assalto ao trem de Vandor. No clássico filme, Butch Cassidy e The Sundance Kid são os líderes de um bando de criminosos que depois de um assalto a um trem que dá errado, eles se veem em fuga com uma legião de perseguidores em seu encalço.
  5. 121_11Faroeste nas estrelasVandor representa a viagem em direção à nova fronteira, tipicamente vista no gênero faroeste. As Montanhas Rochosas, Chile, Patagônia e Dolomitas na Itália serviram de inspiração para a paisagem gelada do planeta. Mas não para por aí. A sequência do roubo do trem foi concebida, inicialmente, como um clássico filmes western, com o bando de Beckett (que tem um visual de cowboy) entrando no trem por meio de uma manada de kod’yak’s. No entanto a cena foi suprimida por causa do tempo de execução. Claro, e não podemos deixar der ver a cena da partida de baralho com trapaça em um saloon. Ao contrário de Maverick (1994) com Mel Gibson,  em Han Solo o pôquer é substituído por uma partida de Sabacc, mas contexto é semelhante.
  6. 121_12Cinemataca São muitos os ganchos para outros sucessos de Hollywood que são referidos nesse longa-metragem. Filmes como Profissão: Ladrão (1981), Fogo Contra Fogo (1995), O Homem que Burlou a Máfia (1973), O Salário do Medo (1953), O Comboio do Medo (1977), Fuga do Passado (1947), Os Implacáveis (1972), Meu Ódio Será Sua Herança (1969), O Paraíso Infernal (1939), Sete Homens e um Destino (1960), O Poderoso Chefão II (1974) e O Tesouro da Sierra Madre (1948) tiveram influência da história e do estilo no roteiro final de Lawrence e Jonathan Kasdan.

CURIOSIDADES

  • 121_13Antes da Nova EsperançaA cena de abertura em Corellia e a de Rogue One: Uma História Star Wars (2016), na qual Krennic leva Galen Erso, engenheiro chefe da Estrela da Morte, acontecem 13 anos antes dos eventos de Star Wars, Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977).
  • 121_14A idade de ChewbaccaEste é o primeiro filme Star Wars em que Chewbacca revela sua idade: 190 anos. Isso significa que ele tem 200 anos em Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977).
  • 121_15Caçadores de recompensaHá muitas referências aos Caçadores de Recompensa clássicos. Em uma conversa com sua esposa Val, Tobias Beckett discute sobre a possibilidade da ajuda de profissionais como a irmãs Zan (a mais conhecida tentou matar Padmé Amigdala no Episódio II – O Ataque dos Clones, 2002) ou Bossk, mercenário tradoshiano (recorrente na série animada Clone Wars, 2008) bem como um dos bandidos que treze anos depois seria contratado para rastrear a Millennium Falcon e seu piloto em O Império Contra-Ataca (1980). Lando menciona, ainda, que Tobias Beckett matou Aurra Sing, empurrando-a para a morte. Cabe lembrar que Aurra Sing foi uma caçadora de recompensas que apareceu pela primeira vez assistindo à corrida de pods no Episódio I: A Ameaça Fantasma (1999) e que se tornou a mestra de Jango Fett como apareceu na série animada Star Wars: The Clone Wars (2008).
  • 121_16Indiana JonesNa nave de Dryden Vos, há mostruários de exibição e, entre todos os tesouros, alguns que podem ser reconhecidos por outra franquia de filmes: “Indiana Jones”. Há as Pedras Sankara de Indiana Jones e o Templo da Perdição (1984), o ídolo da fertilidade de  Os Caçadores da Arca Perdida (1981) e também o próprio Santo Graal. Existem, também, relíquias da franquia Star Wars como uma armadura mandaloriana, holocron sith, entre outras.
  • 121_17Jabba, o HuttPor duas vezes, é mencionado o fato de Han se juntar a um grande chefe do crime em Tatooine para “um trabalho”. Provavelmente esta é uma referência a Jabba, o Hutt, que perseguirá o herói em O Império Contra-Ataca (1980) e será morto em O Retorno do Jedi (1983).
  • 121_18No capacete de Enfys Nest, líder dos Cloud Riders, está escrito um poema em Aubesh (idioma introduzido em O Retorno do Jedi, ). Sua tradução: “Até chegarmos à última borda, a última abertura, a última estrela, e não pode subir mais”.
  • 121_19BenthicOs Rebeldes que aparecem no final do filme incluem um guerreiro alienígena com uma máscara preta no rosto e dois tubos saindo de seu rosto. Este é Benthic, o segundo em comando de Saw Gerrera em Rogue One: Uma História Star Wars (2016). O personagem também apareceu em alguns quadrinhos após os eventos de Rogue One como tendo ocupado o lugar de líder Rebelde em Jedha e termina conhecendo os principais heróis trilogia clássica.

CONCLUSÃO: “Tudo que você ouviu sobre mim é verdade”
Apesar dos problemas de produção e troca de diretores, apesar da tensão e audácia de revirar e revelar a vida de um dos personagens mais amados do mundo Star Wars, Han Solo: Uma história Star Wars acaba sendo uma agradável surpresa.

O fato do filme não estar alicerçado, diretamente, na tensão mítica entre os Lado da Luz e o Lado Negro da Força, faz com que a história transcreva de forma leve, cheia de ação e com boa tiradas de humor. Não podemos comparar o humor irônico de Harrison Ford com o do jovem fã Alden Ehrenreich. O jovem Han Solo consegue preservar a nossa memória do herói da trilogia clássica, sem deixar de ter uma boa pitada de inovação.

Considero, desde que a Disney assumiu a franquia, um dos melhores filmes da nova fase perdendo apenas para Rogue One: Uma história Star Wars (2016). Claro que não podemos abstrair fato de que o filme em si é uma grande colcha de retalhos cinematográficos com muitas referências a história do cinema. No entanto isso não tira o mérito de modificar o nosso olhar e contextualizar as gerações atuais para um dos heróis mais queridos de Star Wars.

Para quem gosta da franquia, esse spin-off (produção derivada) não deixa a desejar no sentido que se conecta em muitos sentidos a toda mitologia “Guerra nas Estrelas” desde mostrar origens em torno de Han Solo e Chewie, como conectar a trilogia prequela (Episódios I, II e III) à trilogia clássica (IV, V e VI). Agora se você não é um fã, assistirá a esse longa como um bom filme de ação futurística e quem sabe até seja conquistado. Tudo vai depender SOLAmente de você, se vai querer conhecer ou não o maior piloto da galáxia e que fez o percurso de Kessel em apenas 12 parsecs.

Barra Divisória

assinatura_marco

ID – O PSICÓLOGO DE ROBÔS (NEWS)

SINOPSE

No futuro, uma série de robôs é criada com um sistema operacional que simula o consciente e inconsciência tal qual Freud explicou, com algoritmo que simulam o ID, Ego e SuperEgo. Robôs com esse sistema operacional eram mais inteligentes e capazes de criar infinitas soluções para qualquer problema, mas tal como nos humanos, começaram as psicopatologias: Robôs com depressão, ansiedade, crise de pânico, bipolaridade etc. Para resolver esse problema uma nova profissão é criada: o psicanalista de robôs.

 

117_01

Capa do livro, ilustração de Vitor Wiedergrün.

DO QUE SE TRATA?

De forma resumida este é um filme de ficção científica sobre inteligências artificiais que desenvolveram emoções. Histórias sobre robôs não faltam na nossa biblioteca de contos humanos. Nomes como Isaac Asimov, Arthur C. Clarke, Philip K. Dick, inspiraram gerações a pensar sobre o futuro e, no como a humanidade poderia ser substituída, ou mesmo superada por novos seres, mais desenvolvidos e criados por nós. Sem contar os filmes que tratam desse tema cada vez mais contemporâneo. ID – O Psicólogo de Robôs é um projeto de longa metragem que também bebe dessa fonte, e almeja ampliar ainda mais o catálogo desse gênero, trazendo novos elementos e modos de contar essa epopeia distópica sobre relações entre humanos e robôs. Se baseando no livro O Psicanalista de Robôs de Gabriel Billy, os envolvidos no projeto enxergam grande, e almejam dar vida a uma referência do cinema brasileiro de ficção científica. Então vamos conhecer um pouco sobre seus personagens centrais.

 

CURTA METRAGEM

Para mostrar um pouco da história do longa, foi feito um curta no começo de 2019. Uma história paralela ao longa que mostra como esse tema tem um potencial enorme.

SINOPSE DO CURTA: Em mais um dia normal de trabalho, Adão encerra seus atendimentos psicológicos com uma paciente que guarda um segredo que precisa contar para alguém. Adão usará todas as suas habilidades para descobrir o que Alexa esconde, mas pode ser que seus segredos sejam muito maiores do que ele imagina.

 

PERSONAGENS

  • Adão (Junior Osvald): É principal psicólogo de robôs da PSY, um homem inteligente mas que sente muita culpa, e procura de alguma forma a redenção.
  • Zoe/Lilith (Sthefany Lorentz): Um robô criado para satisfação sexual, mas que não quer se relacionar, consegue sentir amor e, tem dupla personalidade.
  • Samuel: O chefe da PSY, um homem frio que enxerga os robôs como tecnologia robótica desenvolvida com o mero fim de atender as necessidades dos homens.
  • Lúcia (Karolline Santana da Silva): Líder dos naturalistas. Uma mulher decidida e que busca uma salvação final para a humanidade.
  • Miguel: Líder dos techis, um homem que acredita na utopia de um dia robôs e humanos serem capazes de conviver em harmonia.
  • Elisa (Isadora Bittencourt): Recepcionista da PSY, é uma mulher misteriosa e que parece saber muito mais do que demonstra.
  • Max: Este é o elhor amigo de Adão, é um homem cheio de preconceitos quanto aos robôs, em uma única palavra, “robofóbico”.
  • Evelyn (Joanice Castro): Esposa falecida de Adão, uma mulher que sofria de uma depressão tão profunda, que nem mesmo seu marido psicólogo conseguiu ajudar.
  • Harriet: Um robô que trabalha com Lilith para que um dia seus semelhantes sejam finalmente libertos.
  • Gabriela: Atriz trans que apoia a causa dos techis.

 

117_03

Parte da equipe reunida

A EQUIPE

DIREÇÃO
Diretor, Roteirista e Produtor: Rikardo Santana-Silva
1º Assistente de Direção: Mateus Ross
2º Assistente de Direção: Annelyse Bosa
Assistente de Produção: Eraldo Mota e Rayssa de Souza
Supervisor de Roteiro: Jacob Galon
Coordenadora de Roteiro: Tallyta Moraes
Preparador de Elenco: Junior Pereira
Consultora: Isadora Souza
Fotografia de Still: Mikaella Carbonera
Making of: Tata
Storyboard: Letícia Gomes
Estagiários: Rafael Elias e Matheus Fronza

ARTE
Designer de Produção & Figurinista: Luciana Lourenço
Assistente de Arte: Jessica Nayara
Assistente de Figurino: Letícia Ross
Decoradora de Set: Viv Brüschz
Assistente de Decoração de Set: Laura Maria Toledo
Contraregra: Larissa Martins
Maquiagem & Cabelo: Joanice Castro
Assistente de Maquiagem: Rafael Bonacin

FOTOGRAFIA
Diretor de Fotografia: Guilherme Labiak
1º Assistente de Fotografia: Max Martins
2ª Assistente de Fotografia: Bianca Leal
Gaffer: Roberto Willan
Best Boy: Oraci Pereira
Second Unit: Fernanda Suguimati
Assistente de Second Unit: Juliana Vilela
Operador de Drone: Pablo Vaz

PRODUÇÃO
Diretor de Produção: Edgar Krüger
Gerente de Locação: Willians Camargo
Assistente de Catering: Matheus Cassiano
Técnico de Som: Carlos Lemos
Microfonista: Ana Lemos
Logger: Gabriel Eckstein

EDIÇÃO
Editora & VFX: Thamires Trindade
Assistente de Edição: Gabriel Eckstein
Colorista & Editor de Trailer: Nyck Maftum
Edição de Som & ADR: Lucas Pereira
Música Original: Gabriel Billy
Foley: Ana Lemos e Carlos Lemos
Title Designer: Helen Sippel
Tradução & Legendagem: Beatriz Sganzerla

COMUNICAÇÃO
Diretor de Comunicação: Phillipe Halley
Assessora de Imprensa: Joceline Alemar
Divulgação Digital: Brenner Natal
Redes Sociais: Luciana Lourenço
Website: Karolline Santana da Silva
Design Gráfico: Dany Ribeiro

 

117_04

DESAFIOS DE PRODUÇÃO

A Produtora Banana Filmes Curitiba começou atuar no ano de 2017, sendo um grupo de alunos da Hollywood Film Academy. Atualmente, está formalizada como uma produtora cinematográfica e possui um corpo de nove colaboradores: Edgar Krüger, Gui Labiak, Jacob Galon, Jessica Nayara, Karolline Santana da Silva, Luciana Almeida, Mateus Ross, Rikardo Santana-Silva e Viv Brüschz. A produtora tem como foco a produção de cinema, e para isso está recorrendo a novas maneiras de financiar seus filmes. A Banana Filmes já fez dois longas metragens, cada um tendo um custo total de R$2500,00. Esse valor foi bancado pela própria equipe e elenco, pois todos tinham o sonho de fazer um longa, custasse o que fosse. O primeiro longa foi Eterno Retorno, gravado em um plano sequência, e o segundo, Trieu, gravado em inteiramente em inglês, ou seja, sempre se colocando um desafio nas produções. No total já foram feitos pela equipe 10 curtas metragens, 5 videoclipes, 1 piloto de série e 2 longas. O desafio com ID – O Psicólogo de Robôs é um pouco maior, e para isso a produtora irá precisar de ajuda de novos colaboradores.

 

117_05

COMO FAZER PARTE E AJUDAR?

O filme irá passar por três etapas, a pré-produção, produção e a pós-produção. E como qualquer coisa bem feita, é necessário não apenas esforço, mas investimento financeiro. Então o que você acha do seu negócio estampar como um dos apoiadores deste trabalho de arte? Não entenda este gesto como uma simples ajuda, mas como um investimento real para o seu trabalho. A propaganda é a alma do negócio, correto? Então se você tem uma marca e gostaria de ter seu nome associado à uma boa ideia, está aí uma ótima forma de se promover enquanto ajuda um excelente projeto a sair do papel!

O programa escolhido para o financiamento coletivo é o Catarse, então clique aqui para conhecer ainda mais sobre o próprio projeto, e como você pode ajudar.

O NerdComet não recebe nada com esta divulgação, apenas temos como lema apoiar todas aquelas boas ideias e vê-las concretizadas. Este também é um excelente tipo de pagamento. Então se você não pode colaborar financeiramente, não tem problema, apenas divulgue esta ideia nas suas redes sociais e entre sua network. Vamos ajudar este filme acontecer!

Barra Divisória

assinatura_dan

20TH CENTURY BOYS – TRILOGIA (CRÍTICA)

114_00

SINOPSE
114_01Kenji é um cara adulto perto dos quarenta, solteiro, morando com a mãe e, quem cuida da pequena Kanna, sobrinha deixada por sua irmã qual desconhece o paradeiro, e nem ao menos sabe quem é o pai. Passando por uma situação de aperto após transformar sua pequena loja numa conveniência franqueada, é visitado por dois investigadores da polícia procurando informações sobre uma família vizinha desaparecida por completo e de forma misteriosa. Aquele era um período bem estranho, com a epidemia de um vírus ainda não compreendido ceifando vidas pelo mundo, enquanto no Japão uma seita fanatizava todas as classes de pessoas. E o mais curioso é que esse grupo utilizava um símbolo que não era estranho para Kenji, lhe resgatando desorganizadas memórias de quando garoto. Uma notícia triste chegava, Donkey, um bom amigo de infância havia morrido por suicídio ao se atirar de um prédio. Todos aqueles amigos de décadas então se reuniram em seu funeral para prestar homenagens e se despedir, momento onde muito se reviram após muito tempo. Colocando o papo em dia comentam sobre a suspeita de Donkey ter se juntado ao culto do autointitulado ‘Amigo’, aquele com o símbolo de um olho com uma mão apontando como seta para cima, e que Kenji já havia visto antes discretamente desenhado numa parede da casa daqueles vizinhos que sumiram. Os amigos se entreolham questionando quem havia criado aquilo, cogitando que provavelmente algum deles deveria ser o ‘Amigo’, já que ninguém mais conhecia aquele desenho. Buscando nas lembranças eles iam trazendo informações adormecidas, e recordaram de terem enterrado uma cápsula do tempo. Saindo do funeral o grupo segue para onde acreditam ter escondido seus segredos da infância, e para surpresa dos mesmos, encontram o que buscavam. Era uma lata de metal que continha além de objetos sem relevância, também desenhos sem muito sentido, e uma bandeira com o tal símbolo das brincadeiras que faziam. O Livro de Profecias, também lembraram disso, embora não estivesse naquela lata. Era nele que o grupo. Naqueles escritos de criança, imaginavam um futuro onde um poderoso vilão surgia com os planos de destruir o mundo, e que apenas a união deles seria capaz de impedir. O problema era que a realidade de então, era muito parecida com aquelas histórias de menino.

114_02

MEUS ERROS DE MEMÓRIA
Vocês já passaram pela situação de assistir algo que ficou marcado na sua memória por um motivo não muito claro? As vezes acontece por conta de uma cena muito impactante, um personagem interessante ou até mesmo por sua estranheza. Comigo neste caso foi uma mistura de todas essas coisas. Não recordo com exatidão o período, mas visto que este é um filme de 2008, e estou me referindo ao primeiro da trilogia por enquanto, vi bem mais a frente do que eu imaginava. No meu subconsciente eu tinha visto junto com os meus amigos de infância, lá por 1997 ou 1998, mas definitivamente não é o caso, o longa é dez anos mais novo. Ou seja, eu criei uma falsa memória. E o curioso é que imagino a razão, e está diretamente relacionada ao conteúdo do filme. Visto que nele existe um grupo de adultos por volta dos quarenta anos que tenta quecobrar a infância, enquanto somos apresentado a um monte de flashbacks. O que me leva a entender, que eu mesmo, por saudosismo do convívio com os meus amigos, fiz uma mistura absurda de informações antes de engavetar no cérebro. Não é algo relevante para ser dito, mas particularmente achei essa revisão de realidade bastante interessante.

114_03

O QUE É 20TH CENTURY BOYS?
Esta provavelmente vai ser a tarefa mais difícil das minhas aventuras de escrever, fazer ser claro do que se trata 20th Century Boys, ao mesmo tempo que mantenho o foco em te convencer do quanto ele é interessante, e sem liberar os spoilers essenciais para tal convencimento. O que talvez já tenha dado para entender, é que suas “cerejas” do bolo, sim, aqui existem muitas cerejas, sejam seus complexos e atmosféricos segredos. Mas primeiro vamos entender suas origens e um pouco sobre seu criador. 20th Cenruty Boys originalmente é uma mangá de mistério e ficção científica criado por Naoki Urasawa em 1999, que rendeu 22 volumes, e foi finalizado em 2006. Logo na sequência, ainda no mesmo ano, lançou mais 2 volumes do intitulado 21th Century Boys. O autor até então pouco conhecido publicou simultaneamente enquanto trabalhava neste que falamos agora, Monster, uma obra popular entre os amantes de mangá, série de mistério finalizada em 2001.

114_04

O mangá 20th Century Boys alcançou grande sucesso, lhe rendendo o Prêmio Kodansha Manga em 2001, o Prêmio de Excelência do 6º Japan Media Arts Festival em 2002, o Shogakukan Manga Award também em 2002, o Prêmio Internacional de Festival de Quadrangas de Angoulême para uma série em 2004, o Grande Prêmio da Associação de Cartoonistas do Japão em 2008, o Prêmio de Melhor Comic da Seiun em 2008, o Prêmio de Melhor edição dos EUA de Material Internacional pela Eisner em 2011, e para finalizar, recebeu novamente um repeteco deste último prêmio da Eisner em 2013. Então agora vamos ao que interessa mesmo, falarmos sobre sua versão em live-action, que não chega a ser tão rica como o mangá, afinal, essa é a coisa mais normal em se tratando de adaptações, mas que mesmo assim é um trabalho fabuloso e merecedor de atenção, tanto de quem só curte cinema, quanto dos otakus tarados pelos trabalhos brilhantes de Urasawa.

114_05

CONCEITOS CINEMATOGRÁFICOS
A adaptação do mangá 20th Century Boys para o cinema foi divida em três partes, e são elas: 20th Century Boys: Beginning of the End (2008), 20th Century Boys 2: The Last Hope (2009) e 20th Century Boys 3: Redemption (2009). Seu título, que em tradução livre seria Garotos do Século 20, é emprestado de uma música da banda inglesa de folk e rock clássico, T. Rex, que fez bastante sucesso nos anos 60 e 70. A estrutura conceitual das três partes é a mesma, com uma película granulada sem muito exagero, em certos momentos traz uma câmera trêmula, e mostra sofisticação com cenas induzindo visão em primeira pessoa, com direito a olho de peixe e tudo mais. A direção ao mesmo tempo que mostra versatilidade na sua forma de filmagem, não faz questão de fazer isso parecer uma exibição gratuita de técnicas, tudo é muito natural e fluído, informando que a linguagem visual tem uma única intenção, valorizar a atmosfera pesada do roteiro. E o resultado no meu ponto de vista ficou fantástico. Temos um filme que se você abrir aleatoriamente em qualquer ponto terá a sensação de ser uma obra barata, praticamente amadora, mas definitivamente passa muito longe disso.

114_06

ROTEIRO CABULOSO!
Como dito antes, o filme é separado em três partes, mas deve ser enxergado como uma única peça, assim como na trilogia O Senhor dos Anéis. Indo e vindo no tempo, o roteiro se foca em Kenji, que não escolhe, mas é notado pelos amigos desde a infância como um líder. Desajeitado, pouco esforçado, e até com uma certa lentidão de raciocínio, é reconhecido pelos outros por sua lealdade e força de vontade natural. Quando falamos da primeira parte, Beginning of the End, o foco da narrativa se agarra nele, explorando pequenas recuperações de memórias de períodos diferentes do passado, para ir montando um intrincado quebra-cabeças que se desmonta e remonta constantemente. O grande mistério aqui é desvendar quem é aquele que chamam de Amigo, já que todo o pacote inventado pelo grupo quando crianças, está sendo posto em prática literalmente por aquele homem misterioso. Desde a aplicação do símbolo inventando pelos jovens, quanto as perigosas promessas de um fim do mundo. Para todos o Amigo é visto como um profeta, uma verdadeira personificação divina, mas para Kenji e seus amigos, aquele só poderia ser um dos garotos que presenciaram suas invenções inocentes do passado, e decidiu brincar com o restante do grupo enquanto ascendia para o ato final do Livro de Profecias. A narrativa da adaptação preserva os principais e mais importantes aspectos que são vistos no mangá, e isso tendo o controle de qualidade do próprio Naoki Urasawa. Particularmente considero o roteiro uma obra prima, por conseguir controlar e manter a clareza mesmo com tantos personagens e elementos complexos se destruindo e reconstruindo, sem nunca perder sua atmosfera de tensão.

114_07

SENTIMENTO DE ANGÚSTIA
Eu pelo menos mergulhei de cabeça na trama, e identifiquei bastante similaridade desta ficção com a nossa realidade de fim de 2019 no Brasil, onde temos mais do que nunca, um comportamento fanatizado de pessoas carentes que se agarram num personagem de idoneidade ao menos discutível. Quando o roteiro precisa te chocar mostrando o nível de alienação daqueles que seguem o Amigo, ele não brinca em serviço, trazendo de forma explícita a brutalidade com que aplicam violência contra aqueles que se opõem, ou mesmo falham no entendimento do líder hierárquico presente no momento. O sentimento é de angústia por saber que aquela atitude fanatizada e cega, não se restringe apenas a ficção, e se não cuidarmos de dissuadir, pelo menos moralmente, esses núcleos de gente mentalmente perturbadas, deixaremos só de assistir de longe, para ter aqui no nosso quintal, uma intolerância religiosa institucionalizada, e talvez até mesmo aparelhada pelo Estado. Procuro evitar ser literal com política nos nossos conteúdos, mas existem momentos onde sermos omissos, é estarmos assumindo cumplicidade com o errado. E quem acompanha o NerdComet sabe, aqui não abrimos mão de expressarmos nossos opiniões e reflexões, quem dirá num instante tão sombrio quanto o que vivemos. Conspirações e manipulações em massa nunca são coisas inofesivas, como sempre dizem meus velhos e valiosos  amigos do canal Meteoro Brasil no Youtube.

114_08

TRILHA SONORA
20th Century Boys: Beginning of the End abre ao som do inglês T. Rex, e na mesma vibe também traz Like a Rolling Stone de Bob Dylan. O humor das crianças do filme faz criar Bob Lennon, uma música composta na história por Kenji, homenageando personagens da cultura pop que dispensam apresentações. O japonês Ryomei Shirai, compositor de dezenas de trabalhos para jogos eletrônicos, animes e filmes, é quem assina o ‘score’ da trilogia 20th Century Boys, além de fazer o arranjo de Ai Rock Yû, um empolgante hard rock performado num concerto ao vivo no filme. Só fico devendo a explicação de informar se a banda era real ou apenas um arranjo montado para o longa. A letra é do próprio Naoki Urasawa, que também escreveu Brothers, e obviamente a já comentada Bob Lennon. Também temos a swingada Koi no Kisetsu de Taku Izumi, e Penelope, de Joan Manuel Serrat e Augusto Algueró, executada pela Grande Orquestra de Paul Mariat, com violinos, metais, e pianos belíssimos.

114_09

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Toshiaki Karasawa, Etsushi Toyokawa, Takako Tokiwa, Teruyuki Kagawa, Hidehiko Ishizuka, Takashi Ukaji, Hiroyuki Miyasako, Katsuhisa Namase, Fumiyo Kohinata, Kuranosuke Sasaki, Shirô Sano, Mirai Moriyama, Kanji Tsuda, Takashi Fujii, Hanako Yamada, Arata Iura, Nana Katase, Chizuru Ikewaki, Airi Taira, Raita Ryû, Ibuki Shimizu, Kaoru Fujiwara, Riku Uehara, Tadashi Nakamura, Dave Spector, Rina Hatakeyama e Tomiko Ishii compõem o elenco.

114_10

20th Century Boys: Beginning of the End
Lançamento:
30/08/2008
Direção: Yukihiko Tsutsumi
Roteiristas: Yasushi Fukuda, Takashi Nagasaki, Naoki Urasawa e Yûsuke Watanabe
Produtores: Morio Amagi, Xaypani Baccam, Ryûji Ichiyama e Nobuyuki Iinuma
Produtor Executivo: Seiji Okuda
Trilha Sonora: Ryomei Shirai
Orçamento: US$ 20.000.000
Faturamento Mundial: US$ 38.231.562

114_11

20th Century Boys 2: The Last Hope
Lançamento:
31/01/2009
Direção: Yukihiko Tsutsumi
Roteiristas: Yasushi Fukuda, Takashi Nagasaki  e Yûsuke Watanabe
Produtores: Morio Amagi, Ryûji Ichiyama e Nobuyuki Iinuma
Produtor Executivo: Seiji Okuda
Trilha Sonora: Ryomei Shirai
Orçamento: US$ 20.000.000
Faturamento Mundial: US$ 29.502.213

114_12

20th Century Boys 3: Redemption
Lançamento:
29/08/2009
Direção: Yukihiko Tsutsumi
Roteirista: Yasushi Fukuda
Produtores: Morio Amagi, Ryûji Ichiyama, Nobuyuki Iinuma e Futoshi Ohira
Produtor Executivo: Seiji Okuda
Trilha Sonora: Ryomei Shirai
Orçamento: US$ 20.000.000
Faturamento Mundial: US$ 48.397.818

CONCLUSÃO
Uma coisa eu posso te garantir, eu duvido muito que você já tenha sido exposto a uma trama tão intrigante e complexa como essa. 20th Century Boys com certeza não é conteúdo para qualquer tipo de pessoa, ele é estereotipado na pegada japonesa, e consideravelmente complicado de se compreender. Não por ser um conteúdo cabeça, mas por exigir bastante interesse e foco de quem se predispõe assistir, já que a número de informações necessárias para se entender o todo é elevado, e jogado embaralhado no colo da gente. Eu tenho um apego muito grande a este filme, e o considero dentro dos meus vinte favoritos, sem sombras de dúvidas. A trilogia 20th Century Boys é recomendada para maiores de 15 anos, e caso consiga acesso a essa obra prima pouco conhecida aqui no Brasil, espero que tire um ótimo proveito. E por favor, volte aqui para me dizer o que achou. Quero saber se sou louco sozinho, ou alguém mais se empolgou tanto.

Barra Divisória

assinatura_dan

O ÚLTIMO GUERREIRO DAS ESTRELAS (CRÍTICA)

113_00

SINOPSE
Alex Rogan é um adolescente que investe todo o seu tempo livre quebrando os próprios recordes em Starfighter, seu jogo de fliperama favorito. Certo dia o garoto é contactado por Centauri, um misterioso homem que revela ser o verdadeiro criador daquela máquina, qual tinha como finalidade treinar e recrutar hábeis pilotos para verdadeiras batalhas espaciais. Alex então é levado para um planeta alienígena muito distante da Terra, onde é colocado no front de uma violenta guerra. Lá o rapaz é colocado sob forte pressão, e descobre que suas habilidades não são tão especiais quando vidas reais estão em perigo.

113_01

COMENTÁRIOS
Trinta e cinco anos se passaram e, O Último Guerreiro das Estrelas (The Last Starfighter), que fora sucesso de bilheteria ao redor do mundo, ainda vive no imaginário de sua base de fãs. No Brasil era explorado ao máximo nas contínuas reprises de Sessão da Tarde, numa época onde junto com A História Sem Fim (1984), Krull (1983) e TRON (1982), alimentava o lado lúdico dos jovens bem mais inocentes que os de hoje. O Último Guerreiro das Estrelas é algo tão relevante, que agora mesmo, fim de 2019, existe uma sequência direta sendo escrita e produzida por Gary Whitta, co-roteirista de Rogue One: Uma História Star Wars (2016). Mas o que há de tão bom assim neste clássico de mais de três décadas de vida? E ainda hoje, seria algo para se ver na boa sem se incomodar com sua idade?

113_02

Quando foi lançado em 1984, era o que tinha de melhor em se tratando de efeitos especiais. Seus incríveis feitos só foram conseguidos graças aos recursos tecnológicos do Gray X-MP, o mais poderoso computador disponível na época com seus 16 MB de memória. O que um dia superou até mesmo o icônico TRON, hoje se tornou bastante datado, e vai precisar de muito desprendimento da modernidade para ser aceito pelos mais jovens. Mas sinceramente eu considero que isso não importa tanto, já que o seu maior mérito é sua ideia até hoje exclusiva. Jonathan R. Buetel acertou em cheio quando teve o estalo de mesclar o conto arturiano , com o do maior pontuador num fliperama construído com o único fim de selecionar o maior guerreiro da galáxia. As similaridades de roteiro com a de obras como E.T.: O Extraterrestre (1982), ou os filmes da franquia Star Wars, precisavam ser evitadas, isso fez com que os textos originais sofressem uma série de modificações. O resultado é uma aventura de ficção científica com muita identidade, e mostrando um humor bem espirituoso.

113_03

Seu maior ponto fraco são suas interpretações nada boas, e vamos ser sinceros aqui, atores bons em produções juvenis eram raridade naqueles tempos. Aqui temos Lance Guest, sempre canastrão em seus trabalhos, mas conseguindo ainda um pouco de crédito devido o fator nostálgico daqueles que eram crianças ou jovens adolescentes na época, e trazem alguma simpatia pelo cara. Eu em particular busco compreender qualquer obra considerando seu cenário original, e para a década de oitenta e começo de noventa, O Último Guerreiro das Estrelas é um filme totalmente aceitável. E acredite, para mim, ainda muito compensador de assistir, mesmo considerando todas as suas limitações e problemas.

113_04

LENDAS URBANAS
Muitas histórias e lendas urbanas se escondem atrás de O Último Guerreiro das Estrelas, desde um protótipo de jogo baseado no filme sendo feito para o Atari 5200 e que nunca deu as caras, até que o filme era baseado em Polybius, um outro famigerado jogo que causaria convulsões, amnésia e pesadelos naqueles que jogassem. Polybius seria um jogo fazia parte de um projeto secreto do governo americano para coletar “dados extrassensoriais” dos jogadores, e teria sido desenvolvido nos subúrbios de Portland, Oregon, em 1981. No fim das contas ninguém nunca conseguiu provar nada dessas histórias, mas que a criatividade do povo é algo sem limites, isso é.

113_05

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Lance Guest, Dan O’Herlihy, Catherine Mary Stewart, Norman Snow, Robert Preston, Kay E. Kuter, Barbara Bosson, Chris Hebert, Dan Mason, Vernon Washington, John O’Leary, George McDaniel, Adrienne Barbeau, Heather Locklear, Scott Dunlop e Peggy Pope compõem o elenco. Escrito por Jonathan R. Betuel, O Último Guerreiro das Estrelas é uma produção estadunidense de 1984 dirigida por Nick Castle. A aventura de ficção científica tem como produtores Gary Adelson e Edward O. Denault, que usam o estúdios da Universal Pictures. Seu orçamento é estimado em 15 milhões de dólares, e sua receita final de aproximadamente 28 milhões.

CONCLUSÃO
Quem já passou dos trinta com certeza conhece essa pérola da aventura e ficção científica que fazia todo moleque sonhar em passar pela mesma surreal situação. Para quem não conhece ainda, fica a dica para compreender o que era sinônimo de diversão para seus pais e tios. Procurem entender que as tentativas de efeitos especiais que com certeza te arrancará risos, um dia foram as coisas mais maravilhosas para alguém. O mundo evolui, e embora a arte faça o mesmo, cada uma delas tem sua posição contextual nas diferentes épocas.

Barra Divisória

assinatura_dan

OS MELHORES FILMES DE FICÇÃO CIENTÍFICA

105_00

ALIEN: O OITAVO PASSAGEIRO (1979)

105_01

SINOPSE: A nave espacial rebocadora Nostromo está retornando de Thedus para a Terra trazendo consigo com uma carga de 20 milhões de toneladas de minério, bem como seus 7 membros da tripulação. A viagem então é interrompida por um sinal misterioso, que faz o computador por protocolo acorde toda a equipe. Agora com a Nostromo desconectada do pesado carregamento, aterrissa no planeta de onde a mensagem surgiu, e enquanto em solo, um membro do grupo é atacado por uma estranha criatura. Pensava-se que aquele fosse somente um caso isolado, sendo retomado destino à Terra. No entanto aquilo era apenas o começo de uma jornada aterrorizante, pois a Nostromo carregava um oitavo passageiro.

COMENTÁRIOS: Alien: O Oitavo Passageiro (Alien) é um filme britano-estadunidense dirigido por Ridley Scott, e escrito por Dan O’Bannon, se baseando em uma história criada por ele e Ronald Shusett, na qual se inspiraram em trabalhos anteriores de ficção científica e terror. Aclamado pela crítica arrematou milhões de fãs pelo mundo todo, e logo se tornou a franquia mais importante de Ridley Scott. Alien definitivamente não é apenas um filme de ficção científica, mas também uma verdadeira obra sombria de horror, trazendo cenas assustadoras que até hoje faz o público se contorcer no sofá. Seu orçamento foi de 11 milhões de dólares, e rendeu uma receita de 105 milhões.

 

BLADE RUNNER: O CAÇADOR DE ANDRÓIDES (1982)

105_02

SINOPSE: No que seria o futuro do ano 2019, a Corporação Tyrell desenvolve seres biogenéticos para serem usados como trabalhadores em colônias fora do planeta, conhecidos como replicantes. Os modelos Nexus-6 possuem uma vida útil de 4 anos, e é descoberto que quatro destes retornaram à Terra ilegalmente, provavelmente para buscar prolongar suas vidas. Sendo propriedades da Tyrell, o ex-policial Rick Deckard é contratado como mercenário para caçar o grupo fugitivo pela cidade de Los Angeles.

COMENTÁRIOS: Blade Runner: O Caçador de Androides (Blade Runner) é uma produção honcongo-estadunidense dirigida por Ridley Scott, o mesmo de Alien, e tem seu roteiro escrito por Hampton Fancher e David Peoples, que se inspiraram no romance de Philip K. Dick, Do Androids Dream of Electric Sheep?. Blade Runner se trata de uma ficção científica neo-noir excessivamente atmosférica que se desenvolve sem pressa, te inserindo num ambiente muito característico conhecido popularmente como cyberpunk. A Los Angeles é escura, com o chão sempre úmido refletindo as infinitas luzes neon, com um ambiente pesado e violento. Não bastando sua estética visual fantástica, ainda traz composições originais de Vangelis com uma das trilhas sonoras mais fabulosa de todos os tempos, combinando uma melodia sombria, clássico e sintetizadores futuristas. Definitivamente Blade Runner estabeleceu o conceito até então nunca visto no cinema. Custando 28 milhões de dólares, teve um faturamento final de 33,8 milhões.

 

DE VOLTA PARA O FUTURO (1985)

105_03

SINOPSE: Marty McFly é um adolescente de uma pequena cidade californianda, que após uma experiência errada do excêntrico Dr. Emmett “Doc” Brown, é transportado em um DeLorian modificado para o ano de 1955. Agora no passado, Marty conhece as versões bem mais jovens dos seus pais, mas sua presença acaba interferindo gravemente na sua própria linha temporal. Deixando assim, ele simplesmente não nasceria, então decide dar uma forcinha para que seus pais se apaixonem. E claro, tudo isso antes de voltar para o seu tempo e ainda salvar o Doc Brown da enrascada em que se meteu.

COMENTÁRIOS: De Volta para o Futuro (Back to the Future) é uma superprodução norte-americana de Steven Spielberg, Neil Canton e Bob Gale, dirigida por Robert Zemeckis. Roteirizado pelo próprio Zemeckis em parceria com Bob Gale, essa aventura fantástica de viagem no tempo, se tornou um dos filmes mais importantes do século 20! E eu me nego a detalhar De Volta para o Futuro, mesmo sabendo que há um público jovem que não faz ideia do que isso se trata. Me re-cu-so! Filho, você tem prova do ENEM hoje? Então, esquece isso e vai assistir essa parada! Brincadeira, faz a prova primeiro. MAS DEPOIS VAI ASSISTIR ESSA PARADA! Confie em mim! Tendo um orçamento de 19 milhões de dólares, essa obra-prima faturou nada menos que 381 milhões!

 

O SEGREDO DO ABISMO (1989)

105_04

SINOPSE: O USS Montana, um avançado submarino nuclear, afundou misteriosamente com 156 tripulantes na Fossa Cayman, na região do Caribe, e após o ocorrido não houve mais contato. Devido a um furacão estar se aproximando, uma experiente equipe de plataforma de exploração de petróleo da proximidade é convocada e, liderada pela Marinha para executar a Operação Salvo, que visa resgatar a tripulação do Montana. O trabalho se inicia com a perigosa descida, e Bud Brigman, mergulhador chefe,  pressente que sua equipe está correndo perigo, porém o que descobriria mais abaixo estava muito além da sua compreensão.

COMENTÁRIOS: O Segredo do Abismo (The Abyss) é um filme estadunidense escrito e dirigido por James Cameron. Com uma produção megalomaníaca, Cameron investiu apenas de baixo d’água, oito semanas de gravação, e fez deste um palco para efeitos especiais revolucionários. Lembra do androide T-1000 de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final? Então, as entidades alienígenas aqui foram a vanguarda de tais recursos fabulosos. O Segredo do Abismo é um aventura de ficção científica cheia de suspense e sensações claustrofóbicas, além de trazer um dos finais mais surpreendentes dentre os filmes do gênero. A façanha custou caro para época, tendo um custo de 45 milhões de dólares, e uma receita de 90 milhões.

 

O EXTERMINADOR DO FUTURO 2: O JULGAMENTO FINAL (1991)

105_05

SINOPSE: O ciborgue assassino T-1000 é enviado pela SkyNet de volta no tempo, com um único propósito, eliminar John Connor, aquele que no futuro será a chave para a vitória da humanidade. O jovem então é perseguido pela letal máquina, que possui a habilidade de mimetizar fisionomias para se misturar a população. Num esforço para se proteger, o próprio John envia do futuro o T-800, um ciborgue Modelo 101 da SkyNet, que embora inferior ao T-1000, é ainda assim poderoso e reprogramado para lutar pela resistência.

COMENTÁRIOS: O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (Terminator 2: Judgment Day) é uma produção estadunidense escrita, produzida e dirigida por James Cameron. Considerado um visionário por muitos, Cameron fez deste o primeiro filme a superar a marca dos 100 milhões de dólares de orçamento, e esse investimento absurdo, ainda mais para a época, lhe rendeu um faturamento de mais de 520 milhões. Sucesso de bilheteria e detentor de milhões de fãs fanáticos pela franquia, este segundo episódio lhe rendeu sete indicações ao Óscar, tendo recebido o prêmio nas categorias de melhores Efeitos Visuais, Efeitos Sonoros, Edição de Som, Som e Maquiagem. Além do BAFTA, MTV Movie Awars, e outras premiações menos conhecidas.

 

ETERNAMENTE JOVENS (1992)

105_06

SINOPSE: O ano era 1939 e, Daniel McCormick, um piloto de testes, perde a cabeça quando descobre que a mulher que amava, e estava prestes a pedir em casamento, entra num coma irreversível depois de ser atropelada. Desiludido com a vida e não tendo mais nada a perder, aceita se voluntariar num experimento militar no qual ficaria um ano em animação suspensa. Acaba acontencendo um incêndio e o cientista encarregado morre, fazendo com que o projeto seja cancelado. Sem ser notado, Daniel acaba esquecido no antigo laboratório estando ainda em suspensão. Passaram-se 50 anos desde então, e durante as brincadeiras de dois garotos num galpão supostamente abandonado, Daniel é encontrado congelado em sua cápsula. Por acidente as crianças o tiram do estado de hibernação, e acordando muito confuso, não fazia ideia do quanto tempo havia passado. Nat, um dos meninos, decide levá-lo para casa, e embora tente escondê-lo de sua mãe, Claire acaba descobrindo. Os dois então somam esforços para tentar ajudar aquele intrigante homem a se adaptar a um mundo totalmente novo.

COMENTÁRIOS: Eternamente Jovem (Forever Young) é filme norte-americano roteirizado por J.J. Abrams e dirigido por Steve Miner. Decidi encaixar esse drama romântico na lista, por ele trazer um elemento que em 1992 era sinônimo de ficção científica, mas que hoje em dia se mostra bastante promissor, a criogenia. Mesmo não sendo um filme muito lembrado, considero este um excelente filme e que precisa ser conhecido pelas novas gerações. A premiere hollywoodiana de Eternamente Jovem arrecadou 70 mil dólares como caridade para duas instituições de Mel Gibson, o Centro de Recuperação de Usuários de Alcool e Drogas, e o Centro de Atendimento a Desabrigados de Santa Mônica.

 

STARGATE (1994)

105_07

SINOPSE: Devido as suas teorias fora do convencional, Dr. Daniel Jackson é pouco respeitado por seus pares na academia, no entanto isso não impede de ser convidado a participar das traduções de antigos hieroglifos para a Força Aérea dos Estados Unidos. Jackson é levado para uma instalação militar no Colorado, onde conhece o Coronel Jack O’Neill, que lhe informa que tudo tratado ali seria confidencial. Hieroglifos são apresentados ao professor para que ele faça suas considerações, e logo ele informa que aquelas informações diziam sobre um portal para as estrelas. Os militares então revelam um monumento fantástico, algo que eles acreditavam ser o citado portal, mas não sabiam como seguir além dali. Agora com a colaboração do Dr. Daniel Jackson, o grupo de pesquisadores consegue ativar o Stargate, e assim poder desbravar o seu outro lado.

COMENTÁRIOS: Simplesmente Stargate (Stargate) e, também conhecido no Brasil como Stargate: A Chave para o Futuro da Humanidade, é uma produção franco-estadunidense dirigida por Roland Emmerich, e roteirizado pelo mesmo na parceria com Dean Devlin. Stargate de 1994 é o ponto de partida para uma franquia que floresceu bastante, sucedendo outros filmes e diversos seriados. Mesclando mitologia egípcia, viagens interplanetárias, raças alienígenas, e uma variedade de teorias científicas, é prato cheio para o público sedento por conteúdo nerd! Com um orçamento de 55 milhões de dólares, Stargate teve uma receita de 196.6 milhões. Uma cifra expressiva!

 

OS 12 MACACOS (1995)

105_08

SINOPSE: No ano de 2035, James Cole é um preso que em troca de benefícios na sua pena, aceita a missão de voltar no tempo para coletar informações, e assim tentar decifrar o enigma do vírus que foi responsável pela morte de boa parte da população do planeta. Sua viagem acaba tendo problemas, fazendo-o parar num sanatório onde é tomado como louco. Agora ele só tem uma saída, tentar convencer a psiquiatra Kathryn Railly de sua sanidade, e assim poder conseguir uma solução de cura para a epidemia.

COMENTÁRIOS: Os 12 Macacos (Twelve Monkeys) é uma produção norte-americana, escrita por David e Janet Peoples, e dirigido por Terry Gilliam. Trazendo uma trama complexa de viagem no tempo, Os 12 Macacos teve uma ótima aceitação em seu lançamento, e muito disso se vale ao espetacular desempenho da dupla Brad Pitt e Bruce Willis. Para Pitt rendeu uma indicação ao Óscar como Melhor Ator Coadjuvante, e conquistou o prêmio na mesma categoria do Golden Globe Award. O filme recebeu vários prêmios e nomeações do Saturn Awards, bem como de outras agremiações. Um verdadeiro divisor de águas na ficção científica do cinema, simplesmente espetacular! Com um orçamento de 29.5 milhões de dólares, teve uma receita final de 168.8 milhões.

 

O QUINTO ELEMENTO (1997)

105_09

SINOPSE: Em pleno século XXIII, Korben Dallas é apenas um motorista de táxi que se envolve numa aventura, na qual precisa impedir um ser demoníaco capaz de atravessar dimensões. Se nada for feito a Terra será dizimada, e para impedir isto ele precisa encontrar quatro artefatos antigos que representam os elementos, com a finalidade de combiná-los com Leeloo, o principal e quinto elemento.

COMENTÁRIOS: O Quinto Elemento (Le Cinquième élément / The Fifth Element) é um filme franco-estadunidense dirigido por Luc Besson e escrito pelo mesmo em cooperação com Robert Mark Kamen. Bastante divertido e focado na ação, O Quinto Elemento não é uma história de ficção científica pra ser levar a sério, mas sim aquele filme para juntar os amigos e dar bastante risada. Esse foi um grande sucesso de bilheteria, tendo um orçamento de 90 milhões de dólares, e captação de quase 264 milhões.

 

GATTACA: EXPERIÊNCIA GENÉTICA (1997)

105_10.png

SINOPSE: Vincent Freeman sempre teve o sonho de viajar ao espaço, mas por ser considerado inapto geneticamente não pode se candidatar. Então ele decide desafiar seu destino ao assumir a identidade de Jerome Morrow, no entanto a investigação de assassinato põe seu disfarce em risco.

COMENTÁRIOS: Gattaca: Experiência Genética (Gattaca) é uma produção dos Estados Unidos escrita e dirigida por Andrew Niccol. Com uma atmosfera carregada de uma intencional melancolia, Gattaca atravessa os gêneros de drama,  suspense e ficção científica. Indicado e vencedor de uma série de prêmios, principalmente envolvendo sua estética visual, a produção hoje é considerada um clássico cult. Tendo um orçamento de 36 milhões de dólares, não consegui localizar seu faturamento além do mercado dos EUA e Canadá, onde rendeu pouco mais de 12 milhões.

 

O ENIGMA DO HORIZONTE (1997)

105_11

SINOPSE: Em 2047 uma missão de resgate é enviada para localizar a Event Horizon, uma nave perdida de forma misteriosa sete anos atrás enquanto explorava os limites do sistema solar. Ao encontrá-la, os astronautas envolvidos na tarefa vão gradativamente tomando consciência do terrível enigma que envolveu aquele incidente, e descobrem que algo muito sinistro pode ter tomado controle da nave.

COMENTÁRIOS: O Enigma do Horizonte (Event Horizon) é uma produção dividida entre Reino Unido e Estados Unidos, sendo escrita por Philip Eisner e dirigida por Paul WS Anderson. Misturando suspense, terror e ficção científica, esse é um filme barra pesada, mostrando explicitamente muito gore e sanguinolência. Eu não sou lá muito fã de grafismos sádicos como esse, porém a viagem insólita e seu clima extremamente denso, faz deste filme uma verdadeira obra de arte no gênero terror espacial. O Enigma do Horizonte teve um orçamento de 60 milhões de dólares, e uma receita de 23.7 milhões em território americano. Seu faturamento mundial eu não consegui encontrar em nenhuma fonte confiável.

 

MATRIX (1999)

105_12

SINOPSE: Thomas A. Anderson é um jovem programador que se sente deslocado em meio a rotina que o cerca, a sensação é contínua de um não pertencimento naquele lugar. Eventos cada vez mais misteriosos vão acontecendo próximo dele, e tudo fica ainda mais confuso quando é localizado por Morpheus e Trinity, aqueles que lhe revelam que toda a realidade conhecida até então, não passava de uma projeção criada por uma avançada inteligência artificial para distrair e escravizar seus corpos enquanto drenam energia para sustentar todo o sistema.

COMENTÁRIOS: Matrix (The Matrix) é uma superprodução australo-estadunidense, escrita e dirigida pelas irmãs Lilly e Lana Wachowski. Foi, e ainda é, extremamente aclamado como um dos filmes mais importantes da história do cinema, pois além de possuir um roteiro fantástico, também trouxe elementos cinematográficos nunca vistos até então. O longa recebeu os Óscares de Melhor Montagem, Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição de Som e Melhores Efeitos Visuais, além de dezenas de premiações e menções em convenções como BAFTA e Saturn Awards. Matrix teve orçamento de 63 milhões de dólares, e uma receita final de incríveis 463 milhões.

 

A.I.: INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (2001)

105_13

SINOPSE: Em 2141, após parte do planeta ser inundado pela elevação do nível dos mares e androides passarem a conviver entre os humanos, a Cybertronics desenvolve um novo robô. Com fisionomia infantil e batizado de David, sua proposta comercial era a de amar os seus pais pela eternidade. Henry e Monica Swinton, na eminência de perder seu filho, decidem ser os primeiros a adotar um deste. Depois de iniciado e programado da maneira correta, David passa a entender Monica como sua verdadeira mãe, porém seu filho biológico tem uma melhora imprevista, e as coisas tomam um rumo completamente inesperado.

COMENTÁRIOS: A.I.: Inteligência Artificial (I.A.: Artificial Intelligence) é um filme de Steven Spielberg concebido a partir de um projeto de Stanley Kubrick, se baseando no conto de Supertoys Last All Summer Long, de Brian Aldiss. A.I., como a maioria se refere, é um drama de ficção científica que acompanha a jornada de David, uma máquina que busca entender como se encaixar e, ao mesmo tempo lidar com a rejeição daquele principal personagem qual foi criado e programado para amar, um ser humano cheio de emoções complexas. Uma obra de arte extremamente atmosférica na qual preciso estar no clima exato para tirar o melhor proveito. Recomendo um dia frio e chuvoso, cortinas fechadas, e nenhuma pressa para assistir, fazendo isso, é certeza absoluta de estar apto para fazer essa viagem fantástica na mente imaginativa dos gênios Spielberg e Kubrick. A.I.: Inteligência Artificial foi indicado aos Óscares de Melhores Efeitos Visuais e Trilha Sonora, e também outros prêmios BAFTA e Golden Globe Awards. Seu orçamento foi de 100 milhões de dólares, tendo uma receita final de 236 milhões.

 

DONNIE DARKO (2001)

105_14

SINOPSE: Donnie é um aluno brilhante, porém bastante estranho. Desprezando a maioria dos colegas da escola, ele, e apenas ele, enxerga um coelho de aparência macabra que o incentiva a praticar brincadeiras humilhantes e destrutivas com as pessoas ao seu redor. Até que certo dia, em uma de suas alucinações, é pedido que ele saia de casa, e enquanto do lado de fora, lhe é revelado que o mundo irá acabar dentro de um mês. Donnie não leva aquilo a sério e volta para dentro, quando instantes depois um avião cai no telhado, quase o matando. A partir de então ele começa a se perguntar o quão real as suas previsões poderiam ser.

COMENTÁRIOS: Donnie Darko (Donnie Darko) é um filme norte-americano escrito e dirigido pelo então estreante Richard Kelly. Está com a cuca fresca ao mesmo tempo que bastante afiada? Não? Então é melhor ficar só em Efeito Borboleta (2004) mesmo, porque Donnie Darko é o que há de mais bizarro quando se trata de história mirabolante com viagens e paradoxos temporais. Seu clima é obscuro reflexivo, e quando incrementado com um coelho medonho saindo das sombras, as coisas ficam mais loucas ainda. Esse é aquele tipo de filme que tem uma infinidade de interpretações possíveis, na qual todas elas provavelmente estarão certas. Entendeu nada? Então confira que você vai entender menos ainda! Donnie Darko foi indicado e recebeu uma série de prêmios, além de ser bastante lembrado por sua ótima trilha sonora. O filme teve um orçamento de 4,5 milhões de dólares, e faturou 7,5 milhões, não fazendo deste um blockbuster, mas sim um filme para poucos nerds capacitados. Se sentiu desafiado?

 

MINORITY REPORT: A NOVA LEI (2002)

105_15

SINOPSE: Em 2054 as taxas de homicídio chegaram no zero graças a polícia PreCrime de Washington. O sistema se baseava em deter o cidadão antes que ele cometesse o crime, e para isso três seres humanos com a capacidade de prever o futuro, os Precogs, ficavam anexados em um robusto sistema de computadores com realidade aumentada para serem utilizados por operadores que faziam as previsões. O programa de segurança polêmico estava em vias de ser adotado pelo Governo Federal. John Anderton é um dos agentes operadores da PreCrime, um homem sofrido que tem filho desaparecido e está separado da esposa. Sua vida se torna ainda mais caótica quando é identificado como o assassino de um homem chamado Leo Crow dentro de 36 horas.

COMENTÁRIOS: Minority Report: A Nova Lei (Minority Report) é um filme estadunidense dirigido por Steven Spielberg, e é roteirizado por Scott Frank e Jon Cohen, se baseando no conto The Minority Report de Philip K. Dick. A produção combina elementos de gênero noir-tecnologia, whodunit, suspense, ficção científica e muita ação frenética. Antes que me pergunte, whodunit é um termo utilizado para categorizar um gênero onde não se sabe quem matou determinado personagem, mas há um pesado processo investigativo para se descobrir quem é. Inteligente e repleto de conspirações, Minority Report: A Nova Lei é um filme bastante envolvente e divertido. Seu orçamento foi de 102 milhões de dólares, e teve um faturamento de mais de 358 milhões.

 

FILHOS DA ESPERANÇA (2006)

105_16

SINOPSE: No ano de 2027 a humanidade se vê a beira da extinção, pois de forma ainda não compreendida nenhuma mulher mais conseguia engravidar. Era notícia no mundo inteiro a morte aos 18 anos daquele que seria o ser humano mais jovem do planeta, e a sociedade que já vivia em inquietação, violência e caos, se agitou ainda mais. Em meio a esse ambiente de trevas, Theodore Faron, um ex-ativista desiludido por sua causa, se tornou um burocrata numa Londres repleta de grupos ultra-nacionalistas, e em busca de sua ex-esposa Julian, ele é apresentado a uma jovem que surpreendentemente estava grávida!

COMENTÁRIOS: Filhos da Esperança (Children of Men) é uma produção britânico-americana baseada no romance The Children of Men, de P. D. James. É dirigido por Alfonso Cuarón, que também divide o roteiro adaptado com Timothy J. Sexton, David Arata, Mark Fergus e Hawk Ostby. Surpreendente e injustiçado! Este é um daqueles filmes que é impossível compreender porque é tão pouco lembrado e valorizado. Embora indicado aos prêmios do Óscar 2007 nas categorias Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia e Melhor Edição, e tendo recebido os prêmios máximos como Melhor Filme de Ficção Científica, tanto pelo BAFTA quanto o Saturn Awards, ainda assim ele fora esquecido pelo público. Eu não vejo praticamente ninguém defendendo esta belíssima obra de arte. Parece que só tem eu. Então assista também e se una a mim para defendermos um cinema bom de verdade que valorize os grandes feitos! Filhos da Esperança teve um orçamento de 76 milhões de dólares, e teve prejuízo com seus 70 milhões de faturamento. Vai entender.

 

SUNSHINE: ALERTA SOLAR (2007)

105_17

SINOPSE: Em um futuro não muito distante, o Sol está perdendo sua força, e prestes a entrar em colapso muito antes do que era previsto. Num esforço para impedir que isso aconteça e assim salvar a humanidade, a tripulação a bordo da Icarus II transporta uma gigantesca bomba nuclear. O plano é chegar próximo o suficiente do Sol para lança-la, na esperança das teorias estarem corretas e com a detonação a estrela ser revitalizada. Porém, pouco após ultrapassar o ponto do último contato com a Terra, a tripulação recebe um misterioso chamado de socorro da Icarus I, a nave até então desaparecida da expedição de 7 anos antes, e que havia falhado no mesmo objetivo.

COMENTÁRIOS: Sunshine: Alerta Solar (Sunshine) é uma produção dividida entre Reino Unido e Estados Unidos, escrita por Alex Garland e dirigida por Danny Boyle. Pouco valorizado pela crítica, e menos ainda pela audiência dos cinemas, este é um filme de ficção científica espacial de suspense que preenche todos os pré-requisitos para ser no mínimo um ótimo filme. Mesmo sendo uma obra excelente, não teve a felicidade de conseguir atrair a atenção do público, e com seu orçamento de 40 milhões de dólares, faturou apenas 32 milhões. Considero este um filme muito injustiçado.

 

LUNAR (2009)

105_18

SINOPSE: Durante quase três anos Sam Bell cumpriu seu contrato com a Lunar Industries, uma mineradora que opera no lado oculto da Lua extraindo Hélio 3, material que se tornou a principal fonte de energia da Terra. Sam não está tão sozinho, na sua companhia há Gerty, um robô-computador. Chegando próximo ao período do contrato terminar, o isolamento dos últimos anos começa a pesar. As únicas noticias que tem de casa e do resto do mundo chegam através de gravações de sua esposa e filha, pois as transmissões ao vivo foram interrompidas por causa de um defeito intermitente no satélite de comunicação. Cada vez mais ansioso pelo regresso ao lar, ele começa a se sentir fragmentado, entrando num estado agudo de paranoia.

COMENTÁRIOS: Lunar (Moon) é um filme britânico dirigido por Duncan Jones, que dividiu seu roteiro com Nathan Parker. Este é um drama espacial de suspense psicológico com uma abordagem muito peculiar, e na minha opinião traz uma das melhores atuações da carreira de Sam Rockwell. Como uma produção tão simples e linear consegue um feito tão bom quanto este? Repito, mérito total do seu principal ator. Não cabe muito explicar o efeito que Lunar causa, é o tipo de obra que só é completamente compreendida se assistirmos. Com um orçamento modesto de 5 milhões de dólares, a produção conseguiu uma receita final de 9.8 milhões

 

PANDORUM (2009)

105_19

SINOPSE: Payton e Bower são dois astronautas que acordam de um sono profundo dentro de uma nave aparentemente abandonada. Nenhum dos dois possui qualquer memória de quem são ou mesmo da missão que participam. Enquanto Payton fica no controle de um rádio comunicador, Bower explora o lugar para tentar encontrar alguma resposta. Porém as coisas começam a ficar muito estranhas quando percebem que talvez não estejam sozinhos, e que o destino de toda humanidade está em suas mãos.

COMENTÁRIOS: Pandoum (Pandorum) é uma produção norte-americana roteirizada por Travis Milloy e Bronwen Hughes, e tem a direção de Christian Alvart. Pandorum teve um lançamento muito, mas realmente muito tímido. Vamos começar pela sua bilheteria negativa: custo de 33 milhões de dólares, e faturamento de 20.6 milhões. A razão é pelo filme ser ruim? Nunca! Deveras longe disso! Este é um filme fenomenal, uma verdadeira obra do terror espacial e que faz jus às suas óbvias inspirações. Porque o filme rendeu tão mal então? Por causa de uma produtora e distribuidora de filmes chamada Overture Films, que chegou a falir em 2010 devido aos seus péssimos planos de divulgação e distribuição. Uma verdadeira lástima.

 

REPO MEN: O RESGATE DE ÓRGÃOS (2010)

105_20

SINOPSE: No ano de 2025 a medicina quebrou paradigmas, e todo tipo de órgão agora pode ser fabricado e comercializado. A The Union lidera esse mercado, oferecendo não apenas substituições para pessoas debilitadas, mas também melhorias para qualquer um que tenha condições e esteja disposto a pagar o altíssimo preço. O grande problema são as pessoas desejarem mas não conseguirem honrar as dívidas adquirida, e quando isso ocorre são acionados os repo-men, agentes privados dispostos a tudo para recobrar os bens da The Union.

COMENTÁRIOS: Repo Men: O Resgate de Órgãos (Repo Men) é produzido pelo Canadá e Estados Unidos, sendo roteirizado por Eric Garcia e Garrett Lerner. A direção é do cineasta britânico Miguel Sapochnik, mais conhecido por seu trabalho na série Game of Thrones. A crítica detesta este filme, e o motivo eu ainda estou processando. Na realidade estou tentando entender desde 2010, ano em que ele foi lançado. Em Repo Men: O Resgate de Órgãos temos um futuro distópico completamente louco, no qual a decência fora deixada de lado, e substituída pela obsessão pelo dinheiro. Além da sanguinolência sem limites, nos faz refletir o quanto a humanidade é capaz de se por refém de situações quais sabe que poderão ser bem cruéis. Alguns fazem isso por necessidade, até aí é compreensível, mas a grande maioria é apenas por vaidade. Me diz você o que achou, quero saber se estou louco sozinho e por ter colocado este filme na lista. Tendo um orçamento de 32 milhões de dólates, fechou no negativo com pouco mais de 18 milhões.

 

A ORIGEM (2010)

105_21

SINOPSE: Don Cobb é um dos melhores no que faz, invadir os sonhos das pessoas durante o sono e roubar os segredos mais valiosos. Tudo muda para ele quando quando é procurado por Saito, um ambicioso empresário decidido a usar suas habilidades para tomar o enorme império econômico de um rival. Para realizar este ousado plano, Cobb conta com a ajuda de Arthur, um comparsa de confiança, Ariadne, uma inexperiente arquiteta de sonhos, e Eames, que consegue se camuflar habilmente em sonhos.

COMENTÁRIOS: A Origem (Inception) é um filme britano-estadunidense escrito e dirigido por Christopher Nolan. Misturando de forma caótica e ao mesmo tempo organizada, A Origem faz uma excelente salada com ingredientes de ação, drama, suspense e fantasia. Sim, o conceito criado não tem embasamento científico algum, nem mesmo se pensando em futuro, logo é necessária uma boa dose de licença poética para considerar esta uma obra de ficção científica. Mas ele está nesta lista correto? Então acho que está fundamentada minha opinião pessoal. Dilemas conceituais à parte, o importante aqui é te convencer de assistir caso já não tenha o feito. Considerada mais uma grande obra do genial Nolan, A Origem traz um elenco brilhante, efeitos especiais soberbos, uma trilha sonora inspiradíssima e um roteiro espetacular como o de poucos filmes. Esta é uma “ficção científica” que brinca muito com o surrealismo, fazendo o espectador mergulhar em cenas fantásticas e complexas. E Nolan, obviamente sabendo desta quantidade de informação à ser interpretada, pontualmente te presenteia com slow motions pontuais de cair o queixo. Com um orçamento de 160 milhões de dólares, a produção teve uma receita final de incríveis 825 milhões!

 

O PREÇO DO AMANHÃ (2011)

105_22

SINOPSE: Num futuro não tão distante, o envelhecimento é interrompido aos 25 anos e as pessoas passam a negociar o tempo como moeda. Enquanto os ricos negociam décadas, podendo até se tornar imortais, as classes mais baixas são exploradas, precisam esmolar, pegar emprésimos impagáveis e, alguns recorrem até aos roubos para conserguir terminar mais um dia vivos. É neste cenário que Will Salas é acusado injustamente de assassinato, e terá de correr contra o relógio para provar sua inocência.

COMENTÁRIOS: O Preço do Amanhã (In Time) é uma produção norte-americana escrita e dirigida por Andrew Niccol. Quem imaginaria o carinha do NSYNC se revelando como um ator bem acima da média. Não serei hipócrita, eu não. E queimei a língua quando decidi dar a chance ao filme do até então: “só um canto teen”. O Preço do Amanhã é uma ficção científica distópica que conceitua o tempo como o bem mais valiosos para uma pessoa,  e com roteiro chamando cenas de ações frenéticas, faz seu simbolismo ficar ainda mais evidente. Junto de O Quinto Elemento (1997) e O Vingador do Futuro (1990), este é um dos filmes mais empolgantes de ficção científica dentro do estilo na minha opinião. Custando 40 milhões de dólares para ser feito, sua receita foi de 174 milhões.

 

STAR TREK: ALÉM DA ESCURIDÃO (2013)

105_23

SINOPSE: Quando a tripulação da Enterprise retorna para casa, é descoberta que uma força descomunal de dentro da própria organização foi responsável pela destruição de uma frota inteira da Federação. Com questões pessoais por resolver, Capitão Kirk lidera a caçada ao homem que leva uma arma de destruição em massa, localizado numa zona instável de guerra. Enquanto nossos heróis se veem num épico e mortal jogo de estratégia, o amor será desafiado, amizades serão desfeitas e sacrifícios aceitos pela única família de Kirk, sua tripulação.

COMENTÁRIOS: Star Trek: Além da Escuridão (Star Trek: Into Darkness) é um filme escrito por Roberto Orci, Alex Kurtzman e Damon Lindelof, que tem produção e direção de J. J. Abrams. Eu confesso que nunca me senti atraído por Star Trek original, e serei apedrejado por 48,26% dos leitores por causa disso. Mas essa roupagem moderna me atraiu muito, e informo pra quem talvez não saiba, muito deste novo conceito partiu de um game de ação e ficção científica chamado Mass Effect, que por contra partida foi inspirado também em Star Trek. Confuso? Considero Star Trek: Além da Escuridão o melhor dentre os três filmes recém lançados, e tenho certeza que irá agradar tanto fãs saudosistas quanto navegantes de primeira viagem. Com um orçamento de 190 milhões de dólares, a produção teve uma receita final de 467 milhões.

 

OBLIVION (2013)

105_24

SINOPSE: No futuro de uma Terra irreconhecível após a destruição causada pelo ataque de uma raça alienígena, Jack Harper é o responsável por manter em funcionamento os equipamentos de segurança do planeta. O que sobrou da humanidade hoje vive em uma colônia lunar, lugar para onde Jack irá após terminar seu período de trabalho. Mas em certo dia tudo muda quando Jack encontra a espaçonave de uma mulher, o que coloca em dúvida toda a realidade que ele conhece.

COMENTÁRIOS: Oblivion (Oblivion) é uma produção dirigida por Joseph Kosinski, que também colabora no roteiro junto com William Monahan, Karl Gajdusek e Michael Arndt. Oblivion é um filme esteticamente muito bonito de se ver e, que mostra esmero pela fotografia, efeitos especiais soberbos, uma trilha sonora matadora, e um figurino que vai chamar muito a atenção dos mais detalhistas. Com certeza um dos melhores filmes de seu ano de lançamento. Um título obrigatório para verdadeiros fãs de ficção científica! Tendo um orçamento de 120 milhões de dólares, Oblivion conseguiu uma receita de 286 milhões.

 

INTERESTELAR (2014)

105_25

SINOPSE: Os recursos naturais da Terra estão perto do fim, e para salvar a espécie humana, uma equipe de astronautas recebe a missão de verificar planetas candidatos para receber toda a população do mundo. Mesmo correndo um enorme risco de nunca mais voltar a ver seus filhos, Cooper, um ex-piloto da NASA, aceita liderar uma missão ao lado de Brand, Jenkins e Doyle, para buscar um novo lar para a humanidade.

COMENTÁRIOS: Interestelar (Interestellar) é um filme anglo-americano dirigido por Christopher Nolan, que também faz o roteiro em colaboração com seu irmão, Jonathan Nolan. O Cara não tinha muito a provar depois de Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008) e A Origem (2010), mas eis que o bendito me surge com mais essa! São dois filmes de ficção científica que me fazem brilhar os olhos, Contato (1997) e este aqui. Visualmente fantástico, Interestelar é uma homenagem muito respeitosa a academia científica. Claro, ele não é cientificamente perfeito, além de que incomodou algumas pessoas com suas explicações exageradas em certos momentos. É fã de Carl Sagan e Stephen Hawking? Parece que os irmãos Nolan também! Com um orçamento de 165 milhões de dólares, a produção somou uma reveira de 675 milhões! Um ótimo número para um filme de nicho.

 

O PREDESTINADO (2014)

105_26

SINOPSE: Após anos de missões viajando no tempo aplicando a lei e caçando criminosos, um agente temporal enfrenta sua última missão, dar fim as ações do perigoso terrorista responsável pela morte de milhares de pessoas, um foragido conhecido, e que já vinha enganando as autoridades por muito tempo.

COMENTÁRIOS: O Predestinado (Predestination) é uma produção australiana baseada no conto All You Zombies de Robert A. Heinlein, e que foi adaptada e dirigida pelos The Spierig Brothers. Bem diferente do que a sinopse propõe, O Predestinado não se trata de um filme de ação, aqui você vai receber na veia uma dose de ficção científica da pesada. Com uma trama complexa e cheia de reviravoltas, é diversão para aqueles que curtem quebrar a cabela por uma boa história. Bastante premiado na Austrália, seu país de origem, o longa teve um orçamentode 5.3 milhões de dólares, e uma receita negativa de 4.1 milhões. Caso de mais um excelente filme traído pela bilheteria, uma pena.

 

PLANETA DOS MACACOS: A GUERRA (2017)

105_27

SINOPSE: Quando um impiedoso coronel ordena um covarde ataque contra a tribo de César, o grupo é forçado mais uma vez a entrar num brutal combate contra os humanos. Após os macacos sofrerem perdas inimagináveis, César se enche de ódio como nunca antes, e decide marchar com seu exército. Lutando contra seus instintos mais sombrios e primitivos, César se coloca frente à frente contra aquele homem cruel, iniciando uma guerra épica que determinaria o destino de suas espécies e o futuro do planeta.

COMENTÁRIOS: Planeta dos Macacos: A Guerra (War for the Planet of the Apes) é uma superprodução norte-americana dirigida por Matt Reeves, que também participa do roteiro em conjunto com Mark Bomback. Eu só conhecia O Planeta dos Macacos por nome, e rolava até um pouco de preconceito quando via as produções antigas da década de 60 e 70. Mas quando meu falecido tio me recomendou, dizendo para considerear o conteúdo e não a estética, o meu mudo mudou. Planeta dos Macacos é uma saga de ficção científica fantástica e muito rica em detalhes, onde todos os filmes tem importância. Não se engane, para entender de verdade a série, é preciso também ver os filmes antigos. Os novos não se tratam de remakes, mas sim continuações canônicas. Recomendo demais! Com um orçamento significativo de 150 milhões de dólares, Planeta dos Macacos: A Guerra produziu uma receita de 490 milhões.

Barra Divisória

assinatura_dan

SUNSHINE: ALERTA SOLAR (CRÍTICA)

102_00

SINOPSE
O ano é 2057 e a humanidade está prestes a deixar de existir. O Sol passou a se consumir mais rápido do que era então previsto, e sua perda de potência significaria o fim da vida na Terra. Mas num último esforço para evitar tal catástrofe, a Icarus II e sua tripulação de oito voluntários, transporta uma poderosa e gigantesca bomba nuclear. O objetivo: se aproximar o suficiente do Sol e lançá-la em sua direção, para assim, conforme o teorizado, revitalizar a vida útil da estrela. No entanto a longa viagem é interrompida por um chamado de socorro da Icarus I, a nave que sete anos antes se destinava ao mesmo objetivo, e que misteriosamente havia fracassado. A tripulação se divide entre aqueles que não querem se desviar da missão, e aqueles que sentem necessidade de atender o pedido.

102_01

COMENTÁRIOS
Definitivamente eu fico bem triste com a reação negativa que há pela crítica com relação a este filme. Sim, eu sei que gosto é algo bastante pessoal, no entanto para este caso em particular eu não vejo sentido algum em apedrejarem tanto a produção. Sunshine: Alerta Solar, ou apenas Sunshine, é um filme de ficção científica espacial de suspense, que embora tenha uma premissa até simples, traz um elenco de qualidade e um roteiro que se desenvolve de forma bastante interessante. É neste filme que eu pela primeira vez fui exposto ao trabalho de Cillian Murphy, um cara que desde então vejo cada vez mais se superar. E já em Sunshine era nítida sua capacidade como ator, uma vez que o cara realmente se dedicou em estudar termos e linguajares comuns à um físico com a experiência de seu personagem. A dedicação foi tamanha, que o cara decidiu tirar uns dias na CERN para aprender os maneirismos de verdadeiros cientistas.  Esforço este que foi elogiado Brian Cox, um renomado professor de física da Universidade de Manchester, e também apresentador da BBC. Cox classificou a atuação de Murphy como “brilhante” e “uma grande interpretação de um físico”.

102_02

Partindo um pouco para a produção, Sunshine é simplesmente deslumbrante! Suas tomadas externas espaciais são de tirar o fôlego, mostrando câmeras vagarosas e posicionadas em ângulos que definem o que é uma cinematografia de verdade. Conceitualmente toda sua construção é bem acabada e realista, mostrando uma nave completamente coerente e convincente. Junta-se isso à uma película mórfica bastante inspirada, e temos cenas maravilhosas, como a de uma ampla sala com controle de potência dos raios solares, onde se é possível avistar de forma frontal e próxima a beleza imponente do Sol. Considerando a trama, acho muito interessante a abordagem final. Não vou detalhar porque não quero fazer desta uma análise com spoilers, mas a inspiração, qual muita gente usa para justificar a razão de não ter gostado do filme, é exatamente o que faz dele diferente de todos os outros suspenses espaciais do gênero. Se não fosse esse diferencial, o quanto este seria diferente de Esfera (1998) ou O Enigma do Horizonte (1997) por exemplo? Acho que as pessoas deveriam parar de ser chatas e apreciarem as obras por aquilo que elas são, e não pelo que elas gostariam que fossem.

102_03

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Cillian Murphy, Chris Evans, Rose Byrne, Michelle Yeoh, Cliff Curtis, Troy Garity, Hiroyuki Sanada, Benedict Wong, Chipo Chung e Mark Strong compõem o elenco. Dirigido por Danny Boyle e escrito por Alex Garland, Sunshine: Alerta Solar é um thriller psicológico de ficção científica lançado em 2007. Produzido por Andrew Macdonald, foi coproduzido entre os estúdios Moving Picture Company, DNA Films, UK Film Council e Ingenious Film Partners, e teve sua distribuição para os cinemas ficou pela Fox Searchlight Pictures. Recebeu o prêmio de Melhor Realização Técnica da British Independent Film Awards 2008, e foi indicado em diversas outras categorias. Mesmo sendo um excelente filme, não teve a felicidade de conseguir atrair a atenção do público, e com seu orçamento de 40 milhões de dólares, faturou apenas 32 milhões.

CONCLUSÃO
Pouco valorizado pela crítica, e menos ainda pela audiência dos cinemas, Sunshine: Alerta Solar é um filme de ficção científica espacial de suspense que preenche todos os pré-requisitos para ser, no mínimo, um bom filme. Definitivamente eu não compreendo o que se passa na cabeça de uma criatura que dispara tomates contra um filme que tem excelente produção, uma ótima direção, quadro de atores fantásticos, e que além de entregar toda a rotina de itens para a convenção do gênero, ainda traz de extra, elementos novos e criativos. Eu não tenho muito a fazer além de pedir para que assista e tire sua própria conclusão. Sunshine: Alerta Solar é classificado como recomendado para maiores de 14 anos.

Barra Divisória

assinatura_dan

OS MELHORES FILMES SOBRE ALIENÍGENAS

093_00

CONTATOS IMEDIATOS DE TERCEIRO GRAU (1977)

093_03

SINOPSE: No meio de uma tempestade de areia no deserto californiano, vários aviões considerados desaparecidos desde a Segunda Guerra, reaparecem intactos sem nenhuma explicação. Sendo a única testemunha, um mexicano que dizia que o Sol saiu de noite, e cantou para ele. Os estranho eventos e aparição de luzes cantes no céu continuou a suceder. Roy Neary, um pai de família comum e técnido de uma companhia elétrica, acaba tendo um encontro com um disco voador numa rodovia completamente deserta. Enquanto em outro ponto, Jillian Guiller, tem seu filho Barry de apenas três anos abduzido pelos seres do espaço. Então Roy Jillian começam focam na beira da loucura tentando entender a real intenção daquelas criaturas.

COMENTÁRIOS: Contatos Imediatos do Terceiro Grau (Close Encounters of the Third Kind) é um filme do genial Steven Spielberg, e é sem dúvidas um dos filmes hollywoodianos mais importantes do gênero. A obra de ficção científica tem uma trama inspiradíssima, na qual ficamos até o fim sem ter certeza da verdadeira intenção daqueles seres alienígenas.

 

INTRUDERS (1992)

093_11

SINOPSE: Uma competente psiquiatra de um hospital de Los Angeles pesquisa os problemas de duas de suas pacientes, e acaba sendo inserida num complexo universo relacionado ao fenômeno OVNI.

COMENTÁRIOS: Intruders se baseia no best-seller de Budd Hopkins, e resgata centenas de casos de histórias verídicas, vividas por pessoas que passaram por experiências extraterrestres. Um filme surpreendente para todos os apaixonados pelo gênero, colocando o espectador em contato com vasta documentação e evidências físicas comprovadas.

 

FOGO NO CÉU (1993)

093_02

SINOPSE: Em 1975 um grupo de amigos trabalham como lenhadores no Arizona, e no retorno para casa avistam uma estranha luz vindo da mata. Intrigados eles se aproximam para ver melhor do que aquilo se tratava. Quando Travis Walton decide sair do carro, contrariando os avisos do amigo. Como se estivesse hipnotizado ele se aproxima daquela enorme luz que os pairava, e é suspenso no ar fazendo com que todos se assustassem. Fugindo em pânico daquela situação, os amigos deixam Travis para trás, mas retornam e não o encontram mais. Ainda mais assustados eles fogem do local, e procuram as autoridades, que duvidam de toda a história.

COMENTÁRIOS: Fogo no Céu (Fire in the Sky) é baseado no caso real de abdução de Travis Walton, e teve grande repercussão nos Estados Unidos em 1975. O caso de Walton recebeu bastante atenção da mídia, sendo um dos mais conhecidos casos de alegação de abdução alienígena. O filme é verdadeiramente bom como um drama de suspense, quanto documentação para os interessados em ufologia.

 

A INVASÃO (1996)

093_05

SINOPSE: Zane Zaminsky é um radioastrônomo entusiasta na busca por sinais vindos do espaço, e descobre uma emissão interestelar estranha vinda de um ponto 14 anos luz no espaço. Zane então entrega o registro da descoberta para seu chefe no Laboratório de Propulsão da NASA, e logo após é demitido com o pretexto de cortes no orçamento. Agora num novo emprego como operador de antena, descobre um forte sinal vindo do México, e intrigado decide investigar por conta prória. Lá ele encontra Ilana Green, uma climatologista que também fez estranhas descobertas, e acabam se envolendo numa perigosa conspiração.

COMENTÁRIOS: A Invação (The Arrival) é um filme que em seu lançamento teve um ótimo desempenho, mas hoje pouco é lembrado. Isso inclui até mesmo as que são fãs de ficção científica. Sua trama envolvente traz tensão do começo ao fim, e é sem dúvida ums dos melhores trabalhos de Charlie Sheen fora da comédia. Empolgante e divertido, traz um final surpreendente!

 

CONTATO (1997)

093_06

SINOPSE: Desde criança Ellie Arroway sempre foi apaixonada pela busca de vidas fora da Terra. Dedicada a sua pesquisa, beira a obsessão quando ao captar uma mensagem extraterrestre detalhando a montagem de uma desconhecida máquina, faz questão de ser a voluntária para o inseguro teste.

COMENTÁRIOS: Contato (Contact) é um filme baseado no romance homônimo de Carl Sagan, e conta com detalhes como costuma ser a rotina de uma pessoa que busca por sinais de rádio vindos do espaço. Dirigido por Robert Zemeckis, é junto com Contatos Imediatos do Terceiro Grau, um das melhores e mais importantes obras do gênero.

 

ESTRANHAS CRIATURAS (1998)

093_10

SINOPSE: A festividade da noite de Ação de Graças é interrompida por um aparente bleacute, e os irmãos McPherson saem na noite com uma câmera na mão para investigar o que pode ter sido o motivo. Para o azar deles acabam encontrando uma resposta nada convencional.

COMENTÁRIOS: Estranhas Criaturas (Alien Abduction: Incident in Lake County) é um filme independente que oficialmente nunca chegou no Brasil. Esta produção se enquadra como um ‘found footage’, o mesmo conceito proposto por A Bruxa de Blair (1999), onde supostamente é encontrado uma gravação amadora de um evento misterioso. Aparentemente descartável para muita gente devido a sua estética, Estranhas Criaturas é na verdade excelente para convencer os amigos de que é tudo real e se divertir.

 

SINAIS (2002)

093_01

SINOPSE: Graham Hess é um viúvo que mora com seus filhos, Morgan e Bo, e com seu irmão Merrill, no condado de Bucks, na Pensilvânia. Antes ele costumava ser o pastor da região, mas após a morte de sua esposa, se tornou uma pessoa ressentida e não gosta mais de ser chamado assim. Colleen morreu atropelada por Ray Reddy, um vizinho que dirigia alcoolizado. A família começa a ficar bastante assustada com misteriosos desenhos geométricos que começam a surgir em sua plantação sem o menor vestígio de terem sido feitos.

COMENTÁRIOS: Sinais (Signs) é um filme de ficção com a temática extraterrestre e um dos melhores de M. Night Shyamalan, também diretor de O Sexto Sentido (1999). Embora seja uma ficção, sua pegada dramática é tem uma atmosfera cheia de tensão e realismo.

O SEGREDO DO CÉU (2007)

093_09

SINOPSE: Cinco amigos saem em numa longa viagem à bordo de micro-ônibus, quando no cair da noite avistam no céu uma curiosa formação de luzes que se movem velozmente. Após o evento um pequeno acidente com o veículo obriga que eles parem na beira da estrada, e inicia-se um assustador encontro com criaturas alienígenas.

COMENTÁRIOS: O Segredo do Céu (Night Skies) usa como palco o maior avistamento em massa da história da ufologia, quando em 1997 uma série de luzes pôde ser vista por milhares de pessoas no Arizona. O caso ficou conhecido mundialmente como Luzes de Phoenix, e embora o caso seja um fato real, os eventos do longa são total ficção, no qual se mistura suspense e terror, conseguindo um excelente resultado, tanto para quem se interessa pelo assunto ou apenas quer se divertir.

 

CONTATOS DE 4º GRAU (2009)

093_12

SINOPSE: Várias pessoas começam a desaparecer numa pequena cidade do Alasca, e isso atrai atenção de um estudioso que acaba misteriosamente assassinado após ter se envolvido em investigar. Depois da morte do marido, Abigail Tyler, psicóloga, decidi dar continuidade aos estudos do marido, observando filmagens de sessões  que evidenciavam casos de possíveis abduções alienígenas. Sua própria vida começa a ficar conturbada, quando toda noite acorda repentinamente no mesmo horário, e a única coisa que sempre recorda é de estranha coruja na janela.

COMENTÁRIOS: Contatos de 4º Grau (The 4th Kind) é um filme de ficção científica que enganou muita gente ao se passar como baseado em fatos reais. Intrigante e realmente muito assustador, ele cria a falsa verdade para atrair maior público e dar ainda mais tensão para sua história contada. Mas engana-se quem acha que o fato de terem usado deste artifício faz deste um filme ruim. Muito pelo contrário, Contatos de 4º Grau é uma obra excelente e que deve ser vista!

 

AREA Q (2012)

093_08

SINOPSE: Thomas Matthews é um jornalista norte americano que após o desaparecimento de seu filho decide aceitar uma pauta bastante incomum de pesquisa, e viaja para o Brasil, mais precisamente a cidade de Quixadá, no sertão cearense. Seu objeto de estudo são os misteriosos fenômenos ufológicos que vem ocorrendo na cidade, então ele parte numa sequência de entrevistas aos moradores para montar um cenário de entendimento.

COMENTÁRIOS: Área Q (Area Q) se inspira e usa como plano de fundo o famoso Caso Barroso, que teria ocorrido em 1976, onde um homem relatou ter sido contactado, e após isso começou a sofrer severas debilitações na saúde até a sua morte. Sua produção é de baixíssimo orçamento, mas obrigatório para quem se interessa pelo assunto ufologia.

 

OS ESCOLHIDOS (2013)

093_07

SINOPSE: A família Barrett é normal e rotineira como qualquer outra, mas passa a ser conturbada quando sinistros fenômenos sobrenaturais começam a acontecer. Lacy, a mãe, decide partir numa busca incansável por explicações para esses assustadores eventos que envolve todos os familiares. O que ela irá descobrir não vai ser nada bom.

COMENTÁRIOS: Os Escolhidos (Dark Skies) é filme de ficção científica com ares de terror e suspense bastante atrativo. Seu clima enigmático colabora muito para que criemos a expectativa ansiosas por um entendimento e resolução da trama.

 

A CHEGADA (2016)

093_04

SINOPSE: Sistematicamente várias naves extraterrestres chegam na Terra e estacionam em diversas cidades do mundo, e com auxílio das Forças Armadas, a Dra. Louise Banks tenta se comunicar para tentar descobrir suas reais intenções.

COMENTÁRIOS: A Chegada (Arrival) é um filme de ficção científica bastante original, que traz o assunto linguística como pauta. Seu clima não é de ação ou aventura, mas sim de um tenso quebra-cabeças para entender uma língua completamente diferente das conhecidas pela humanidade. Decifrar a mensagem é crucial para saber se o planeta está ou não correndo algum risco.

Barra Divisória

assinatura_dan

OS DOZE MACACOS (CRÍTICA)

083_00

SINOPSE
No ano de 2035 a população humana abandonou a superfície e passou a viver no subsolo para fugir de uma poderosa epidemia. Agora com os avanços da tecnologia é possível fazer viagens no tempo, e para isso, prisioneiros são treinados para cumprir missões de campo, na troca de redução da pena e outras vantagens. Os presos se submetem a cumprir tarefas para uma cúpula de cientistas e, James Cole é incumbido de uma missão primordial, voltar até 1996 para investigar o grupo terrorista, Os Doze Macacos, e conseguir uma amostra do vírus. Acidentalmente James vai para no ano errado, em 1990, e acaba sendo capturado pela polícia local. Dado como louco por suas alegações, ele é levado para um sanatório, onde conhece Jeffrey Goines, um jovem completamente fora de órbita, que o fará se questionar de sua própria sanidade.

083_01

COMENTÁRIOS
Os Doze Macacos é um dos maiores clássicos cult de ficção científica de antes da virada do milênio, e  foi inspirado no curta-metragem francês La Jetée. Explorando viagens no tempo e paradoxos temporais, você é abduzido para dentro de uma trama confusa e cheia de reviravoltas. O mais fascinante neste roteiro fantástico, é que mesmo dando um enorme nó na cabeça, ele consegue fechar em uma conclusão sólida e ao mesmo tempo interrogativa. Ao fim filme chegamos numa questão (não, darei spoilers aqui), algo completamente aceitável, e que não nos deixa com a sensação de ter sido ludibriado por um script que não soube fechar. Muito pelo contrário, todo o texto fora desenvolvido exatamente para sua conclusão. Parece algo bobo? Acredite, a maioria das histórias são feitas sem a previsão de fechamento.

083_02

Assisti ao filme próximo ao seu lançamento, eu devia ter uns doze anos, igual aos macacos, e tenho de assumir, não gostei porque não entendi nada! Daí conhecendo a mística ao redor da obra, decidi rever novamente. E agora sim, com os neurônios, mais ou menos, instalados e organizados na cachola, consegui curti e compreender o que era tão fantástico para esse filme ser lembrado com tanto saudosismo até hoje. Brad Pitt está fenomenal! Incorpora um louco que manicômio nenhum tem estrutura para alojar! Não à toa recebeu o Golden Globe Awards de melhor ator coadjuvante. Bruce Willis também está muito bem ao lado de Madeleine Stowe, mas o que mais ressalta em Os Doze Macacos realmente é seu fascinante roteiro, escrito pelo casal David e Janet Peoples. A direção impecável é feita por Terry Gilliam, um cineasta visionário que trabalhos em filmes como O Pescador de Ilusões, Brazil: O Filme, Medo e Delírio, Monty Python: Em Busca do Cálice Sagrado, e muitos outros.

083_03

COMENTÁRIOS COM SPOILERS
Já vacinado por filmes e mais filmes de ficção que abordam temas como viagem no tempo e paradoxos, considero Os Doze Macacos um filme de fácil compreensão em sua conclusão, embora toda sua extensão até antes do fim intimide bastante. Mas se você se confundiu um pouquinho em entender como a história finaliza, eu vou tentar te ajudar. James Cole realmente é um prisioneiro do futuro com a função de voltar até 1996 na intenção de pegar uma amostra do vírus. Porém quando ele vai parar em 1990 devido à um erro da viagem, conhece Jeffrey Goines. Enquanto dopado no manicômio, James sem intenção lança a causa de todos os males à mente perturbada de Jeffrey. É o próprio James que sugere a ideia dos Doze Macacos para Jeffrey. Há um hiato de eventos entre o episódio de 1990 e o ano de 1996, quando Jeffrey agora está em sua casa, junto de seu pai, um renomado cientista. Jeffrey então sai do controle, amordaça o pai e decide trazer o caos liberando o vírus. E aí está o pulo do gato. Ao mesmo tempo que cogitamos ser James o culpado em dar a ideia para Jeffrey, também precisamos lembrar de Dr. Peters, assistente de Dr. Leland Goines, pai de Jeffrey, era tão louco quanto Jeffrey. Recobramos isso quando lembramos que no início do filme ele se mostrava obsessivo com Kathryn Railly numa sessão de autógrafos. Dada essa proximidade de Dr. Peters aos trabalhos de Dr. Leland Goines, entende-se que ele paralelamente criou o vírus devido à influência, também louca, de Jeffrey. No fim uma cientista chefe vinda do ano de 2035 volta pessoalmente à 1996 para em definitivo consertar as coisas dentro do voo que Dr. Peters conseguiu embarcar com o vírus, mas ainda ficamos com o paradoxo, Cole foi ou não responsável por influenciar Joffrey? Ele precisou voltar no tempo para impedir algo que ele mesmo causou por voltar no tempo? Confuso? Esse é o paradoxo. E essa dúvida não pode ser respondida, é a cereja do filme. Então desculpe, mas você vai ter de dormir com esse looping infinito.

083_04

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Bruce Willis, Madeleine Stowe, Joseph Melito, Joey Perillo, Brad Pitt, Christopher Plummer, Michael Chance, Vernon Campbell, David Morse, Christopher Meloni, Simon Jones, Bill Raymond, Bob Adrian e H. Michael Walls compõem o elenco. Os Doze Macacos é um filme de ficção científica norte americano de 1995 escrito pela dupla David e Janet Peoples, e foi dirigido por Terry Gilliam. A produção de Charles Roven teve um orçamento de 29.5 milhões de dólares, e uma receita final de 168.8 milhões. O longa recebeu o ASCAP Award, prêmio de maior bilheteria, foi nomeado a dois Óscares, como melhor ator coadjuvante para Brad Pitt, e melhor desing de roupas para Julie Weiss. Brad Pitt foi premiado pelo Golden Globe Awards como melhor performance de um ator coadjuvante.

CONCLUSÃO
Uma obra de arte do cinema lançada em 1995 que certamente serviu de inspiração para filmes como Efeito Borboleta (2004), O Predestinado (2013), No Limite do Amanhã (2014), ou mesmo o suprassumo da maluquice em se tratando de viagens no tempo, Donnie Darko (2001). Os Doze Macacos é um filme antigo que envelheceu muito bem. Tem uma película granulada que entrega logo sua geração, mas que de forma alguma onera em sua qualidade. Na realidade isso é até um charme que foi intencionalmente repetido até pelo atual Coringa (2019). Lição de casa se ainda não conhece essa pérola do cinema: faça sua pipoca, pegue uma bebida não muito forte, porque aí mesmo que você não vai entender nada, e sente-se confortavelmente para a viagem mais louca depois de Donnie Darko! Este filme é recomendado para adultos! Boa sorte!

Barra Divisória

assinatura_dan

STAR WARS: EPISÓDIO III – A VINGANÇA DOS SITH (CRÍTICA)

073_00

Guerra! A República está desmoronando sob o ataque do impiedoso Lorde Sith, Conde Dookan. Há heróis de ambos os lados. O Mal está por toda parte.
Em uma manobra surpreendente, o perverso líder droide, General Grievous, invadiu a capital da República e sequestrou o Chanceler Palpatine, líder do Senado Galáctico.
Enquanto o Exército Separatista de Droides tenta escapar da capital sitiada com seu valioso refém, dois Cavaleiros Jedi lideram uma missão desesperada para resgatar o Chanceler preso…

Três anos de passaram desde a Batalha de Geonosis (Star Wars: Episódio II – O Ataque dos Clones, 2002), onde teve início a grande guerra que envolveu diversos sistemas planetários.  A galáxia oscila entre as duas facções que lutam pela hegemonia. De um lado a fragilizada democracia, liderada pela figura dúbia do Chanceler Palpatine, cujas forças se concentram no auxílio do Conselho Jedi e nas tropas de soldados-clones; do outro, a Aliança Separatista, cujo líder, o ex mestre jedi Conde Dookan, deseja não pertencer mais a República e tem no exército droide sua grande força de batalha.

Mas enquanto a República está em crise, a Ordem Jedi questiona as intenções da guerra. Desconfiam do Chanceler que não tenciona deixar o cargo após conflito e ainda quer aumentar a militarização da República. A guerra caminha bem para o lado da republicano, mas os sentimentos conflituosos de Anakin Skywalker o fazem se tornar um agente duplo entre o Conselho Jedi e o plano de poder de Palpatine. Os jedis desconfiam do Chanceler Supremo. Parece que a passos firmes o antigo garoto de Tatooine, o escolhido para trazer equilíbrio à Força (Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma, 1999), começa a sucumbir diante da ameaça sith, do medo e da cobiça.

073_01

Título original: Star Wars: Episode III – Revenge of the Sith
Direção: George Lucas
Roteiro: George Lucas
Duração: 2h 20min
Lançamento: 19 de maio de 2005

073_02

Elenco: Ewan McGregor (Obi-Wan Kenobi), Natalie Portman (Padmé), Hayden Christensen (Anakin Skywalker), Christopher Lee (Conde Dookan / Darth Tyranus), Samuel L. Jackson (Mace Windu), Frank Oz (Yoda) e Ian McDiarmid (Chanceler Supremo Palpatine).

073_03

DE ANAKIN A DARTH VADER
Já analisamos nos dois outros filmes da trilogia prequela (pré-sequência), a Ameaça Fantasma (1999) e Ataque dos Clones (2002), como a pequenos passos o garotinho escravo de Tatooine trilhava um caminho dúbio. Apesar da fé cega de Qui-Gon Jinn de acreditar que Anakin seria o Escolhido, aquele que traria equilíbrio para a Força, o menino fora descoberto muito velho para um treinamento jedi convencional. Fora descoberto velho porque cresceu na Orla Exterior, fora da jurisdição da República e do Conselho Jedi. Alia-se a isso sua ligação fortíssima a mãe e por ter se tornado discípulo de Obin Wan Kenobi, ainda jovem cavaleiro e, portanto, não tão experiente.

Anakin parece crescer em poder, mas não em sabedoria. Aquela arrogância meiga de quando era criança de se achar o melhor piloto de pods, faz com que atravesse a adolescência achando-se o melhor jedi existente (o que, de certa forma, era verdade). Mas mesmo com os conselhos equilibrados de Obi Wan, Anakin se deixa seduzir pelos sentimentos passionais humanos: o amor por Padmé Amidala, fixação desde criança, os sonhos premonitórios de morte de sua mãe e o crescente desgosto por não se achar valorizado o bastante pela Ordem Jedi. E ao final do do Episódio II, Skywalker se casa às escondidas (algo proibido a um jedi), tenta salvar sua mãe (que perece em seus braços), assassina uma aldeia inteira por pura vingança e se torna cada vez mais íntimo de Palpatine, um homem ambicioso e alterego de Darth Sidious.

073_04

Quando o Episódio III tem início, sabemos logo de cara o quanto a influência de Palpatine já estava sedimentada: Anakin executa Conde Dookan na frente do Chanceler que calmamente assiste. Obin Wan desacordado, não vê seu antigo aprendiz se vingar do homem que lhe decepara a mão. A partir desse momento, o Chanceler Supremo, que claramente havia arquitetado o próprio sequestro, tendo se livrado de seu antigo aprendiz Darth Tiranus (Dookan), começa o processo de conversão definitiva de Anakin Skywalker.

A estratégia do Chanceler se dá por duas vias: o medo e a desconfiança. Anakin passa a ter sonhos premonitórios nos quais Padmé morre no parto. Sonhos que o atormentam semelhantes àqueles que prenunciavam a morte de sua mãe pelos povos da areia. Nesse ponto, Darth Sidious acaba demonstrando que o Lado Negro possui as ferramentas para evitar que alguém morra. Um processo antinatural para a filosofia jedi, porque quem morre se torna um com a Força. Assim o Chanceler Supremo conta a história de Darth Plagueis, que fora assassinado dormindo por seu aprendiz (pressupomos ser Darth Sidous), mas que antes de morrer passara ao aluno o segredo para imortalidade.

073_05

Enquanto medo de morrer é enfatizado e possui a solução antinatural, a desconfiança de Anakin cresce em relação ao Conselho, alimentada pela falsidade das palavras do lorde sombrio. Prevendo cada passo dos jedis, ele incita Anakin a pleitear um lugar no conselho, mesmo sendo muito jovem para isso. Isso é negado prontamente por Yoda e Mace, tornando-o meramente um ouvinte do conselho. Em seguida ainda solicitam que Anakin espione o Chanceler, para ele uma traição à República. Enquanto os jedis desconfiam (tarde demais) das intenções de Palpatine, esse continua a sustentar que na verdade o Conselho quer tirar seu cargo para assumirem o poder da Galáxia.

É essa trilha do medo e da desconfiança que serão armas sedutoras do Lado Negro. Alie-se a isso a crescente ânsia de Anakin em se tornar cada mais poderoso e temos os ingredientes que formarão Darth Vader.

073_06

PODER ILIMITADO
Durante o este último episódio da trilogia prequela, finalmente vemos a ascensão definitiva de Darth Sidious e a formação do Império Galáctico, o governo tirânico contra o qual lutarão os Rebeldes de Uma nova esperança (1977).

A estratégia do chanceler Palpatine para manter o poder é conhecida pelos cientistas políticos e é chamada de Guerra Perpétua. Ele chega ao poder através de conflitos com a Federação do Comércio, obtém maiores privilégios através da Guerra dos Clones e solidifica sua posição através da guerra contra os Jedi.

Cabe relembrar a trajetória o plano foi minuciosamente trabalhado através dos anos:

  • 073_07(Episódio I) Como Senador de Naboo, incita a Federação de Comércio a um bloqueio comercial, o que faz com que a própria Senadora Amidala proponha um voto de desconfiança ao antigo Chanceler Supremo. Palpatine termina por ocupar o lugar deste na chefia do Senado Galáctico e descobre o potencial do garotinho Anakin;
  • 073_08Com poderes imediatos, encomenda em nome do conselho um exército de clones para República, ao passo que auxilia os Separatistas, na sua rebelião contra a democracia. Enquanto se torna conselheiro de Anakin, ainda padawan, o Chanceler começa a militarizar ambos os lados da guerra contando com o apoio de seu aprendiz, Conde Dookan;
  • 073_09(Episódio II) Usa então um senador patético, Jar Jar Binks que ocupa o lugar de Padmé, afastada do Senado devido a um atentado, para propor que ele obtenha poderes emergenciais e a criação de um exército da República (os clones). De acordo com Ahmed Best, houve uma cena deletada em que, antes de ele se coroar Imperador, Palpatine agradeceu Jar Jar Binks por ter concedido os poderes emergenciais que lhe permitiram dominar a Galáxia;
  • 073_10(Episódio III) Com a suposta traição do Conselho Jedi, propõe que a República se torne um Império Galáctico, e executa Ordem 66: uma programação embutida nos clones que visava à execução de todo e qualquer jedi;
  • 073_11Por fim converte Anakin em Darth Vader, seu aprendiz e um poderoso manipulador da Força. Um jedi caído, cego pelo ódio e pelo desespero por achar ter assassinado seu grande amor em um momento de fúria.

E talvez a citação mais icônica e irônica é justamente quando Padmé Amidala, na plenária que deu origem a formação do Império Galáctico, constata o fim da República. Ela que sempre defendera a desmilitarização, a solução diplomática para o conflito, com os olhos marejados diante a aprovação unânime do Senado, enfim, diz:

Então é assim que a liberdade morre: com um estrondoso aplauso.

073_12

UMA NOVA ESPERANÇA
A ascensão dos sith é o declínio da influência jedi na Galáxia. Mesmo que Mace Windu desconfiasse desde sempre do Chanceler e sua relação com Anakin; mesmo que Yoda percebesse a perturbação na Força e tivesse seus medos em relação a Skywalker; mesmo que Obi Wan visse a arrogância de Anakin e a relevasse por achar que era coisa da juventude e que a meditação e a experiência o curariam; os jedi estavam cegos pelo orgulho e pelo conflito no qual estavam inseridos.

E o jovem Vader, ainda sem sua armadura característica, empreende a chacina até de crianças aprendizes do templo e de toda alta cúpula Separatista. Perde duramente para Obin Wan em uma batalha de sabres de luz de tirar o fôlego. Aqui duas cenas se sobrepõe: Kenobi versus Anakin, Yoda versus Imperador. Anakin e Yoda perdem pelo mesmo motivo: seus adversários estão em nível superior, desvantagem. O fim dos duelos é o fim trágico da liberdade na Galáxia.

Este filme se passa 19 anos antes de Uma Nova Esperança (1977). Então o Episódio III lanças as sementes para o próximo filme e, até certo ponto, elucida para os fãs algumas pontas soltas que marcam a história da trilogia clássica das décadas de 1970 e 1980. Alguns pontos são esclarecidos e merecem destaque:

  • 073_13Darth Vader usa aquela armadura altamente tecnológica e como vilão é muito mais robótico que humano. Isso são reflexos da ultima batalha contra Kenobi no Planeta Mustafa (palavra que vem do árabe, “o escolhido”). Seu andar cambaleante, devido ao peso extra colocado no traje, faz com que ele seja semelhante a um Frankenstein;
  • 073_14Após a morte de Padmé, mas por tristeza do que por causas médicas, vemos como Leia e Luke são separados em seu nascimento. A primeira destinada a família Organa, grande aliada de Naboo desde muito tempo; o último para a terra árida de Tatooine para ser criado por seu meio irmão e vigiado, ao longe, por Obin Wan Kenobi;
  • 073_15O termo “Rebelde” é usado primeiramente neste filme para se referir aos jedis que se opõem a tirania do Império e mais tarde se estenderá para toda a oposição galáctica;
  • 073_16Percebemos que o exílio de Obi Wan tem relação com a vida após a morte, pois ele treinará com o espírito de Qui Gon. Isso explica a voz interior do mestre Kenobi que fala com Luke e sua posterior aparição para o jovem na trilogia clássica. O mesmo para Yoda que se retira para Dagobah, após a derrota para o Imperador, para entender os desígnios da Força;
  • 073_17Cabe lembrar que alguns personagens da franquia tem sua presença explicada neste loga como o motivo para C3PO e R2D2 não se lembrarem dos acontecimentos das Guerras Clônicas. Respectivamente, o droide de protocolo termina com Luke e o astrodoide com a família Organa. Também Chewbacca, como veterano de guerra, que lutou ao lado de Yoda em seu planeta natal Kashyyyk, estreia nesse longa e nos mostra seu passado guerreiro;
  • 073_18Por fim, e não menos importante, os planos da Estrela da Morte, que estavam de posse dos Separatistas em Geonosis (final do Episódios II), revelam-se a todo vapor, primeiro na cena que Palpatine estuda em seu gabinete, em uma rápida projeção, depois, no final do filme, como arma está sendo construída.

CURIOSIDADES

  1. 073_19Ewan McGregor e Hayden Christensen treinaram por dois meses em esgrima e condicionamento físico, em preparação para sua batalha épica. Como resultado de sua prática, a velocidade com que Kenobi e Vader se envolvem no duelo é a velocidade em que foi filmada e não foi acelerada digitalmente.
  2. 073_20Em 2007, o Dr. Eric Bui, psiquiatra francês, coescreveu um estudo que diagnosticou Anakin Skywalker como tendo Transtorno da Personalidade Borderline. Quando os autores relataram suas descobertas na reunião anual da Associação Americana de Psiquiatria, declararam que Skywalker se enquadra nos critérios de diagnóstico: dificuldade em controlar a raiva, rupturas relacionadas ao estresse com a realidade, impulsividade, obsessão pelo abandono e um “padrão de relacionamentos interpessoais instáveis e intensos caracterizado pela alternância entre extremos de ideação e desvalorização “.
  3. 073_21No duelo com o Conde Dookan, o Palpatine aprisionado, originalmente, teve mais diálogos. Uma de suas falas revelava algo obscuro do Episódio II: Ataque dos Clones (2002): Dookan teria pagado aos Tusken Raiders (Povo da Areia) para sequestrar, torturar e matar Shmi Skywalker (mãe de Anakin).
  4. 073_22A história deste filme está em ordem inversa de Star Wars: Episódio IV – Uma Nova Esperança (1977). O primeiro ato deste filme começa com uma batalha espacial, prossegue com uma missão de resgate, continua com Anakin percebendo seu destino na vida e termina com o Império assumindo. O episódio IV começa com o Império assumindo o controle, prossegue com Luke percebendo seu destino na vida, continua com uma missão de resgate e termina com uma batalha espacial.
  5. 073_23A sequência em que Palpatine anuncia o Império, enquanto Darth Vader mata os líderes separatistas, foi modelada após a famosa “Sequência de Batismo” em O Poderoso Chefão (1972).

CONCLUSÃO
Para apreciar plenamente esse filme, só acompanhando toda a trajetória. No entanto você consegue saber o básico dos motivos que formaram Darth Vader e ascensão do Imperador somente por esse longa-metragem. Assistindo aos dois primeiros episódios você verá esse processo com bastantes detalhes para apreciar a jornada do apogeu do Lado Sombrio, mas consegue digerir esse filme sem precisar de todo esse esforço.

Novamente não chama atenção o trabalho de Hayden Christensen (Anakin), que atua muito mal, nem de Natalie Portman (Padmé), totalmente apagada e submissa, uma desconstrução da mulher forte dos filmes anteriores.

Considero, dessa trilogia prequela, o melhor filme. Podemos destacar, claro, a ótima atuação de Ewan McGregor (Obin Wan) compensando os deslizes dos dois filmes anteriores e literalmente arrasando tanto na batalha contra o General Grievous, como no seu conflito com Anakin.

Claro que Yoda novamente se mostra um dos personagens CG (computação gráfica) mais bem trabalhado e parece envelhecer muito mais nesse filme devido aos rumos negativos dos acontecimentos da guerra. Sua batalha contra o Imperador vale cada minuto de seu tempo.

Enfim, as cenas de batalha do filme estão impecáveis: desde ao rufar de tambores na primeira sequência, como na chacina empreendida pela ordem 66 e a batalha de Kashyyyk. Vale muito a pena para as novas gerações entenderem o fim da época Jedi e o que isso prenuncia, além de lançar o clima para os eventos da trilogia original. Mas a história Star Wars está apenas começando. Não se engane, a Força ainda nos revelará muito e ainda falta bastante para o equilíbrio. Por mais que as coisas estejam ruins, sempre haverá Uma nova Esperança para a Galáxia. Que a Força esteja com vocês!

Barra Divisória

assinatura_marco

SOMBRA LUNAR – FILME DA NETFLIX (CRÍTICA)

072_00

SINOPSE
Thomas Lockhart é um policial comum da Filadélfia, mas está determinado em ser um detetive. Pró ativo, está sempre quebrando protocolos hierárquicos e tomando frente nas investigações além de suas atribuições. Numa certa noite recebe o chamado de uma ocorrência, e ele com seu parceiro, Maddox, chegam mais rápido que o detetive responsável. Locke, como Thomas é apelidado, é um ótimo observador, e logo compreende como aquela morte ocorreu. Um acidente de ônibus onde aparentemente a motorista teve um derrame, e veio perder o controle não era exatamente o que parecia ser, e logo toda a polícia local parte na busca de um misterioso serial killer responsável por essa e outras várias mortes.

072_01

COMENTÁRIOS
Sombra Lunar (In the Shadow of the Moon, 2019) inicia propondo um filme policial de mistério, mas assim como os materiais promocionais se adiantam em revelar, se trata também de uma ficção científica. Característica essa que no meu entendimento deveria ser ocultada nos materiais de divulgação, enfim. O plot é direto e reto, te inserindo em intrincadas investigações e frenéticas perseguições. O roteiro começa bem mas não consegue manter um ritmo interessante após o primeiro arco, tornando o desenvolvimento repetitivo e arrastado. Recupera um pouco o fôlego próximo à sua conclusão, mas após tanta lentidão e falta de desenvolvimento de certos personagens apresentados, já se torna um pouco desgastado.

072_02

Na busca de uma resolução para alcançar aquele serial killer, Locke transporta a narrativa para um tom de suspense e drama, no qual por conta de sua obsessão em solucionar o caso, vai se transformando numa pessoa cada vez mais paranoica. Temos então essa interessante construção de personagem, qual considero o ponto alto do filme. Boyd Holbrook está bastante inspirado em dar vida ao policial traumatizado que se perde no tempo de suas internas caçadas por realidade.

A produção é competente e entrega um filme agradável visualmente, com boas locações, bonitas cenas aéreas e um trabalho de contra regra impecável. A trilha sonora também faz bonito, criando uma atmosfera densa e caótica que se mistura ao conceito visual tornando tudo bastante homogêneo e real. No fim das contas eu fiquei dividido e sem saber dar um decreto final, o roteiro verdadeiramente me incomodou, mas a experiência conceitual, principalmente se tratando das transições estéticas, me surpreenderam bastante.

072_03

FINAL EXPLICADO (SPOILERS)
Após as várias repetições de perseguições, ficamos na expectativa de uma explicação satisfatória do motivo de sua neta voltar no tempo para eliminar certos personagens. Rya consegue voltar no tempo em ciclos de nove anos, quando a Lua está mais próxima da Terra, na conhecida como ‘Lua de Sangue’, instante onde há uma alteração magnética que permite uma máquina do tempo levá-la ao passado. Seu objetivo é impedir o movimento de supremacistas brancos conhecido como True America Movement, que em 2024 bombardeou a Filadélfia iniciando uma guerra civil americana.

072_04

Rya utiliza uma injeção, que serve para inserir cápsulas no pescoço dos membros do movimento supremacista, e que serão ativadas no futuro pelo Dr. Naveen Rao, também responsável pela construção da máquina do tempo. As viagens são limitadas aos períodos de Lua de Sangue, e devido a Locke ter matado acidentalmente Rya em 1988 no incidente do metrô, os dois ficaram limitados aos ciclos lunares posteriores. Locke então compreende que matou a própria neta e ainda complicou sua causa, porém ela ainda tinha aquele ciclo para concluir sua missão e salvar o futuro.

Reflexões surgem e é compreendido que a morte da sua esposa em troca da vida de sua filha, possibilitou que mais a frente Rya pudesse existir. Seu luto que durava anos se torna mais leve, e num recomeço ele consegue o perdão dos amigos, família e, conclui sua história com a neta no colo.

072_05

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Boyd Holbrook, Cleopatra Coleman, Bokeem Woodbine, Rudi Dharmalingam, Rachel Keller e Michael C. Hall compõem o elenco. A produção norte americana foi escrita por Gregory Weidman e Geoff Tock, e dirigida por Jim Mickle. Produzido por Brian Kavanaugh-Jones, Ben Pugh, Rian Cahill, Linda Moran e Jim Mickle, o longa de 2019 é distribuído pelo serviço Netflix.

CONCLUSÃO
Sombra Lunar é um filme com aspectos interessantes, embora vendido como um policial com elementos de ficção científica, consegue explorar muito bem o drama. Uma produção coesa com excelente estética visual e sonora, que traz um elenco muito bem afinado. A obra tem sim suas falhas, mas nada que comprometa a experiência final. Particularmente considerei o ritmo um pouco lento, até repetitivo do meio até próximo ao final, no entanto é bem possível que isso não seja notado e nem incomode muita gente. O longa exclusivo da Netflix já está disponível, e certamente vai agradar fãs de sci-fi e mistério. Bom filme!

Barra Divisória

assinatura_dan

“YESTERDAY” E OS BEATLES NO CINEMA (CRÍTICA)

064_00

Desde a primeira aparição do Beatles na TV americana, em 9 de fevereiro de 1964, na época programa de Ed Sullivan, no qual entre as canções mostrava-se dados biográficos do então jovens prodígios, a banda inglesa expandiu e conquistou tanto o mercado estadunidense, como também o mundo. Naquela playlist já constavam sucessos inesquecíveis como All My Loving, Till There Was You, She Loves You, I Saw Her Standing There e a icônica I Want to Hold Your Hand.

Imaginar a história da música, quiçá do mundo, sem a presença da banda Liverpool seria algo impensável, mas não para o diretor Danny Boyle, vencedor do Oscar 2008 (Quem quer ser um milionário?). 

Está é a premissa do enredo do filme Yesterday (2019): depois de um apagão em escala mundial, a existência dos Beatles é deletada da história humana, exceto para algumas pessoas, entre elas: Jack Malik. Mesmo com todos os esforços de sua amiga e produtora Ellie Appleton, sua carreira ia de mal a pior. Não é visto com seriedade pelos amigos e nem pela família. Somente Ellie, que nunca esquecera da performance de Jack fazendo cover de Wonderwall do Oasis em um concurso da escola quando era criança, parece acreditar no talento do rapaz. Até que a vida de Jack muda após um acidente de bicicleta.

064_01

Título original: Yesterday
Direção:
Danny Boyle
Roteiro:
Jack Barth, Richard Curtis
Duração:
1h 56min
Lançamento:
29 de agosto de 2019

064_02

Elenco: Himesh Patel (Jack Malik), Lily James (Ellie Appleton), Sophia Di Martino (Carol), Joel Fry (Rocky) e Ed Sheeran (Ed Sheeran).

064_03

BEATLES E MICHAEL JACKSON?
Qualquer fã da banda sabe que ter as músicas da banda de Liverpool no cinema ou em qualquer obra artística era, até certo tempo atrás, uma raridade. Parte desse problema se deve justamente ao fato de nada mais, nada menos, do que Michael Jackson era o dono dos direitos autorais das músicas dos Beatles.

Na década de 1980 muitos empresários com o ideal de fundar um grande conglomerado de entretenimento acabaram por criar uma organização: a Michael Jackson, Inc. Esta empresa acabou por adquirir a ATV, empresa que hospedava o catálogo musical dos Beatles. Entre as obras, a empresa detinha os direitos autorais da maioria dos maiores sucessos da banda, incluindo “Yesterday”, “Come Together”, “Hey Jude”, e muitas outras.

064_04

Depois do próprio Paul McCartney e Yoko Ono abdicarem de comprar o catálogo simplesmente porque o rei do pop ansiava por ele, alguns meses mais tarde Michael Jackson comprou a ATV por um preço de 47,5 milhões dólares. Hoje, a Sony/ATV, que detém os selos de cantores como Taylor Swift e Eminem, vale cerca de US$ 2 bilhões. Para Joe Jackson, embora pudesse comprar facilmente o catálogo, o comportamento de McCartney era justificável:

“O comportamento de Paul foi muito, muito mais estruturado financeiramente. A única razão para Michael comprar o catálogo era porque estava à venda! Paul McCartney e Yoko poderiam ter comprado, mas não quiseram.”

064_05

Já para Martin Bandier, o diretor-executivo Sony/ATV Music Publishing, havia também uma explicação para a falta de vontade de McCartney: “Eu nunca pensei que Paul McCartney iria comprá-lo, porque é muito difícil para um criador comprar o que é seu. Seria como Picasso passar um dia fazendo uma pintura, para comprá-la, vinte anos, depois por US $ 5 milhões. Não seria uma coisa que Paul faria.”

O fato é que por muito tempo, era quase impossível usar o acervo dos Beatles seja em outras obras artísticas, seja em peças publicitárias. Isso só passou a mudar a partir de 2008 quando houve a abertura para uso em publicidade. Mesmo não precisando do aval do integrantes ainda vivos da banda, Bandier acreditava que havia uma “obrigação moral” de analisar o uso dos catálogos com McCartney, Starr, Yoko Ono (viúva de Lennon) e a família de George Harrison (que morreu em 2001).

064_06

BEATLES NO CINEMA
Um marco para o uso de canções da Beatles no cinema é sem dúvida o longa-metragem de Jessie Nelson, I am Sam (2001), que por aqui recebeu o título açucarado de Uma lição de amor. Neste filme que premiou com os Oscar de melhor ator Sean Penn, conta a história de Sam, uma homem com atraso intelectual (uma mente de uma criança de 7 anos), que com ajuda de outros deficientes cuida de sua filhinha Lucy Diamonds (Lucy in the sky with the diamonds). Há cenas que remetem à Abbey Road, citações feitas pelo protagonistas de frases de Lennon e McCartney e, claro, as diversas músicas dos Beatles interpretadas por covers. São ao todo 19 versões que contam com as vozes de Ben Harper, Wallflowers, Stereophonics e Sheryl Crown. Uma saída inteligente, pois na época  era algo extremamente raro ter documentários, filmes ou clipes desde que Michael Jackson adquirira os direitos autorais da banda na década de 1980.

Usar a obra dos Beatles como fio condutor de uma trama inteira foi a proposta de Across the Universe (2007) de Julie Taymor. O casal protagonista Jude e Lucy, nomes retirados das canções da banda inglesa, vivem toda sua história de amor, ambientada pela músicas dos Beetles, no período de contracultura, da psicodelia e protestos contra a Guerra do Vietnã da década de 1960. Época tão bem retratada no documentário 1967: O verão do amor (2017).

064_07

UM TRILHA FANTÁSTICA, UMA HISTÓRIA PREVISÍVEL
Longe de ser uma obra-prima, Yesterday tem uma história simples e comum para uma comédia romântica. O longa parte de um acontecimento fantástico, um apagão em escala mundial que parece ter sido provocado por uma erupção solar (como se pesca de uma manchete de jornal). Isso causa uma reviravolta na vida do aspirante a cantor, Jack Malik. Um looser (perdedor) em todos os sentidos da palavra. Sempre auxiliado pela carismática e linda Ellie, professora de matemática e produtora amadora que vive uma friendzone e reprime seus sentimentos por Jack.

A ideia de um cantor que terá que escolher entre o amor e o sucesso musical está na raiz de filmes como Rock Star (2001), com Mark Wahlberg interpretando um vocalista de rock anos 80; ou Nasce uma Estrela (2018), com a Lady Gaga. Ou seja, é um tema batido. O que chama a atenção, claro é vasto uso do Beatles como pano de fundo da trama.

064_09

A partir blackout mundial, Jack se vê como a memória da existência dos Beatles. Por mais que mais duas pessoas, no enredo, lembrem-se da existência da banda inglesa, somente Jack tem o talento para cantar e tocar as músicas. Nesta realidade, John Lennon não morreu em um atentado: vive uma vida pacata a beira do mar, alheio à música. Nesta realidade Oasis (banda influenciada pelos Beatles) não existe, assim como a Coca-Cola (só a Pepsi, em um merchã escandaloso) e Harry Potter.

Então, auxiliado por Ellie (no início) e pelo cantor Ed Sheeran (que interpreta ele mesmo), Jack se torna uma celebridade na Internet, abre turnês, vai a shows de entrevista, faz tudo que sua empresária chique Carol lhe ordena.

064_08

No final, ele escolhe uma vida simples ao lado de sua admiradora de infância. O mundo não volta ao normal (juro que esperei isso). As músicas da banda são doadas gratuitamente e Jack abdica de lucrar com uma arte que nunca foi sua. Volta a ser professor e constitui família em um final simples que agradará ao noveleiro mais aficionado.

QUATRO CURIOSIDADES (entre tantos easter eggs)

  1. 064_10No filme, Jack foi atingido quando estava de bicicleta, quebrou os dentes da frente e feriu os lábios. Isso realmente aconteceu com Paul McCartney em 1966 que caiu do ciclomotor e lascou um dente da frente em Liverpool. 
  2. 064_11Legalmente, os cineastas precisavam apenas da permissão da Sony ATV para usar as músicas dos Beatles, sendo a Sony detentora dos direitos de publicação. Em princípio, eles também buscaram as bênçãos de Paul McCartney, Ringo Starr, Yoko Ono e Olivia Harrison para o filme. Assim os Beatles não tiveram contribuição criativa, exceto pela aprovação de seu repertório para uso no filme.
  3. 064_12A história original do filme foi escrita por Jack Barth. Nela tudo era muito mais sombrio, com o protagonista lutando como músico na nova linha do tempo e a premissa do universo alternativo explorada com mais profundidade. Quando Richard Curtis reescreveu, ele fez o tom muito mais alegre, colocou menos ênfase na premissa de uma nova linha do tempo sem os Beatles e mais foco no romance entre Jack e Ellie.
  4. 064_13Alguns dos personagens têm seus nomes inspirados nas músicas dos Beatles: Rocky, o roady temporário, é nomeado por causa de “Rocky Raccoon”; Ellie,  é nomeada em homenagem a  “Eleanor Rigby” (a única música que Jack tem dificuldade de lembrar); e a colega de quarto de Ellie, Lucy, claramente, “Lucy in the sky with the diamonds”.

CONCLUSÃO: TODAY, ASSISTA!
Yesterday não é a última bolacha (ou biscoito) do pacote no que se refere a uma comédia romântica ou mesmo de tributo musical. A história é leve, sem vilões, pois nem Jack Malik é um mal caráter. Ele é um sonhador e se deixará levar pelos rumos dos acontecimentos. Uma salva de palmas para Ellie (Lily James) que é aquela mocinha fofa e apaixonada e de sorriso cativante, a melhor em cena.

Se o leitor nerd deseja um filme leve e é fã dos Beatles, cantará do início ao fim as músicas do grupo, mesmo com a desafinada de Help durante o show de lançamento de Jack (embora o ator, Hamish Patel tenha feito aula de canto e violão). Para além das piadas bem colocadas e em momentos precisos, vai até esquecer que Ed Sheeran não é lá um ator, mas vale pelo desconcerto do rapaz em frente as telas na sua “amizade” com o protagonista. Veja o longa de Boyle como distração de um dia estressante. Afinal não deixe para Yesterday o que pode fazer Today. Essa foi muito ruim! Fui galera!

Barra Divisória

assinatura_marco

STAR WARS: EPISÓDIO II – O ATAQUE DOS CLONES (CRÍTICA)

058_00

Há apreensão no Senado Galáctico. Milhares de sistemas solares manifestam sua intenção de deixar a República.
Esse movimento separatista, sob a liderança do misterioso Conde Dookan, tornou difícil para o pequeno número de Cavaleiros Jedi manter a paz e a ordem na galáxia.
A senadora Amidala, ex-rainha de Naboo, está voltando ao Senado Galáctico para votar a delicada questão de criar um Exército da República para ajudar os combalidos Jedi.

Dez anos se passaram desde o bloqueio comercial e os conflitos em Naboo (Star Wars: Episódio I – A ameaça Fantasma, 1999). A República Galáctica e seus defensores da paz, os jedis, deparam-se com uma nova ameaça: o Movimento Separatista. A probabilidade de guerra é real, mas os Cavaleiros Jedi, pacifistas por excelência, são incapazes de sozinhos deterem a marcha dos acontecimentos.

Anakin Skywalker, agora com 19 anos, oscila entre a rebeldia, arrogância e amor pela agora senadora Amidala, sua fixação desde a infância. Está em desequilíbrio entre os ensinamentos de seu mestre, Obin Wan Kenobi, e a forte influência do Chanceler Supremo Palpatine.

Um atentado envolvendo a senadora Amidala, contrária à formação de um exército da República, fará com que Anakin confronte seus sentimentos e seu passado dando demonstrações que a fúria é forte no jovem padawan. Por outro lado, fará com que Obi Wan descubra tanto um exército secreto de clones como também um de droides, este último idealizado por Conde Dookan, o novo aprendiz sith.

058_01

Título original: Star Wars: Episode II – Attack of the Clones
Direção: George Lucas
Roteiro: George Lucas, Jonathan Hales
Duração: 2h 22min
Lançamento: 12 de maio de 2002

058_19

Elenco: Ewan McGregor (Obi-Wan Kenobi), Natalie Portman (Padmé), Hayden Christensen (Anakin Skywalker), Christopher Lee (Conde Dookan / Darth Tyranus), Samuel L. Jackson (Mace Windu), Frank Oz (Yoda) e Ian McDiarmid (Chanceler Supremo Palpatine).

058_02

ANAKIN E A SEDUÇÃO DO LADO NEGRO
Quando percebemos a transformação do garotinho escravo Anakin, repleto de perspicácia e bondade, no agressivo padawan (aprendiz jedi), parece algo muito forçado (perdoem-me o trocadilho). Mas não podemos esquecer que ele sempre foi muito emotivo, muito ligado à mãe. Isso é potencializado nesta sequência da história do futuro Darth Vader. Anakin é arrogante, convencido e não respeita integralmente o comando de seu mestre, Obi Wan Kenobi.

Anakin tem constantes pesadelos com a mãe. Projeta sua afeição em Padmé, a antiga rainha que durante os últimos 10 anos viveu em seu imaginário. Dormindo, tem pesadelos com a mãe, acordado sonha com Padmé. Mesmo no reencontro, quando é designado junto com seu mestre para protegê-la, ao receber um fora daqueles (“Ani, você sempre será o menininho que conheci em Tatooine.”), não desiste em sua sedução tosca e acaba conquistando o coração velha (porém super conservada) senadora de Naboo.

058_03

Enquanto seu coração sente a tentação amorosa e o medo da perda da mãe, dois sentimentos que não podem dominar o coração virtuoso e equilibrado de um jedi, o Chanceler Supremo Palpatine, pálido como um cadáver, revela-se como o segundo mestre de Anakin e que o aconselha nas sombras. Enfatiza o quanto o garoto é habilidoso, alimenta a ambição do padawan. Isso faz com que cresça a ideia do sentimento de superioridade acima de qualquer jedi e suas queixas em relação a Kenobi, acusado de não deixá-lo brilhar e ser invejoso.

O amor (uma fixação juvenil de um rapaz virgem), o medo (da perda da mãe), a influência de Palpatine (o capeta a sussurrar maldades no seu ombro) e a vaidade de seu domínio da Força que farão com que o antigo escravo de Tatooine dê passos decisivos em direção ao Lado Negro da Força. Duas circunstâncias nos mostram que definitivamente Anakin Skywalker está perdido. A mais aparente é o fato de voltar a Tatooine, como havia falado a sua mãe que faria. Ele não liberta todos os escravos, porém executa toda uma aldeia de povos da areia que haviam sequestrado sua mãe. Não poupa ninguém: nem mulheres nem crianças. Não é o escolhido (messias) salvador, é, somente, a mão furiosa da morte.

058_04

A segunda pista da perdição de Anakin Skywalker está em um diálogo em uma das cenas românticas mais mal feitas da trama: a cena do casal no campo florido. Em um dado momento Padmé interroga o jovem jedi que diz que não acreditava que o sistema político funcionasse. “E como isso funcionaria para você?”, pergunta a senadora. Anakin então explica:

“Precisamos de um sistema onde políticos se reúnam, discutam os problemas, concordem sobre o que é melhor para o povo e então façam.”
“Mas é exatamente isso o que fazemos, mas nem sempre as pessoas concordam”, diz a senadora de Naboo.
“Deveriam ser obrigadas, então”.
“Por quem? Quem poderia obrigá-las?”, pergunta Padmé.
“Não sei, alguém…”
“Você?” , interrompe a senadora.
Sem muita convicção, vacilando, Anakin então afirma:
“Claro que eu não… Alguém sábio.”
“Para mim, isso está parecendo mais uma ditadura”, constata Padmé.
Anakin confirma a possibilidade, eles sorriem e a cena segue entre sorrisos e brincadeiras.

Desta forma está sedimentado na alma do futuro Darth Vader as sementes do autoritarismo: a mão forte do Imperador sobre o futuro da galáxia. Mesmo que ele tenha esquecido das palavras da atual rainha de Naboo quando chegaram ao planeta:

Devemos manter nossa fé na República. O dia em que deixarmos de acreditar na democracia, será o dia em que ela cairá.

058_05

PALPATINE: O SENHOR DA GUERRA
Quando analisamos a escalada do pode do Senador Palpatine ao cargo de Chanceler Supremo da República, eventos narrados no Episódio I – Ameaça Fantasma (1999), descobrimos que ele age nas entrelinhas, controlando as fraquezas do sistema. Ainda havia hostilidade da Federação de Comércio que amargou uma dura derrota na invasão de Naboo, mas a ela se somaram outros sistemas que desejavam se separar da República. Os Separatistas estão em maior número e se torna cada vez mais difícil para os jedis manterem a paz. Claro que o desejo se desligar da República tem o dedo de Palpatine: ele enfraquece as instituições ao mesmo tempo que na surdina espalha a fragilidade do sistema e o medo generalizado. É assim que ele começa a arquitetar a guerra que se desenrola neste longa-metragem. Vamos entender passo a passo a estratégia de Darth Sidious:

  1. 058_06O atentado à senadora – Logo no início do longa-metragem, a senadora de Naboo sofre um atentado. A sósia de Padmé é morta na ocasião. A antiga rainha é a principal líder do movimento contra a militarização da República diante da ameaça Separatista. É necessário que ela saia do cenário para Palpatine não tenha ninguém contra a ideia da formação de um exército. Convenientemente sugere que a senadora retorne a Naboo sendo protegida por seus antigos salvadores: Anakin e Obi Wan Kenobi. Darth Sidious consegue alcançar três objetivos: deixar Padmé e Anakin bem próximos (decerto sabia da fixação de seu pupilo pela representante de Naboo); afastar a principal oposição à militarização; e, por fim, deixar Jar Jar Binks (sim, aquela desgraça do filme anterior) como representante de Naboo no Senado.
  2. 058_07O exército de clones – Obi Wan descobre um produção em massa de clones, uma força militar feita por encomenda para República em um planeta chamado Kamino. Segundo o primeiro-ministro, o exército teria sido encomendado há quase 10 anos. O que nos remete à época da invasão de Naboo, evento do Episódio I. Sabemos que Palpatine usou esta ocasião para se tornar Chanceler Supremo e, talvez, em uma de suas primeiras medidas, encomendar um exército de clones para República, pois os clonadores seguiram tanto o pedido do Senado como o de um antigo mestre jedi morto há muitos anos. Assim, enquanto a oposição e separatistas fortaleciam o exército de droides, nas sombras, Palpatine aparelhava a República para o futuro conflito.
  3. 058_08A corrupção política – A influência de Darth Sidious vai crescendo ao longo do tempo à frente do Senado. Por outro lado, os jedis, nas próprias palavras do Mestre Windu, sentiam a habilidade do Conselho de usar a Força diminuir. Nesse sentido, por mais que Yoda aconselhe Kenobi a limpar a mente para vislumbrar o verdadeiro vilão, o mestre de Anakin parece ser o único a estar atento. E após seu padawan defender o Chanceler Supremo, Obin Wan emenda: “Palpatine é um político. Tenho observado que ele é muito inteligente, aproveitando-se da convicção e dos erros de julgamentos do senadores”. Desta forma, sensível, de forma instintiva, o Mestre Kenobi estava alerta e desconfiava do lorde sombrio e de suas maquinações. Mas mesmo sob suspeitas, Palpatine manipulava as estruturas fragilizadas do poder debaixo das barbas do Conselho Jedi.
  4. 058_09Darth Tyranus – Com a morte de Darth Maul (Star Wars: Episódio I – A ameaça Fantasma, 1999), Palpatine precisava de um novo aprendiz sith. Quem ocupa esse lugar é um veterano idealista e desacreditado da República: Conde Dookan. Ele foi treinado pelo Mestre Yoda e por sua vez foi mestre de Qui-Gon Jin. Literalmente é um jedi seduzido pelo lado sombrio. Além de estar à frente dos Separatistas, articula-se com a Federação de Comércio. Poderia ter sido ele a apagar o sistema Kamino dos arquivos Jedi? Quando o lado Negro começou a seduzi-lo? Dookan nos mostra que com o tempo certo, qualquer jedi pode ser tentado. O conde também cumpre o papel de quase matar Anakin e suscitar outro sentimento passional no padawan, além do medo, do amor e da fúria: a vingança. A queda de Dookan marcará a transição inicial de Anakin para submissão total a Palpatine.
  5. 058_10A batalha de Geonosis – Com todas as peças do tabuleiros arrumadas, só restava colocar a guerra em curso. Diante da prisão de Obi Wan, Anakin e Padmé no planeta Geonosis, era preciso uma resposta imediata à ameaça. Por um lado os jedis se vêem incapazes de deter o exército gigantesco de droides criados nas entranhas do planeta. Por outro a oposição à militarização da República é vencida por ter sua líder presa nas mãos dos Separatistas. Sendo o sistema corrupto, só faltava que algum senador ou representante de um senador propusessem em plenária a formação do exército. Nesse ponto que Jar Jar Binks (personagem desgraçado!) é manobrado e faz a proposição. Assim, pelas mãos de um idiota e ingênuo, Palpatine recebeu poderes emergenciais e passou a liderar um exército de mais de um milhão de clones feitos do código genético um mercenário e caçador de recompensas Jango Fett, pai de Bobba Fett.

058_11

OBI WAN: PROFETA OU MESTRE JEDI DOS SPOILERS?
Tudo bem, sabemos que domínio forte é da Força em Yoda. Também sabemos que o Mestre Windu humilha com o sabre de luz roxo, mas talvez o mais atento ao lado negro, neste episódio da trilogia prequel (pré-sequência), seja Obi Wan Kenobi. A todo momento ele faz avaliações e observações sobre o momento em que ele e os demais jedis vivem. Talvez o mais sensitivo quanto aos eventos funestos que se abaterão sobre a galáxia. Primeiro, podemos destacar sua desconfiança sobre os políticos em geral e o próprio Chanceler Supremo Palpatine. Antes da perseguição a Zan Wesell, caçadora de recompensas, ele afirma em conversa com Anakin:

Pela minha experiência, os senadores se preocupam apenas em agradar aqueles que dão fundos para suas campanhas. E eles não demonstram escrúpulos quando esquecem do poder e da ordem para conseguir tais fundos.

Após a perseguição à caçadora de recompensas, quando ele devolve o sabre de luz a Anakin antes de entrar no bar e encurralar a assassina, ele prediz o que acontecerá no episódio IV da saga: “Por que tenho a impressão de que você ainda vai me matar?”.

058_12

Obi Wan Kenobi não sente firmeza e tem constantes ressalvas para sugerir que Anakin se torne mestre jedi. Ele tem habilidades magistrais, mas seu coração parece frágil. Kenobi aceitou a incumbência de treinar o menino de Tatooine de seu mestre Qui-Gon, porém aparenta não ter confiança na temperança de Anakin. E novamente estava certo. Anakin executaria toda uma aldeia ao voltar à terra natal, fato sentido de forma indireta por Yoda. E após o incidente, o jovem jedi expressa sua fúria:

“Eu deveria ser (onipotente). E algum dia eu vou ser. Eu vou ser o jedi mais poderoso que existiu. Eu prometo a você. Eu vou até aprender a impedir que as pessoas morram. […] Isso é tudo culpa do Obi-Wan. Ele é invejoso. Ele está me reprimindo. “

CURIOSIDADES

  1. 058_13O nome do Conde – Na tradução para nossa língua, o nome do Conde Dookan precisou sofrer uma ligeira alteração porque senão não iam faltar brasileiros zombando do nome do personagem Count Dooku (Sim, aquele lugar onde o sol não bate).
  2. 058_14O sabre de luz de Mace Windu – Foi ideia do ator Samuel L. Jackson. Motivo: simplesmente se destacar no meio do sabres azuis e verdes no meio das batalhas. Mas no material estendido, o sabre de luz roxo se refere aos usuários da Força que já foram do lado negro.
  3. 058_15As sementes do Império – A trilogia original é marcada pela hegemonia do Império Galáctico. Neste segundo filme da trilogia prequel temos algumas referências e percebemos que já fazia parte do plano geral a construção do poder imperial. Podemos ver o símbolo do Império na mesa de reuniões dos os futuros Líderes Separatistas (Wat Tambor, Nute Gunray, etc.). Momentos depois o arqueduque de Geonosis entrega os projetos de sua arma final, a Estrela da Morte, para que o Conde Dookan entregue ao Lorde Sith. Outro ponto é o armamento utilizado pelos clones, muito semelhantes aqueles que seriam usados pelos Stormtroopers, como os andadores.
  4. 058_16O clã Fett – Também podemos ver a origem de Boba Fett, o caçador de recompensas que colocará as mãos em Han Solo. Clone idêntico (fisicamente e mentalmente) de Jango Fett, feito em Kamino, cresceu naturalmente sob a tutela e treino direto do pai. Nós o vemos dar tiros de blaster na nave Escravo I e após a morte, segurar o capacete do pai, em uma espécie de legado passado.

CONCLUSÃO: Que Yoda é esse? OMG!
Bem, é totalmente dispensável as cenas de flerte e jogos amorosos entre Anakin e Padmé Amidala. Cheios de tiradas ultrapassadas e cenas românticas mais do que clichês. Não que a franquia não possa ter seus romances, afinal a tensão amorosa entre Han Solo e a Princesa Leia é uma das coisas mais legais na trilogia original. Mas percebemos que George Lucas (ou seu roteiro) podem ter tirado sua ideias de novelas brasileiras ou mexicanas para explicar tanta cafonice. Por mais que os casais de atores tenham desenvolvido um romance durante as filmagens, que Natalie Portman tenha largado o marido para ficar com Christensen, a química não rola e por vezes você vai querer adiantar o filme para não assistir às cenas piegas.

A única atuação digna de atenção é justamente de um personagem em CGI (computação gráfica): Yoda. Além de ser um sonho de muitos fãs da franquia de ver o diminuto e mais forte jedi lutar e ele o faz de forma fantástica. O mestre Yoda se mostra um líder nato, com capacidade analítica e boas expressões faciais. Ao meu ver é o ponto mais empolgante da trama.

Também, este longa, é uma ótima oportunidade pra ver a capacidade tecnológica tanto do enredo da história, quanto dos efeitos especiais da produção que teve um salto qualitativo em três anos, diferença entre o Episódio I e o II. Vale a pena pelas cenas da batalha da arena de Geonosis quanto da própria guerra em si.

Se você espera ver um filme com muita ação e com apogeu dos jedis e sua capacidade de batalha, esse filme empolga, mesmo com o romance piegas e as atuações nem sempre interessantes. Esse longa marca o início da fase mais belamente construída desde a trilogia inicial. Trata-se das Guerras Clônicas que foram amplamente adaptadas para a animação, Star Wars: A Guerra dos Clones (2008) e a série animada, Star Wars: The Clone Wars (2008-2020), que preenchem as lacunas deixadas pelos filmes prequel.

No mais, persista na Força, jovem padawan, o Lado Negro cresce na galáxia. Se queres paz, te prepara para a guerra! E bom filme!

Barra Divisória

assinatura_marco

EQUILIBRIUM (CRÍTICA)

057_00

SINOPSE
Num futuro após a Terceira Guerra Mundial, a sociedade se enquadrou nas regras de um regime totalitário, que fez diminuir quase por completo todos os tipos de crimes violentos. Cada integrante desta comunidade tinha por obrigação se medicar com inibidores de emoções, o Prozium, para assim estarem aptos num convívio coletivo, no qual as chances eram praticamente nulas de qualquer distúrbio. A cultura também passou a ser fortemente criminalizada, numa política em que livros e todo tipo de obras de artes eram incinerados. Essa sociedade distópica, fria e racional, permitia um ambiente sem muitos conflitos, mas por trás desse aparelhamento estatal de autoritarismo e ordem, haviam grupos de resistência que não compactuavam com essa perda de liberdade.

057_01

COMENTÁRIOS
Equilibrium
é uma obra mal compreendida, e de certa forma, sendo sua própria distribuidora a culpada. Com o slogan “Esqueça Matrix!”, a produção trouxe para si uma discussão que nunca fez sentido. Equilibrium em nada tem a ver com Matrix, claro, tirando os vestuário e o uso ‘estiloso’ de armas de fogo. O filme foi lançado em 2002, cerca de três anos após o lançamento de Matrix. E numa tentativa frustrada de surfar na onda do blockbuster de enorme sucesso, algum produtor não muito inteligente decidiu dar este péssimo estigma ao seu produto. No final era muito difícil você chegar na locadora, pegar aquela embalagem, ler a provocação do slogan, e não chegar em casa predisposto a assistir realmente o que a propaganda dizia. Isso aconteceu comigo, no entanto eu soube compreender a intenção do marketing barato e assisti tudo até o final. Não sei se eu entenderia tão bem assim caso tivesse assistido no cinema após ver a chamada num pôster. Esse golpe baixo na audiência custou caro ao filme.

057_02

A única verdade nessa história toda, é que sim, Equilibrium é um excelente filme! A produção não é das mais ricas, mas com o pouco investido, oferece uma obra sólida e convincente do que se predispõe a fazer. As cenas de ação aceleradas traziam algo novo para o cinema. Claro, não era nada absurdo e, de maneira alguma tão impactante quanto às frenéticas cenas de ação de Matrix, mas a criativa do diretor e roteirista fez criar uma arte marcial fictícia, chamada Gun-kata, a junção de ‘arma’ com ‘kata’, o conjunto de movimentos de ataque e defesa que está presente nas mais diversas artes marciais japonesas. Parece estranha a explicação, mas acredite, o resultado em tela ficou incrível.

057_03

Sua arte visual saturada combinava bem com seu conceito de futuro distópico, os efeitos em sua maioria eram práticos, e a qualidade sonora era ‘okay’, nada muito extravagante. Roteiro coeso em todos os arcos, e um conjunto de atuações muito boas, afinal,  Christian Bale, Emily Watson e Sean Bean não são pouca coisa. A direção soube reunir o magro orçamento de 20 milhões de dólares, e entregar um produto final de qualidade. Porém devido ao seu ridículo marketing, trouxe a receita negativa de pouco mais de 1/4 de toda grana investida! Uma pena. Talvez isso tenha servido de lição para que outros espertinhos pensassem duas vezes antes de querer soltar uma pérola dessas.

057_04

ELENCO E FICHA TÉCNICA
O elenco de Equilibrium conta com Christian Bale, Emily Watson, Taye Diggs, Sean Bean, Angus Macfadyen, William Fichtner, Sean Pertwee, David Hemmings e Dominic Purcell. Kurt Wimmer é responsável pelo roteiro e direção, enquanto Jan de Bont e Lucas Foster, foram os principais produtores. Seu orçamento foi de US$ 20,000,000.00, tendo uma receita final de US$ 5,359,645.00. Fiz questão de colocar até o último dólar. Prejuízo assustador!

CONCLUSÃO
Aprendemos com Equilibrium o que não deve ser dito sobre um filme. Você não vende jujubas numa embalagem escrito “Melhor que chocolate!”. Isso não faz sentido e as coisas ao menos são comparáveis. Tirando esse controverso problema que nunca deveria ter acontecido, esta é uma obra ímpar! Não é um filme cult como alguns propagam por aí, mas um filme que traz reflexão e empolgantes cenas de ação. Não esqueça Matrix, mas também lembre-se desse. Recomendadíssimo!

Barra Divisória

assinatura_dan

E.T.: O EXTRATERRESTRE (CRÍTICA)

055_00

SINOPSE
Elliott está tranquilo em sua casa quando é surpreendido por um extraterrestre de feições muito curiosas. O garoto toma um grande susto, mas logo percebe que aquela criatura era totalmente inofensiva. Os dois então desenvolvem uma grande amizade e, descobrem que a distâncias interestelares não são o suficiente para nos fazer tão diferentes. O menino então resolve escondê-lo dentro de casa para protegê-lo, mas o que ele não imaginava, é que as pessoas descobririam, e tornariam um caos a passagem daquele gentil alienígena pelo planeta Terra.

055_01

EXPERIÊNCIA PESSOAL
Existe algum filme que você considere o de mais importância na sua vida? Não necessariamente o que você ache melhor por ter enumerado uma dúzia de motivos, mas que simplesmente ficou marcado na sua história. Pra mim esta é a obra que cumpre esse papel. Sendo uma lembrança fiel à realidade ou não, eu me recordo nitidamente do dia em que meu padrinho chegou na minha casa trazendo o VHS de E.T.: O Extraterrestre para nós assistirmos. Imagino que eu devia ter uns seis anos. Tínhamos recém adquirido uma TV colorida da Telefunken e uma videocassete da CCE. Tecnologia de ponta! Eu não fazia ideia de que filme era aquele ou de qualquer outra opção que existia, diferente de hoje, as crianças daquela época não nasceram com um smartphone na mão e a infinidade do YouTube Kids disponível. Até aquele momento para mim só existiam duas opções, o canal do Bozo ou o canal da Xuxa.

055_02

Lembro de ser noite, e imagino que por volta das vinte horas, já que era o habitual do meu pai chegar em casa. E nesse dia meu padrinho, sua esposa, e meu pai, chegaram juntos da rua. Então todos nos amontoamos naquela pequena sala para podermos assistir. A experiência pela ótica de uma criança ainda inocente, vendo uma história tão rica em conceitos morais, ecoou no meu cérebro por toda a vida. As pessoas geralmente temem a ideia de se deparar com um extraterrestre, mas eu conservei a proposta do ET bonzinho daquele filme. Então se um dia eu der de cara com qualquer alienígena (creio eu que ainda não tenha acontecido), eu com certeza vou convidar para um café.

055_03

“Este não é simplesmente um bom filme. É um daqueles filmes que afastam nossas advertências e conquistam nossos corações” – Roger Ebert, crítico de cinema

Tempos depois Ebert adicionou E.T.: O Extraterrestre a sua lista de melhores filmes, estruturando o ensaio como uma carta aos seus netos sobre a primeira vez que eles assistiram. (Fonte: Wikipedia)

COMENTÁRIOS
Nesse ponto há bem pouco a se falar. E.T.: O Extraterrestre é fruto da década de oitenta, um período inspiradíssimo para Steven Spielberg. Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida, Poltergeist, Gremlins, De Volta para o Futuro, A Cor Púrpura, Goonies, são só algumas das obras primas que consagraram esse gênio do cinema por quem eu tenho tanta admiração.

055_04

Se tratando dos aspectos técnicos, podemos dizer que é uma produção coesa do começo ao fim. Traz bons efeitos especiais, atuações adultas e mirins indiscutíveis, um roteiro conservador muito eficiente, e o principal, pelo menos para mim, uma das trilhas sonoras mais fantásticas de todos os tempos! Spielberg sozinho já era um cineasta incrível, mas junto de John Williams eles se tornaram lendas! As composições originais para o filme são incríveis viagens sobrenaturais, que fazendo os uso de harpas, violinos, pianos, celestas e percussões, nos transportam para um mundo inesquecível de fantasia. Essa é um das poucas produções que conheço que as opiniões são unânimes quanto sua qualidade. Hoje E.T.: O Extraterrestre é eternizado como um dos melhores filmes de todos os tempos!

055_05

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Dee Wallace, Henry Thomas, Peter Coyote, Robert MacNaughton, Drew Barrymore, Pat Welsh (voz do E.T.), K. C. Martel, Sean Frye, C. Thomas Howell e Erika Eleniak. E.T.: O Extraterrestre é uma produção de 1982 dirigido pelo renomado diretor Steven Spielberg, que também fez parceria na produção com Kathleen Kennedy. Seu orçamento fora de míseros 10,5 milhões de dólares, se comparado à sua receita de quase 793 milhões! Nosso amigo extraterrestre surgiu como um furacão, desbancando até mesmo Star Wars, e se tornando na época o filme de maior bilheteria de todos os tempos! Sendo superado apenas em 1993, com outro trabalho de Steven Spielberg, com Jurassic Park.

055_06

REPERCUSSÃO E PREMIAÇÕES
Indicado para nove estatuetas do Óscar durante a quinquagésima quinta cerimônia, em 1983, foi apontado como favorito para o Prêmio de Melhor Filme, mas perdeu para o indo-britânico-estadunidense Ghandi (1982). No entanto venceu em quatro categorias, Trilha Sonora, Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição de Som e Melhores Efeitos Especiais. Também recebeu o Prêmio Saturno nas categorias Melhor Filme de Ficção Científica, Melhor Roteiro, Melhor Efeitos Especiais, Melhor Música e Melhor Arte de Cartaz, enquanto Henry Thomas, Robert McNaughton e Drew Barrymore receberam o Young Artist Awards. Pela trilha sonora John Willams recebeu o Globo de Ouro, Prêmio Saturno, dois Prêmios Grammy, e um BAFTA. Ganhou os prêmios de melhor filme estrangeiro no Blue Ribbon Awards do Japão, Cinema Writers Circle Awards da Espanha, César Awards da França e David di Donatello da Itália. Fora muitos outros prêmios menores da crítica especializada em cinema. E.T.: O Extraterrestre é apontado como um dos filmes mais importantes da história, e até hoje detém não apenas milhões, mas bilhões de fãs por todo mundo!

055_07

CONCLUSÃO
Uma obra de arte que nenhuma explicação se faz boa o suficiente para mensurar sua tamanha grandeza. Conceito sem precedentes e que até hoje não tem nada com proposta parecida tão bem executada. E.T.: O Extraterrestre é um trabalho formidável vindo de uma das mentes mais brilhantes existentes na Terra, Steven Spielberg. Um filme fantástico que não é apontado para nenhuma idade específica, então seja você uma pequena criança ou um adulto brucutu, te desafio a não se emocionar com essa lindíssima história de um etezinho bondoso que um dia passou por esse indigno planeta. Tem filhos pequenos e ainda não mostrou esse E.T. para eles? Está esperando o que então, essa é sua obrigação como pai ou mãe, de dar um dos melhores presentes da vida para suas crianças!

Barra Divisória

assinatura_dan

STAR WARS: EPISÓDIO I – A AMEAÇA FANTASMA (CRÍTICA)

049_00

A desordem instalou-se na República Galáctica. A cobrança de impostos das rotas de comércio para sistemas remotos está sendo contestada. Esperando resolver a questão com um bloqueio de poderosas naves de guerra, a gananciosa Federação do comércio suspendeu toda remessa para o pequeno planeta Naboo.

Enquanto o Congresso da República discute indefinidamente essa alarmante sequência de eventos, o Chanceler Supremo enviou, secretamente, dois Cavaleiros Jedi, guardiões da paz e da justiça na galáxia, para porem fim ao conflito…

Exatamente 32 anos antes do domínio do Império Galáctico, o longa-metragem de George Lucas acompanha os passos do Mestre Jedi Qui-Gon Jinn e de seu aprendiz (padawan), Obi-Wan Kenobi. Inicialmente enviados como negociadores para por fim a um bloqueio comercial hostil às novas taxações impostas pelo Senado da República, acabam se tornando defensores dos interesses da Rainha Amidala do pacato planeta Naboo. Ambos os heróis na medida que se envolvem na ameaça de guerra contra o Exército Droide a serviço da Federação de Comércio, acabam por descobrir uma divergência na Força, alguém que possa trazer equilíbrio e paz para galáxia, na figura do garotinho Anakin Skywalker. Mas o que parece ser um simples conflito preste a ser resolvido pela ação pacificadora do Jedis, revelam o retorno dos misteriosos Siths.

049_01

Título original: Star Wars: Episode I – The Phantom Menace
Direção: George Lucas
Roteiro: George Lucas
Duração: 2h 16min
Lançamento: 19 de maio de 1999

049_13
Elenco: Liam Neeson (Qui-Gon Jinn), Ewan McGregor (Obi-Wan Kenobi), Natalie Portman, (Rainha Amidala / Padmé), Jake Lloyd (Anakin Skywalker), Ian McDiarmid (Senador Palpatine) e Ahmed Best (Jar Jar Binks).

049_02

A ORIGEM DO CLÃ SKYWALKER
Quando o enredo tem início, temos o auge da influência jedi sobre a galáxia: eles são uma força temida e respeitada. O Conselho Jedi, que tem no jovem Yoda (mas sempre velho), o principal representante dada a sua antiguidade, atua como suporte na manutenção da República e sua democracia. Os Jedis resguardam sua tradição, treinam novos aprendizes, mas tornaram-se desleixados para detectar as ameaças do Lado Negro da Força. Tudo está nebuloso, como o próprio Yoda diz a certa altura do filme.

Por mais que Qui-Gon Jinn, nos instantes iniciais da película, afirme que seu aprendiz precisa se preocupar somente com o “aqui e agora” e não pensar no futuro, por mais que isso pareça ser só a lição de um mestre ao seu aluno, foi assim que os Jedis ficaram cegos a ameaça do Lado Negro. Esse ensinamento, a filosofia de Qui-Gon, resume a queda que recairia sobre a hegemonia dos jedis sobre a galáxia: não dar uma atenção maior ao futuro.

Após o fracasso da negociação com o vice-rei Nute Gunray, o plano de invasão ao planeta Naboo é adiantado. Os Jedis, em fuga e já em terra, fazem amizade com um atrapalhado nativo Jar Jar Binks, apontado pela crítica e pelos fãs mais fervorosos (e me incluo nesse grupo), como a pior adição ao universo Star Wars. Porém, falarei da importância dele depois. Mas o fato é que o irritante personagem, após conduzir os heróis ao reino aquático de Gunga, serve de guia para que os Jedi cheguem a capital de Naboo, resgatem a rainha e fujam do planeta durante o início da invasão droide.

049_03

Depois da ajuda essencial do astrodroide R2D2, primeira aparição do robozinho mais famoso da franquia, que conserta avarias na nave em plena fuga, os jedis e a rainha precisam pousar em Tatooine, planeta desértico controlado pela facção criminosa dos Hutts. É que, devido ao ataque, fora danificado o hyperdrive: componente essencial da nave que a faz cruzar longas distância na velocidade da luz.

É em busca do conserto da nave que Qui-Gon, Padmé e Jar Jar vão conhecer o jovem Anakin Skywalker com apenas nove anos, escravo de um comerciante local de sucatas. Enquanto o mestre jedi negocia com Watoo, dono do comércio, Anakin mostra sua afeição, desde sempre, pela rainha disfarçada de aia: “Você é um anjo?”. O garoto acaba por ajudar aqueles forasteiros desde livrar Jar Jar de uma briga, passando por conceder abrigo durante uma tempestade de areia, até ganhar uma corrida pods (planadores).

049_04

O jovem Anakin se mostra um prodígio: hábil em mecânica, construtor de droides (C3PO é sua criação), um piloto nato com reflexos impressionantes. Tudo desperta o interesse de Qui-Gon que vê o potencial do rapaz e sua manifestação da Força. Mas a origem do menino é em si um mistério e em muito se deve a sua semelhança com a figura de Jesus, entre os cristãos. Anakin Skywalker teria sido gerado espontaneamente pela Força, sem nenhuma relação sexual da mãe. Segundo ela, o menino não conhecia a cobiça e acreditava que ele nasceu para acompanhá-los. Anakin, que descobre por conta própria que Qui-Gon era um jedi, diz em certo momento que sonhou que era um jedi e que voltava para Tatooine e libertava todos os escravos. Bem, o futuro mostraria que esse retorno não seria tão feliz.

O jovem Anakin Skywalker, fazendo jus a seu sobrenome (andarilho do céu, em tradução livre), conheceria todas as estrelas. Ele possuía uma quantidade absurda de midichlorians: uma espécie de vida simbionte no interior de cada célula vivente. Tais formas de vida se comunicam com a Força e falam seus desejos. A contagem midichlorians do menino era superior até do mestre Yoda. Isso significava que ele mesmo tão jovem, poderia ter um domínio da Força muito maior que qualquer jedi existente. Isso faz Qui-Gon acreditar que ele poderia ser o Escolhido: aquele que traria equilíbrio a Força.

049_05

Ao libertar o menino, consertar a nave e enfrentar um estranho oponente de sabre de luz vermelho, os cavaleiros jedi chegam ao planeta-cidade Coruscant. Anakin é submetido a avaliação do Conselho Jedi para saber seu potencial para se tornar padawan de Qui-Gon. Apesar da grande Força, Yoda percebe que o garoto é perigoso pelo excesso de medo e apego à mãe que Anakin possuía, pois:

“O medo caminho é para o Lado Escuro. Medo leva a raiva, raiva ao ódio leva, ódio leva ao sofrimento”.

É justamente este o caminho da decadência que levará o potencial positivo de Anakin Skywalker à ruína na sequência dos demais filmes. O medo caminhará com ele. Na ausência da mãe, projetará seu carinho em Padmé Amidala. Freudiano, isso. Mas Qui-Gon, que sempre fora arredio resolve que o treinará a qualquer custo e, com sua morte, a missão passará a Obi-Wan Kenobi, que cumpre o último desejo de seu mestre. A ascensão de Anakin é o início do declínio da era jedi na galáxia.

049_06

QUE AMEAÇA FANTASMA É ESSA?
A primeira impressão que temos que o “fantasma” do título é a aparência aterradora de Darth Maul, porém o que está por trás da verdadeira ameaça  é a ambição do senador Palpatine, alter-ego do lorde sith Darth Sidious.

O bloqueio da Federação de Comércio não passa de uma estratégia bem planejada por Palpatine. Era necessário pressionar a Rainha Amidala ao máximo e ele, como senador de Naboo, desejava se tornar Chanceler Supremo, tomar o lugar de Valorum. Este último, acusado de corrupção, manipulado por burocratas, subornado pela Federação, ao seu entender não estava mais apto a liderar a República Galáctica. Até que ponto estas informações eram verdadeiras, a Rainha não sabe, mas é induzida a acreditar nelas. E assim propõe um “voto de desconfiança” ao senado, o que faz com que haja novas eleições para o cargo. Em si, isso não muda nada e não auxilia Naboo que se encontra sitiado pelo vice-rei Nute Gunray, porém marca o início da escalada de poder de Darth Sidious. A rainha volta ao seu planeta, Palpatine fica na capital da República para vencer a eleição.

Palpatine se diz honesto e que “vai acabar com a corrupção”, mas no fundo a trama ou as informações podem ter sido falseadas pelo lorde sith. Mas fato é que os jedis se tornaram distraídos e a estrutura democrática estava fragilizada. Isso cedeu espaço para que, na escuridão das ruas de Coruscant, a ameaça fantasma Sith fosse crescendo. Se ao final Palpatine perde seu discípulo, Darth Maul, pelas mãos de Obin Wan Kenobi, por outro o senador alcança o degrau máximo do poder e ainda conhece um jovem com um potencial inimaginável na Força: Anakin Skywalker. Os dados foram lançados para o início da reviravolta Sith da história galáctica.

049_07

É MELHOR JAR JAR IR SE IRRITANDO
Com pouco mais de dez minutos de filme, surge Jar Jar Binks, para suplício de muitos. Ele é um Gunga, do povo aquático de Naboo, e que tinha sido expulso de sua terra (ou de sua água?) por ser extremamente desastrado. Ele é responsável por aquelas que deveriam ser as cenas engraçadas da história e fazer o riso da criançada com seu humor pastelão. Bem, a intenção saiu pela culatra: suas cenas são forçadas e desnecessárias. Não que o humor esteja proibido, afinal C3PO, na trilogia inicial, faz um bom trabalho. E pensar que, segundo o ator Ahmed Best, o intérprete dessa “beleza de personagem”, afirmou que Michael Jackson quase lhe roubou o papel!

Eu, Natalie Portman e os filhos de George estávamos em um show de Michael Jackson. Nós fomos levados ao backstage e conhecemos Michael. Seus filhos também estavam lá. George me apresentou como Jar Jar e eu não entendi o que estava acontecendo. Depois que Michael foi embora, nós fomos para uma festa. Eu estava tomando um drink com George e ele me disse que Michael queria o papel, mas gostaria de fazer com próteses e maquiagem, como em “Thriller”. George queria fazer em CGI. O meu palpite é que Michael Jackson acabaria sendo maior que o filme, e não acho que ele [George] queria isso“, disse o ator.

049_08

Mesmo que o interesse do rei do pop em dar vida ao personagem possa parecer um baita elogio e que talvez ele fosse muito melhor com Michael Jackson interpretando, Jar Jar decepciona não só por ser um personagem péssimo, mas por afetar o futuro da galáxia de forma desastrosa.

Assim que Qui-Gon conhece o Gunga, Binks afirma que sabe falar. Ao que o mestre jedi responde: “Capacidade de falar não é prova de inteligência”. Agora imagine isso aplicado a um político em um sistema democrático. Pensou? Pois bem, com suas trapalhadas, no início da trajetória de Jar Jar no universo de Star Wars, parece que tudo vai dar certo, mas aguardem até ele se tornar o senador representante de Naboo. Não quero adiantar a história, mas falaremos desse ódio nos outros filmes.

CURIOSIDADES

  1. 049_09Bloqueio Comercial – Para entender o contexto político deste filme, é necessário refrescar a memória das aulas de História do Brasil. Sério? Sim. Quando falamos de bloqueio comercial, retornamos a eventos muito ligados a nossa história. Quando, em 1806, Napoleão Bonaparte exigiu que Reino de Portugal se tornasse seu aliado contra a Inglaterra e os portugueses se negaram, o imperador francês instituiu um bloqueio comercial para que ninguém fizesse negócio com os ingleses. A corte portuguesa, como eram aliados da Inglaterra de longa data, resolveram não cortar laços e terminaram fugindo na surdina para sua colônia mais próspera: o Brasil. Diferentemente dos nem tão pouco corajosos portugueses que abandonaram seu lar, a Rainha Amidala, vendo que não resolveria nada simplesmente esperando a resolução do Senado e longe de sua pátria, retorna ao seu planeta para defendê-lo a todo custo.
  2. 049_10Cidade Aquática – Uma cidade submersa não é grande novidade quando falamos de ficção. Podemos pensar que isso se deve ao mito platônico da cidade Atlântida, descrita no seu diálogo Timeu (360 a.C.), como uma civilização avançada, um império de engenheiros e cientistas, tão ou mais avançados tecnologicamente que a nossa civilização. Diversas obras literárias ou cinematográficas usaram tal mito para falar de uma cidade aquática mágica ou alta tecnologia. Isso é possível constatar no Reino de Tritão (A pequena sereia, 1989), na Atlântida de Milo (O Reino Perdido, 2001) e dos quadrinhos de Aquaman (DC) ou Namor (Marvel).
  3. 049_11A mestre de Boba Fett – A corrida de pods é um dos eventos centrais e alguns personagens importantes para franquia aparecem. Jabba, o Hutt, mafioso alienígena asqueroso e obeso que fará negócios com Han Solo, é que está à frente da corrida. Durante a mesma, catadores de sucatas Jawas e os Tusken (povo da areia), seres importantes em Uma Nova Esperança (1977). E, claro, durante a primeira sequência da corrida, aparece do alto um rochedo Aurra Sing, que após a morte de Jango Fett, treinaria o impiedoso Boba Fett, caçador de recompensas que perseguiria Han Solo em O Império contra-ataca (1980). Aurra é importante no enredo da série animada Clone Wars.
  4. 049_14Cubo Azul e Vermelho – Watoo, dono do escravo Anakin Skywalker, convencido por Qui-Gon, resolve incluir o menino e sua mãe na aposta do final da corrida. Deixa a cargo da sorte no dado saber se libertaria o menino ou a mãe: face azul para ele, vermelha para ela. Não sei, mas me lembrou a associação de cores de Matrix (1999) que deixou entre uma pílula azul (voltar ao programa) ou vermelha (ser livre) a decisão do futuro de Neo, o escolhido. Enquanto o escolhido no filme de George Lucas é libertado pela cor azul (Qui-Gon manipula o lance de dados), o escolhido do longa de Lana Wachowski escolhe a pílula vermelha e se torna herói saindo da Matrix para liderar a resistência.

CONCLUSÃO: Um começo pouco empolgante
Este filme marca o início da trilogia prequel (pré-sequência) e que conta a origem de Darth Vader, o Imperador e seu poder. É imprescindível para quem quer assistir de forma cronológica à saga Star Wars. Nas gerações mais novas pode sugerir que todos os episódios sejam repletos de CGI (imagens geradas por computador) como este, o que faz a trilogia original, das décadas de 1970 e 1980, ser muito simplória e desinteressante.

Para aqueles mais old school, este episódio torna-se interessante por mostrar lutas com sabres de luz repletas de agilidade, fato incomum nos filmes mais antigos devido, em parte, a precariedade dos efeitos especiais. Também se destaca por mostrar a origem de personagens secundários para as ramificações da série: R2D2, C3PO, Obin Wan, um Yoda em plena ativa entre outros.

Mas do ponto de vista interpretativo dos atores, o destaque fica somente por conta de Liam Neeson (Qui-Gon Jinn), embora fique prejudicado, às vezes, por frases bobas (“Sempre há um peixe maior.”) ou que, ao interagir com personagens computadorizados, não saber realmente para onde está olhando.

Se você é um veterano na franquia, pode achar este filme pouco interessante e desconexo. Se você for novo no mundo de Star Wars, pode ser que ache melhor ir ver um filme da Marvel. Não os reprovo e acho compreensível. Mas se perseverar na Força, possa ser que você chegue a perdoar esse filme, pois afinal o que vale é a jornada. Opa, mas esse já é outro filme, outra história.

Barra Divisória

assinatura_marco